Menu
2019-04-04T13:49:13-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Lava Jato

Petrobras fecha acordo para se livrar de justiça dos EUA

Estatal vai desembolsar R$ 85 milhões ao departamento de justiça americano para encerrar investigações relacionadas à Lava Jato

27 de setembro de 2018
10:49 - atualizado às 13:49
Plataforma P-61 da Petrobras
Plataforma P-61 da Petrobras - Imagem: Shutterstock.com

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira, 27, acordos para o encerramento das investigações relacionadas à operação Lava Jato com o Departamento de Justiça (DOJ) e a Securities & Exchange Commission (SEC) nos Estados Unidos.

As investigações, segundo a companhia, estão relacionadas a problemas de controles internos, registros contábeis e demonstrações financeiras da companhia durante o período de 2003 a 2012. Com o acordo, a Petrobras pagará nos EUA US$ 85,3 milhões ao DOJ e US$ 85,3 milhões à SEC.

Passa a bola

Segundo a estatal, ainda será celebrado um acordo com o Ministério Público Federal (MPF), uma vez que os fatos subjacentes foram desvendados por meio de investigações conduzidas pelas autoridades brasileiras no âmbito da Operação Lava Jato. Isso permitirá que 80% dos valores acordados com a SEC e com o DOJ possam ser investidos no Brasil.

A companhia irá reconhecer, como provisão dos acordos, o valor de US$ 853,2 milhões, estimado em R$ 3,6 bilhões, incluindo tributos, nas demonstrações financeiras do 3º trimestre de 2018.

Além disso, os acordos também reconhecem a destinação de US$ 682,6 milhões às autoridades brasileiras, a serem depositados pela Petrobras em um fundo especial e utilizados conforme instrumento que será assinado com o MPF.

Bem-quista no mercado

De um modo geral, os analistas e consultores receberam de forma positiva esse novo acordo da petroleira. O BB Investimentos, por exemplo, divulgou uma nota elogiando o desfecho do processo, mesmo que ele signifique um rombo nas contas da empresa.

A Moody's também se pronunciou sobre o acordo, mas foi um pouco mais contida nos elogios. Para a agência de classificação de risco, embora o acordo signifique um cenário de melhora para o crédito da empresa, ele não terá impacto no rating da Petrobras, que apresentou melhora nos últimos anos após novas políticas de governança.

Esse mesmo comentário sobre a neutralidade do acordo sobre o rating da empresa foi feito pela Standard&Poor's, que também disse esperar por uma redução nas incertezas sobre os potenciais passivos contingentes.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

“efeito de três pontos”

O [mau] comportamento dos mercados: as semelhanças entre a trajetória do câmbio e de uma bola de basquete

O câmbio vai oscilar ao gosto das notícias – das guerras comerciais à falta de agenda econômica do governo federal. Mas existe um estranho – e ainda pouco compreendido – “efeito de três pontos”.

DRAGÃO COM FOME

Comida pressiona inflação até o fim do ano, dizem analistas

Dólar em alta, oferta escassa por causa da entressafra e o auxílio emergencial estão provocando o aumento dos preços

CCR: Alerj recomenda retomar concessão de rodovia, mas governo é contra

Assembleia quer retomada da rodovia para reduzir tarifas, consideradas altas devido a irregularidades no contrato de concessão

TRETA

Maia e Alcolumbre criticam Salles após atrito com Ramos

Presidente da Câmara diz que ministro do Meio Ambiente resolveu destruir o próprio governo

SE PROTEJA

Títulos de renda fixa atrelados ao IPCA viram opção

Alta da inflação em outubro faz investidores e gestores avaliarem novas formas de proteção de patrimônio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies