Menu
2018-11-30T15:25:53-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Mercados

Fundos estrangeiros ampliam posição em Brasil no fim de novembro

Dados da EPFR Global mostram maior ingresso em 18 meses dentro da categoria Global Emerging Markets (GEM)

30 de novembro de 2018
15:25
investimento brasil
Imagem: Shutterstock

A consultoria EFPR Global faz um acompanhamento semanal da movimentação de recursos em fundos de ações emergentes, desenvolvidos e de dívida. Seu boletim mais recente, referente à semana encerrada dia 28 de novembro, aponta que a alocação em Brasil dentro dos fundos Global Emerging Markets (GEM) atingiu o maior patamar em 18 meses.

Ainda de acordo com a EPFR, que acompanha mais de 100 mil fundos ao redor do mundo, com cerca de US$ 34 trilhões em ativos, o Brasil e o México foram o destaque na semana dentro da categoria Fundos de Ações da Americana Latina.

“Os investidores acreditam que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, levará adiante ao menos algumas de suas promessas de reduzir a burocracia e racionalizar o gasto público”, diz a EPFR em relatório.

Há duas semanas publicamos um estudo do BTG Pactual, estimando que apenas 0,37% do dinheiro dos fundos globais (GEM) estava alocado em Brasil e que se essa exposição e a de fundos emergentes voltasse ao patamar de 2014, cerca de US$ 68 bilhões poderiam irrigar o mercado local.

No caso do México, os ingressos aconteceram mesmo com o presidente eleito, Andrés Manuel López Obrador (AMLO), tomando medidas contrárias às acenadas durante à campanha, como cancelar o projeto de ampliação do Aeroporto da Cidade do México e convidar o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, para sua posse.

Ainda entre os emergentes, a categoria Emerging Markets Equity Funds teve mais uma semana de aportes, apesar das dúvidas sobre o ritmo de crescimento da economia chinesa e mundial. Mas os fundos voltados exclusivamente a China perderam dinheiro.

No computo geral da semana, todos os fundos de ações acompanhados registraram saques de US$ 1,07 bilhão. Os fundos de dívida perderam US$ 9 bilhões e os “Money Market Funds”, de curto prazo e baixo risco, mostram retiradas de US$ 8,9 bilhões.

Entre os mercados desenvolvidos (EUA, Europa e Japão), a categoria Developed Markets Equity Funds seguiu perdendo dinheiro, mesmo depois de o presidente do Federal Reserve (Fed), banco central americano, Jerome Powell, fazer um discurso interpretado como menos conservados ou “hawk” com relação à taxa de juros americana.

Especificamente para os fundos dos EUA, a EPFR captou entrada de dinheiro, mas os fundos voltados para investidores de varejo completaram a 41ª semana com retirada de recursos.

O relatório não trouxe os números abertos das movimentações para os fundos acompanhados, mas o gráfico abaixo, da EPFR, apresenta o fluxo acumulado no ano para as grandes categorias globais de fundos em milhões de dólares.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Apertem os cintos

Segredos da bolsa: Termina mais um trimestre que valeu por um ano

Semana traz agenda intensa de indicadores tanto no Brasil quanto nos EUA; cautela e volatilidade tendem a seguir em cena

EUA X China

Trump X TikTok: empresa chinesa tenta impedir proibição de downloads

Decisão judicial pode barrar restrição, que passaria a valer a partir de meia-noite deste domingo nos Estados Unidos.

A 38 dias da eleição

Trump anuncia nomeação de Barrett para a Suprema Corte

Nomeação ainda precisa ser confirmada pelo Senado, que hoje tem maioria Republicana.

Últimos ajustes

Guedes se reúne com líder do governo na Câmara para discutir Reforma Tributária

Segundo o deputado Ricardo Barros, na segunda-feira a proposta já estará fechada para uma rodada de discussão com os líderes da base governista no Congresso.

Em 2020

Pandemia tira R$ 12 bilhões em investimentos

Investimentos públicos em infraestrutura deverão ser 10% menores em relação ao estimado antes da pandemia de covid-19.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements