Menu
2018-10-16T10:35:37-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Mercados

EUA e Arábia Saudita baixam o tom e petróleo recua

Caso envolvendo desaparecimento de jornalista não deve gerar repercussões diplomáticas e quem pode dar alguma “resposta” é o setor privado

16 de outubro de 2018
10:35
trump-ArabiaSaudita-apertodemaos
Imagem: Shutterstock

A ameaça de um choque do petróleo durou pouco. Depois de mostrarem os dentes e rosnarem um para o outro, Donald Trump e Arábia Saudita resolvem trocar um sorriso, mesmo que amarelo.

Depois de falar em “punição severa”, Trump baixou o tom e disse que o rei saudita Mohammad bin Salman negou qualquer envolvimento no desaparecimento do jornalista Jamal Khashoggi, visto pela última vez na embaixada do país na Turquia.

O reino, que falou em punições ainda mais severas, e indicou que o petróleo poderia subir de US$ 80 para US$ 100%, US$ 200 “ou mesmo o dobro disso”, também contemporizou, falando que agradece a cautela dos EUA e outro países de não se precipitarem sobre investigações ainda em curso.

Depois de uma leve alta, ontem, o barril do tipo WTI operava, há pouco, com leve queda de 0,5%, na linha dos US$ 71,40.

Trump falou na possibilidade ação de assassinos independentes e pouco depois saíram notícias de que Arábia Saudita poderia falar que esses assassinos teriam operado sem consentimento do reino, livrando a família real de envolvimento direto no caso.

O presidente americano também despachou seu secretário de Estado, Mike Pompeo, para a Arábia Saudita. E segundo a “CNN” a reunião teria durado apenas 15 minutos.

O que a leitura dos periódicos internacionais sugere é que o caso não deve gerar repercussões diplomáticas e quem deve dar alguma “resposta” a essa violação dos diretos humanos do reino é o setor privado.

Alguma movimentação nesse sentido já vem ocorrendo conforme diversas empresas estão cancelado sua participação em um evento promovido pelo rei Salman, o “Davos in the Desert”, marcado para os dias 23 a 25 de outubro.

A Arábia Saudita monta um plano para reduzir a dependência do petróleo e busca elevar a atração de investimentos externos para promover uma diversificação de sua base econômica.

Seria uma inversão de fluxo, já que os sauditas são grandes exportadores de capital por seus fundos de renda soberana.

No entanto, nessa seara, ameaças de retaliação já começaram. A “Al Jazeera” informa que o ministro de relações exteriores do Bahrain, Khalid bin Ahmed Al Khalifa, tuitou que deve ocorrer um boicote ao Uber, depois que seu presidente cancelou participação no evento. Um dos fundos do país tem US$ 3,5 bilhões investidos na empresa.

O caso está gerando uma nova discussão sobre um tema delicado, a moralidade e os negócios.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

olho nos números

Relatório aponta nível baixo de investimento de estatais no 1º ano de Bolsonaro

Estatais federais executaram 45,7% dos investimentos previstos para 2019 e a aplicação dos recursos ao longo do ano foi direcionada basicamente para a Região Sudeste

Câmbio

A alta do dólar preocupa? Com a palavra, o presidente do Banco Central

Campos Neto disse que o BC avalia constantemente se a alta do dólar retarda as decisões de investimento ou contamina as perspectivas de inflação

de olho nas finanças

48% dos brasileiros não controlam o próprio orçamento, mostra pesquisa CNDL/SPC

Segundo o levantamento, a frequência de análise de orçamento é inadequada mesmo entre a maioria dos 52% de brasileiros que utilizam alguma forma de controle de suas finanças

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta terça-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

presidente ficou irritado

Assessor do Planalto é afastado por usar avião da FAB

Vicente Santini usou uma aeronave oficial para se deslocar até Nova Délhi, na Índia

Exile on Wall Street

Contágio: e agora, o que fazer?

Medo de uma grande pandemia transmitida rapidamente num mundo globalizado e interconectado encontra representação mitológica tão forte que virou blockbuster em Hollywood

Alívio

Ibovespa acompanha o exterior e opera em alta, recuperando parte das baixas de ontem

O Ibovespa ensaia uma recuperação após as perdas massivas da sessão passada, apesar de o noticiário referente ao coronavírus continuar inspirando cautela

Nunca vi contexto tão favorável para negócios no Brasil, diz CEO do Magazine Luiza

Frederico Trajano afirmou ter planos “extremamente ambiciosos” para a rede varejista nos próximos anos após oferta de ações de quase R$ 5 bilhões

atento ao cenário

Coronavírus pode reduzir previsão de crescimento, mas é cedo para cravar, diz OMC

Diretor da entidade disse que, por enquanto, há apenas especulação dos economistas apontando revisão para baixo dos números

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

12 notícias para você começar o dia bem informado

Enquanto acompanham o avanço do coronavírus, os investidores olham também para as novidades no mundo corporativo. Os números da Cielo vieram piores do que as expectativas, que já eram bem negativas. A JBS anunciou um negócio bilionário na China. E a união de Embraer e Boeing ganhou o aval do Cade.   O que você precisa saber hoje: […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements