IPCA + 8% e outros títulos ‘premium’: receba as melhores ofertas de renda fixa no seu WhatsApp

Cotações por TradingView
2018-12-03T21:15:40-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Câmbio

Banco Central faz nova oferta de dólar no mercado à vista

Leilão de linha com compromisso de recompra será de até US$ 1 bilhão com vencimento em fevereiro e março

3 de dezembro de 2018
21:15
Barquinhos de dólar
Imagem: Shutterstock

O Banco Central (BC) anunciou nova atuação no mercado à vista de câmbio para o pregão desta terça-feira. A oferta será de até US$ 1 bilhão em dois leilões, com vencimentos em fevereiro e março de 2019, entre 12h15 e 12h35, desta terça-feira.

Essa será a quarta atuação nessa modalidade que funciona como um empréstimo dos dólares das reservas internacionais com posterior retorno ao BC.

O primeiro leilão do tipo aconteceu na terça-feira da semana passada, depois que o dólar tinha disparado 2,6%, indo acima de R$ 3,90. A oferta foi de até US$ 2 bilhões. Na quarta-feira, o BC ofertou mais US$ 1 bilhão e na quinta-feira, promoveu leilão de rolagem de US$ 1,25 bilhão em linhas ofertadas em agosto que venceriam amanhã, dia 4 de dezembro.

Esse tipo de operação é usual nesta época do ano, pois as empresas que estão fechando balanços demandam mais dólares para remeter para suas matrizes. "O leilão de linha é para prover liquidez ao mercado de câmbio, como é normal nesta época do ano", disse o BC, por meio de sua assessoria, quanto retomou os leilões na semana passada.

Além dos leilões de linha, o BC vem fazendo a rolagem integral dos swaps cambiais, que equivalem à venda de dólares no mercado futuro, que vão vencer em janeiro. O estoque de contratos vincendos é de US$ 10,4 bilhões.

Nesta segunda-feira, o dólar comercial encerrou o dia negociado a R$ 3,8411, queda de 0,46%.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Day trade na B3: Oportunidade de lucro acima de 5% com ações do Hermes Pardini (PARD3); confira a recomendação

29 de novembro de 2022 - 8:29

Identifiquei uma oportunidade de swing trade baseada na análise quant – venda dos papéis do Hermes Pardini (PARD3). Veja os detalhes

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Transição começa a desemperrar: A PEC de Lula, dividendos do Itaú, desinvestimentos da Petrobras e outras notícias que mexem com os seus bolsos

29 de novembro de 2022 - 8:21

Negociações indicam que a PEC da Transição de Lula deve sofrer uma boa desidratação durante sua tramitação no Congresso. Analistas acreditam que o valor final gire em torno de R$ 150 bilhões

MERCADOS AGORA

Esquenta dos mercados: Ibovesa deve patinar na PEC da Transição e nome de Haddad para Fazenda; bolsas internacionais aguardam dados da semana em Nova York

29 de novembro de 2022 - 7:01

RESUMO DO DIA: As bolsas da Ásia e Pacífico fecharam o pregão desta terça-feira (29) majoritariamente em alta. Os investidores por lá acompanham uma possível suspensão das políticas de “covid zero” na China, em meio a protestos no país. Na Europa, o tom é levemente negativo antes dos dados de inflação da Alemanha. Por aqui, […]

AUTOMÓVEIS

Mais seguro e inteligente, o carro semiautônomo já é uma realidade; confira as opções disponíveis no mercado

29 de novembro de 2022 - 6:11

Alguns itens de segurança e de assistência ao motorista transformam carros — nem tão caros — em veículos semiautônomos

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Fora Xi Jinping? Alvo de protestos, covid zero deve afetar PIB da China, mas reação do mercado pode ter sido exagerada

29 de novembro de 2022 - 5:54

Protestos se espalharam por várias cidades chinesas pedindo o fim da política de covid zero, que tortura o país há mais de dois anos, prejudicando a atividade econômica e o bem-estar das famílias chinesas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies