Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T13:52:23-03:00
Estadão Conteúdo
Onda das importações

Balança comercial tem superavit de US$ 4,97 bilhões em setembro

Resultado do mês passado foi influenciado pelo forte aumento das importações, que somaram US$ 14,12 bilhões

1 de outubro de 2018
16:03 - atualizado às 13:52
exportações
Em relação a setembro de 2017, as exportações subiram 7,7% e as importações, 10,2%Imagem: Shutterstock

Com aumento expressivo nas importações, a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 4,971 bilhões em setembro, de acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

O valor é 3,9% menor do que o registrado em setembro do ano passado. O saldo comercial do mês passado ficou dentro do intervalo da pesquisa do Projeções Broadcast, que varia de um superávit de US$ 4,3 bilhões a US$ 6,4 bilhões, mas abaixo da mediana das projeções, de US$ 5,750 bilhões.

Na quarta semana de setembro(24 a 30), o saldo comercial foi de um superávit de US$ 1,030 bilhão.

No mês passado, as exportações somaram US$ 19,087 bilhões, uma alta de 7,7% ante setembro de 2017. Já as importações chegaram a US$ 14,116 bilhões, um salto de 10,2% na mesma comparação.

No mês, houve um aumento nas importações de combustíveis e lubrificantes (+24,7%), bens intermediários (+10,0%), bens de capital (+5,9%) e bens de consumo (+1,1%).

Pelo lado das exportações, houve alta nas vendas de produtos básicos (+21,1%), semimanufaturados (+3,0%), enquanto caíram as de manufaturados (-4,2%).

De janeiro a agosto, o superávit comercial soma US$ 42,648 bilhões, saldo 19,9% menor do que o registrado no mesmo período do ano passado. A previsão do governo para 2018 é que o saldo da balança comercial alcance um saldo acima de US$ 50 bilhões.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Juros em alta

Rumo aos 6% + IPCA? Taxas do Tesouro Direto sobem forte após Copom, e títulos atrelados à inflação já pagam mais de 5,5% a.a. de juro real

Com alta da Selic para 7,75%, juros futuros dispararam nesta quinta, fazendo taxas do Tesouro Direto subirem ainda mais

De olho na estatal

Após novas falas de Bolsonaro sobre privatização, CVM vai investigar a Petrobras (PETR4)

A autarquia abre processo administrativos quando entende que precisa acompanhar os desdobramentos de algum assunto

ENRIQUEÇA ATÉ 2024

‘Investir muito em Bitcoin é coisa de imbecil’: estes 14 investimentos já dispararam até 1300% e têm potencial para te deixar rico

Apesar do hype das criptomoedas, existem outras ‘pechinchas exponenciais’ que estão fora do radar de muitos investidores; conheça

Um brinde

A Ambev (ABEV3) nunca vendeu tanta cerveja como no 3º trimestre. E as ações disparam na bolsa

A gigante de bebidas registrou lucro líquido de R$ 3,6 bilhões no terceiro trimestre, alta de 50% e acima do esperado pelo mercado. Hora de comprar a ação?

MERCADOS HOJE

Entre balanços positivos e nova elevação da Selic, Ibovespa opera instável; dólar avança

Após a decisão do Copom de elevar em 1,5 ponto percentual a Selic, o mercado já espera mais para a próxima reunião. O impasse em Brasília pressiona ainda mais a curva de juros e já precifica uma alta de 1,75 p.p no próximo encontro.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies