Menu
2018-10-25T19:01:30-03:00
Estadão Conteúdo
Rede de varejo

Lucro líquido da Lojas Renner sobe 38,4% no 3º trimestre, para R$ 194,2 milhões

Crescimento da margem bruta do varejo e do resultado financeiro foram os elementos que mais impulsionaram o lucro

25 de outubro de 2018
19:01
Lojas Renner
Lojas Renner - Imagem: Shutterstock

A rede varejista Lojas Renner registrou um lucro líquido de R$ 194,2 milhões no terceiro trimestre deste ano, um resultado 38,4% superior ao do mesmo período do ano passado.

Segundo a empresa, a expansão de 0,4 ponto porcentual da margem bruta do varejo, para 54,3%, em conjunto com o crescimento superior da receita frente às despesas e o melhor resultado financeiro puxaram o lucro líquido. Adicionalmente, a última linha do balanço foi impulsionada por uma menor alíquota efetiva de IR e pelo reconhecimento de R$ 24,7 milhões, referentes à decisão judicial transitada em julgado relativa à dedução fiscal do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT).

"Foi um bom terceiro trimestre, com crescimento robusto, em vendas mesmas lojas, num ritmo acima da inflação. Mesmo em um ambiente ainda de baixa atividade econômica, conseguimos ganhos de margem e maior controle de despesas", afirmou ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Lojas Renner, Laurence Gomes.

O Ebitda ajustado total somou no terceiro trimestre R$ 347 milhões, representando uma alta de 15,9%, enquanto a margem Ebitda expandiu-se 0,5 ponto porcentual, para 20,3%. Apenas nas operações de varejo, o Ebitda ajustado avançou 29,3%, para R$ 260,3 milhões, com uma margem 1,9 ponto porcentual superior (15,2%).

A receita líquida das vendas de mercadorias atingiu R$ 1,711 bilhão, um incremento de 13,1%. Já as despesas operacionais avançaram num ritmo inferior, de 12,6%. As vendas no conceito mesmas lojas no terceiro trimestre cresceram 6,9%, porcentual abaixo do observado no mesmo intervalo do ano passado, que foi de 13,4%.

Segundo o executivo, as vendas em outubro estão "alinhadas às expectativas e ao planejamento". "O terceiro trimestre foi um período em que as vendas foram melhorando mês a mês", comentou. Gomes afirmou ainda que o ambiente competitivo esteve "saudável", contribuindo para que empresa mantivesse "uma política coerente de preços" e sem remarcações.

No lado do resultado financeiro, a Renner registrou uma queda de 18,1% nas despesas líquidas, que atingiram R$ 17,5 milhões. A diminuição foi consequência da redução no custo de financiamento e do endividamento estrutural. A variação cambial foi positiva em R$ 800 mil, ante um resultado negativo de R$ 500 mil de um ano antes.

O endividamento líquido encerrou o terceiro trimestre em R$ 799,4 milhões, frente a R$ 842,1 milhões no término do mesmo período de 2017. A relação entre a dívida líquida e o Ebitda ficou em 0,49 vez, ante 0,58 vez na comparação anual.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Balanço

Setor público tem superávit primário de R$ 2,953

O resultado primário reflete a diferença entre receitas e despesas do setor público, antes do pagamento da dívida pública

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Divórcio amigável

Itaúsa sinaliza que pode aceitar proposta da XP por ações da corretora

Holding que é uma das principais acionistas do Itaú Unibanco avaliou como positiva a proposta da XP Investimentos pelas ações com “supervoto” da corretora que hoje estão nas mãos do banco

mercados hoje

Ibovespa tenta manter rali em meio à queda em NY; dólar cai de olho em agenda econômica

Índice caminha para terminar novembro em alta de 18%, enquanto moeda norte-americana deve fechar mês caindo 8%

Razões para sorrir

Com estratégia pulverizada ao longo de novembro, Black Friday fez Magalu crescer mais de 100% no digital

Na ressaca da Black Friday, os investidores pesam o desempenho das companhias de varejo nos últimos dias. Por volta das 10h50, as ações do Magalu subiam 2,03%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies