Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T14:08:38-03:00
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Balança favorável

Brasil tenta digerir crítica de Trump

Para secretário de comércio exterior, relação comercial entre países vem sendo positiva e crescente nos últimos anos

2 de outubro de 2018
7:33 - atualizado às 14:08
Presidente dos EUA, Donald Trump
Para o Brasil, as transações geraram um saldo superavitário de US$ 45 milhões no ano - Imagem: Shutterstock

O ataque do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, às "dificuldades impostas pelo Brasil" no comércio exterior ontem vieram como uma surpresa ao governo.

Ao jornal "Estado de S. Paulo", o secretário de comércio exterior do Ministério da Cultura (Mdic), Abrão Neto, disse que ainda é preciso "entender o contexto das declarações".

Isso porque, de acordo com Neto, a balança comercial entre os dois países tem sido favorável aos EUA, com um saldo positivo para os norte-americanos em US$ 90 bilhões.

"A relação comercial entre Brasil e EUA tem um viés positivo e crescente nos últimos anos", afirmou. Depois da China, os EUA são o segundo principal parceiro comercial do Brasil.

Em alta

Em 2018, as exportações brasileiras para os americanos subiram 6,2% enquanto as importações de produtos norte-americanos subiram 13,3%. Para o Brasil, as transações geraram um saldo superavitário de US$ 45 milhões no ano. "Nossa avaliação é que ainda há uma avenida de temas a serem discutidos e que podem aprofundar ainda mais as relações dos dois países", disse Neto ao jornal.

Novo 'Nafta'

Na madrugada da segunda-feira, os EUA chegaram a um acordo com o Canadá para reformular o NAFTA. Neto explica que o Brasil não deve ser afetado pelo acordo, mas está atento aos impactos que isso pode ter em indústrias específicas. "Temos que analisar melhor o acordo em relação ao setor automotivo, por exemplo, mas a tendência é que o Brasil continue tendo acesso ao mercado desses três países", disse.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Petrobras privatizada vira possibilidade, Itaú revisa projeções para o Brasil e outros destaques

A proximidade do ano eleitoral não aprofunda apenas as discussões sobre o aumento de gastos do governo com medidas assistencialistas, como o Auxílio Brasil e o auxílio aos caminhoneiros, confirmados na semana passada após uma manobra no teto de gastos. Com outubro engatando a reta final, restam poucas folhas no calendário de 2021 e oportunidades […]

privatização no radar

Petrobras (PETR4) pede que governo explique estudo para venda de ações; papéis dispararam mais de 6% com rumores sobre privatização

Mais cedo, Bolsonaro reafirmou que a privatização “entrou no radar” do governo, mas destacou que o processo é uma “complicação enorme” e não deve sair tão cedo

FECHAMENTO DO DIA

Petrobras na mira da privatização ajuda Ibovespa a recuperar parte das perdas recentes e bolsa sobe 2%; dólar cai a R$ 5,56

Os investidores começam a semana ainda digerindo a confirmação do rompimento do teto de gastos, mas como a situação deixou de ser especulativa, abriu espaço para uma recuperação puxada pela Petrobras

FINANCIAL PAPERS

Polêmica com vazamentos não afeta balanço do Facebook (FBOK34) e ações avançam em NY

Mais cedo, o noticiário sobre a empresa era dominado por notícias menos favoráveis com a divulgação dos “The Facebook Papers”

Vídeo

All time high do Bitcoin: como fica o mercado de criptos com a principal moeda em alta?

Analista de criptomercado comenta sobre a situação atual desse cenário

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies