Menu
2020-12-30T11:14:32-03:00
Estadão Conteúdo
Após meses de espera...

Trump encerra impasse e assina pacote nos EUA de ajuda de US$ 900 bi

O presidente também disse esperar que o Congresso vote uma medida separada para elevar os pagamentos diretos a US$ 2 mil.

28 de dezembro de 2020
8:13 - atualizado às 11:14
Donald Trump e mercados
Imagem: Shutterstock

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou na noite do domingo, 27, um pacote de ajuda de US$ 900 bilhões à economia diante da pandemia da covid-19, o que encerra um impasse no Congresso e abre caminho para milhões de americanos receberem alívio econômico, em meio à crise de saúde.

Na semana passada, Trump se mostrava contrário à legislação, após ela ter sido aprovada no Congresso com grande apoio bipartidário, ao pedir que os congressistas elevassem o tamanho dos pagamentos diretos de US$ 600 por adulto e por criança a US$ 2 mil, para as pessoas com renda bruta ajustada abaixo de US$ 75 mil ao ano.

Por fim, Trump firmou a lei, sob pressão dos dois partidos. Em comunicado, ele pediu que o Congresso retire o que considera gastos inúteis na lei e disse que enviará aos legisladores uma lista de provisões que deseja eliminar - um esforço que a oposição democrata promete bloquear.

O presidente também disse esperar que o Congresso vote uma medida separada para elevar os pagamentos diretos a US$ 2 mil.

A Câmara dos Representantes já se prepara para votar essa lei nesta segunda-feira. Trump afirmou que o Senado iria "começar o processo de votar o aumento nos pagamentos diretos, bem como investigar supostas fraudes eleitorais. "Muito mais dinheiro está vindo", disse Trump. "Eu nunca desistirei de minha luta pelo povo americano!".

Um porta-voz do líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, não quis comentar ao ser questionado sobre a legislação que Trump disse que a Casa avaliaria.

O Senado deve voltar ao trabalho nesta terça-feira, quando McConnell deve falar. Em comunicado, o senador agradeceu a confirmação da lei por Trump, lembrando que ela inclui um ano completo de financiamento para os gastos do governo, evitando uma paralisação parcial das atividades da administração pública ("shutdown").

O pacote assinado por Trump inclui US$ 1,4 trilhão para continuar a financiar o governo até setembro, medida que para Trump inclui gastos inúteis em ajuda ao exterior, o que ele pretendia tentar congelar. Uma fonte democrata disse que a Câmara dos Representantes barrará essa tentativa do atual presidente.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

prévias

Eztec tem queda de 48% nas vendas no quarto trimestre

Lançamentos da empresa atingiram R$ 380,8 milhões, chegando a R$ 1,150 bilhão no ano – 85% a mais do que no terceiro trimestre

seu dinheiro na sua noite

2 milhões de mortos, 2 trilhões em estímulos e uma queda de mais de 2%

Se a primeira semana de 2021 nos mercados refletiu o otimismo geral com o novo ano que se iniciava, com perspectivas de vacinação contra o coronavírus e recuperação econômica, na segunda semana do ano, os investidores optaram pela cautela. Por ora, 2020, o ano do qual todos queríamos nos livrar, ainda não ficou para trás. […]

FECHAMENTO

Atritos políticos e covid-19 voltam para assombrar o mercado e Ibovespa recua mais de 2%; dólar sobe forte

Existe uma certa desconfiança de que o plano de US$ 1,9 trilhão apresentado por Biden encontre dificuldades de ser aprovado pelo Congresso, ainda que o democrata tenha conquistado a maioria das duas casas. No Brasil, situação do coronavírus reacende a pressão sobre o cenário fiscal

match com o mercado?

Concorrente do Tinder, Bumble pode levantar US$ 100 milhões em IPO

Ações da empresa estreiam em fevereiro na Nasdaq; companhia, que é dona do Badoo, não deu lucro no ano passado

pandemia

Itamaraty confirma que Índia atrasará entrega de vacinas

Chanceler indiano atribuiu o atraso na liberação a “problemas logísticos” decorrentes das dificuldades de conciliar o início da campanha de vacinação no país de mais de 1,3 bilhão de habitantes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies