Menu
2020-10-05T18:21:33-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
início de semana positivo

Enfim, calmaria: bolsa sobe mais de 2% com melhora de Trump e alívio no risco fiscal

Evolução do quadro de saúde de Trump e notícia de que o Renda Cidadã respeitará o teto de gastos animaram Ibovespa. Dólar cai abaixo de R$ 5,60 e juros recuam

5 de outubro de 2020
18:21
Selo Mercados FECHAMENTO Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Ibovespa começou a semana com o pé direito em um dia de calmaria nos mercados financeiros globais. O cenário local, que nos últimos tempos vem despertando cautela nos investidores, desta vez aproveitou para dar uma mãozinha na produção dessa receita doce.

Enquanto se tornava claro que o quadro de saúde do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, evoluía positivamente em direção a uma alta hospitalar, e um acordo de estímulos era negociado por autoridades do país, o ambiente político em Brasília aliviava percepção sobre o risco de pedalada e derrubada do teto de gastos.

Em uma indicação de compromisso fiscal do governo, o senador Marcio Bittar, relator do Renda Cidadã, disse que o programa social do governo respeitará o teto. Além disso, afirmou que "toda demanda tem que passar por carimbo da equipe" do ministro da Economia.

"A perspectiva dessa notícia é positiva do ponto de vista fiscal, é possivelmente menos um problema sobre as contas públicas, os mercados reagiram bem", disse Paloma Brum, analista de investimentos da Toro Investimentos.

Segundo ela, o primeiro movimento da bolsa refletia o exterior positivo, mas o principal índice acionário da B3 só acelerou a alta após o pronunciamento de Bittar.

No fim do dia, o Ibovespa fechou em avanço de 2,21%, aos 96.089,19 pontos.

As dúvidas sobre o financiamento do programa Renda Cidadã geraram cautela nos investidores na semana passada, após a polêmica com a possibilidade do uso de precatórios e parte do Fundeb para bancar a medida.

Hoje, o jornal Folha de S. Paulo noticiou que o governo estuda acabar com o desconto de 20% do Imposto de Renda para aqueles que entregam a declaração simplificada do IR.

Top 5

As ações das siderúrgicas estiveram entre os grandes destaques do dia no Ibovespa, acompanhando a alta do índice de metais em Nova York. Confira as principais altas:

CÓDIGOEMPRESAVALORVARIAÇÃO
IRBR3IRB ONR$ 8,656,92%
GOAU4Metalúrgica Gerdau PNR$ 9,876,70%
USIM5Usiminas PNR$ 10,605,79%
GGBR4Gerdau PNR$ 21,795,78%
ELET3Eletrobras ONR$ 31,365,70%

Enquanto isso, as ações da Cogna estiveram entre as maiores perdas do índice, após o JP Morgan rebaixar a sua recomendação de neutra para venda. O banco avalia que o cenário é pior para o segmento de ensino presencial da companhia. Confira as principais quedas do Ibovespa hoje:

CÓDIGOEMPRESAVALORVARIAÇÃO
CVCB3CVC ONR$ 14,45-2,89%
COGN3Cogna ONR$ 5,32-1,48%
EMBR3 Embraer ON R$ 6,41 -1,23%
CIEL3Cielo ONR$ 3,90-0,76%
LAME4Lojas Americanas PNR$ 28,47-0,42%

Trump de saída do hospital

As bolsas americanas terminaram o dia com ganhos firmes, com a melhora no quadro de saúde de Trump.

O S&P 500 avançou 1,8%, enquanto o Dow Jones registrou ganhos de 1,68% e a Nasdaq, 2,32%.

Trump segue internado, mas deixará o hospital Walter Reed às 19h30 no horário de Brasília, conforme informou em sua conta oficial no Twitter.

O republicano foi internado na sexta em um momento decisivo da campanha presidencial. Joe Biden, candidato do partido democrata, tem atualmente a dianteira nas pesquisas de intenção de voto.

"Me sentindo muito bem! Não tenha medo da Covid. Não deixe isso dominar a sua vida!", escreveu Trump em sua conta oficial na rede social. "Eu me sinto melhor do que há 20 anos!", completou o presidente.

Além disso, está no radar do mercado o acordo para definir o tamanho do estímulo fiscal à economia dos EUA.

A presidente da Câmara dos Deputados do país Nancy Pelosi falou hoje com o secretário do Tesouro Steven Mnuchin a respeito da medida. Amanhã deverá ocorrer nova conversa entre os dois para definir um acordo sobre a legislação, que foi dificultado pela contaminação de Trump pelo coronavírus.

Dólar chega a cair 2%

Em meio a um cenário de busca por risco nos mercados globais, o dólar operou em forte queda e fechou em baixa de 1,82%, a R$ 5,56.

Na mínima, a divisa chegou a recuar em relação ao real 2,10%, embalada por boas notícias vindas tanto do exterior quanto no doméstico.

A perspectiva de alta de Trump e de que haverá mais estímulos fiscais induziu à tomada de risco, enfraquecendo a moeda norte-americana, normalmente para a qual os investidores correm quando as coisas apertam.

O dólar também caiu em relação ao peso mexicano e ao rublo russo, moedas pares do real.

"Existe um noticiário favorável para essa queda", diz Camila Abdelmalack, economista da Veedha Investimentos. "Aqui, não há um fato novo muito ruim, ainda articula-se reaproximação entre [Rodrigo] Maia e Guedes, e, então, há um espaço para a recuperação."

Juros recuam

As taxas dos contratos de depósitos interbancários negociados em bolsa fecharam em queda, refletindo a melhora do risco fiscal com a perspectiva de que o teto de gastos vai permanecer intocado.

Os juros dos contratos com vencimento em 2022 e 2023, por exemplo, caíram 0,2 ponto, em um alívio comparado ao estresse do fim da semana passada.

"O mercado está em movimento de recuo em relação a sexta-feira", disse Paulo Nepomuceno, da mesa de derivativos da corretora Terra Investimentos. "Hoje vimos desde o início do dia indicações por quase todo meio político de que o teto de gastos será respeitado."

Segundo Nepomuceno, os agentes financeiros exageraram na cautela na sexta, quando os mercados locais foram arrastados pela quarentena de Trump e pelo desacordo entre Guedes e Marinho.

Na ocasião, diz ele, a curva de juros inclinou-se ainda mais, uma vez que a percepção de risco fiscal gerou a expectativa de que seriam necessárias altas de juros no futuro.

"Agora, com a perspectiva de que o teto não vai ser furado, o mercado se acalmou e bem", afirma Nepomuceno.

Veja o fechamento as taxas de juros de alguns dos contratos:

  • Janeiro/2021: de 2,06% para 2,00%;
  • Janeiro/2022: de 3,43% para 3,23%;
  • Janeiro/2023: de 4,9% para 4,67%;
  • Janeiro/2025: de 6,74% para 6,51%.
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

NÚMEROS DA PANDEMIA

Brasil registra 1.428 novas mortes por covid-19

Em 24 horas foram confirmados 66.588 novos casos de covid-19, segundo dados do Ministério da Saúde

Décimo Andar

Existe valor nas lajes corporativas? Sim, e eu apresento um fundo imobiliário para você investir

A partir de hoje, publicarei um conteúdo mensal com objetivo de entregar as melhores ideias de investimento atreladas ao mercado imobiliário, sendo a indústria de FIIs o principal veículo

Fechou bem o ano

Petrobras tem lucro de quase R$ 60 bi no 4º trimestre e anuncia R$ 10 bi em dividendos

Alta extraordinária de 635% no lucro teve influência de itens não recorrentes de peso, mas mesmo o lucro recorrente totalizou R$ 28 bilhões, alta de 120% na comparação anual; em 2020, estatal lucrou R$ 7,1 bilhões, queda de 82% em relação a 2019

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Quanto vale a Eletrobras privatizada

Ontem à noite, o governo federal entregou ao Congresso a Medida Provisória que possibilita a privatização da Eletrobras e de quase todas as suas subsidiárias. O procedimento será feito por meio de uma capitalização que vai diluir a participação da União, que apenas manterá uma ação com poderes especiais de veto, a chamada golden share. […]

FECHAMENTO

Eletrobras dá susto na reta final, mas Ibovespa segue se recuperando do tombo recente; dólar recua

Estatais seguem se recuperando do tombo recente e a bolsa brasileira também conta com uma ajudinha do exterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies