Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2022-01-07T23:35:30-03:00
Carolina Gama
MEMÓRIAS DO CAOS

Um ano após invasão do Capitólio, Biden ataca Trump em discurso e volta a empolgar analistas

Presidente norte-americano chama antecessor de mentiroso e perdedor em um dos discursos considerados mais duros de sua gestão

6 de janeiro de 2022
16:44 - atualizado às 23:35
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, grita ao microfone

Há um ano o mundo olhava com atenção para uma crise democrática nos Estados Unidos. Agora, a preocupação é outra, com a taxa de juros norte-americana no radar dos investidores, mas nem por isso as questões políticas foram deixadas de lado. 

Em discurso duro e considerado um dos melhores desde a vitória nas eleições de novembro de 2020, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, relembrou a invasão do Capitólio — prédio em Washington que abriga o Congresso norte-americano — e acusou seu antecessor, Donald Trump, de ser uma ameaça à democracia. 

"Para dizer o óbvio, há um ano, neste local sagrado, a democracia foi atacada. A nossa constituição enfrentou a sua maior ameaça", disse Biden na abertura do discurso, acrescentando que quem salvou o Estado de direito foi a polícia e que "nós, o povo, aguentamos e prevalecemos".

Para a pesquisadora sênior do Atlantic Council, Emma Ashford, o discurso mais duro de Biden tenta reverter a frustração da comunidade externa com a resposta aos eventos no Capitólio. 

“Os Estados Unidos devem primeiro fortalecer sua capacidade de proteger a democracia em casa antes de tentar promovê-la no exterior”, afirmou. 

Para o presidente e fundador do Eurasia Group, Iam Bremmer, as coisas voltaram aos eixos nos Estados Unidos desde a invasão do prédio do Congresso, em 6 de janeiro de 2021. “Desde então, a política dos Estados Unidos tem funcionado conforme o esperado - e temido”, afirmou. 

Mentiroso sem citar nomes

O atual chefe da Casa Branca não mencionou o nome de Trump em nenhum momento do discurso, mas falou de um ex-presidente derrotado, mentiroso e perdedor. 

Biden afirmou que o republicano contou três mentiras: que o dia da eleição não representou a vontade dos norte-americanos, mas, sim o dia da invasão; que os resultados das eleições de 2020 não eram confiáveis; e que quem invadiu o prédio do Congresso era patriota.

Ao listar todos os atos dos invasores em 6 de janeiro de 2021, Biden disse que o então presidente dos Estados Unidos "não fez nada durante horas enquanto o Capitólio estava cercado".

"Nós vimos com os nossos próprios olhos, ameaçaram a vida da presidente da Câmara dos Deputados, [Nancy Pelosi], queriam enforcar o vice-presidente dos Estados Unidos, [Mike Pence]", afirmou Biden. 

Trump: Banido sim, calado nunca

Embora banido do Twitter, Trump reagiu à fala de Biden logo após o discurso e divulgou um comunicado em que acusa o presidente norte-americano de "tentar dividir ainda mais os Estados Unidos".

"Todo esse teatro político é apenas uma distração para o fato de Biden ter falhado completa e totalmente", afirmou Trump na nota.

O republicano acabou desmarcando um pronunciamento que faria nesta quinta-feira (6) em Mar-a-Lago, onde tem um resort luxuoso. A expectativa agora é de que ele faça um discurso que inclua a invasão do Capitólio no dia 15 de janeiro, no Arizona. 

O fatídico 6 de janeiro de 2021

No dia 6 de janeiro de 2021, o mundo assistiu perplexo a cenas de caos. Seguidores de Trump invadiram a sede do Congresso dos Estados Unidos para tentar reverter a derrota do republicano nas urnas.

A invasão ocorreu após um discurso de Trump convocando seus apoiadores a contestarem o resultado do pleito de novembro de 2020 no mesmo momento em que os legisladores se preparavam para confirmar Biden como o novo presidente norte-americano.  

O que se viu na sequência foram cenas de vandalismo no Capitólio, que resultaram em cinco mortos, entre eles, um policial. Desde então, mais de 700 pessoas já foram presas e indiciadas pelo ataque. 

"O ex-presidente estava em dúvida de que iria vencer e construiu essa mentira por meses. Não era baseado em fatos. Ele queria uma desculpa para cobrir a verdade. Ele não é um ex-presidente, ele é um ex-presidente derrotado. Não há nenhuma prova de que os resultados estavam errados", disse Biden.

Veja também - Vale a pena comprar bitcoin (BTC) a qualquer preço; entenda por que

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

PRECAUÇÃO EXTRA

Cautela demais atrapalha os negócios? Não para o Bradesco (BBDC4): banco cria nova vice-presidência focada na gestão de riscos

A nova vertical abrangerá as áreas de compliance, conduta, ética e demais setores ligados à gestão de ameaças corporativas

FECHAMENTO DOS MERCADOS

Ibovespa ignora tensão pré-Fed e sobe mais de 2%, fechando no melhor nível desde outubro; dólar volta aos R$ 5,43

O dia tinha tudo para ser como ontem, mas o Ibovespa encontrou forças para voltar aos 110 mil pontos e recuperar as perdas da semana

CRIPTOMOEDAS HOJE

Bitcoin (BTC) sobe forte e apaga parte da queda brusca na semana; veja como operam as principais criptomoedas do mercado

Como outros ativos do risco, a moeda digital também foi afetada pelas tensões entre entre Ucrânia e Rússia nos últimos dias, mas encontrou fôlego para avançar hoje

INTERRUPÇÃO TEMPORÁRIA

Banco Central suspende sistema para consulta de dinheiro ‘esquecido’ em bancos; veja o que está por trás do bloqueio

O BC precisou interromper o funcionamento do sistema lançado ontem após enfrentar instabilidades geradas pelo grande volume de acessos

NOVA DEBANDADA?

Mais um técnico da área de Orçamento da Economia deixa cargo e expõe novo desgaste na equipe de Paulo Guedes

O movimento de saída é comum no último ano de governo, mas agora tem ocorrido mais cedo, ainda no primeiro mês de 2022

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies