Menu
2018-10-02T14:37:16-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Joint venture

Boeing e Embraer apostam em nova linha de produção militar nos EUA

Empresas usarão instalações para produzir aviões cargueiros que poderão ser revendidos a países aliados do governo americano

2 de outubro de 2018
6:41 - atualizado às 14:37
KC-390
Aviões serão produzidos nos EUA e poderão ser revendido aliados do governo norte-americano - Imagem: shutterstock

A negociação de uma joint venture na área de defesa entre as fabricantes de avião Embraer e Boeing incluirá a instalação de uma linha de montagem nos Estados Unidos do cargueiro militar KC-390, um dos projetos mais promissores da empresa brasileira. A informação é do jornal "Valor Econômico".

Ao contrário da parceria entre as empresas na área de aviação comercial - anunciada em julho - , a joint venture no setor de defesa terá a Embraer como sócia controladora. A participação exata da brasileira no negócio ainda não foi definida. A fábrica da Embraer em Gavião Peixoto (SP), onde o KC-390 vem sendo desenvolvido, deverá ser mantida e ficará de fora do acordo.

Nos EUA, a cidade em que a unidade fabril será instalada ainda não foi definida e há conversas em andamento com governos de estados para obtenção de isenções fiscais.

Principal cliente

Com essa fábrica fora do Brasil e com a joint venture, o KC-390 poderá ser vendido diretamente ao governo americano. Hoje, para a Embraer comercializar a aeronave militar Super Tucano com Washington, a negociação precisa ser feita via a empresa americana Sierra Nevada.

A parceria na área militar permitirá ainda que a Embraer venda a aeronave para países aliados do governo americano no programa Foreign Military Sales, que facilita a comercialização de equipamentos de defesa americanos. Coreia do Sul e Cingapura, por exemplo, estão entre os parceiros no programa.

O KC-390 é o maior avião já desenvolvido no Brasil. A Força Aérea Brasileira (FAB) já encomendou 28 aeronaves, no valor de US$ 7,2 bilhões, a serem entregues nos próximos 12 anos - a primeira no ano que vem. Procurada, a Embraer afirmou em nota que a produção do KC-390 será mantida em Gavião Peixoto. Já a Boeing não quis se pronunciar.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Lista de projetos

Novos shoppings de luxo da JHSF vão operar no estilo da loja Harrods

Companhia tira do papel o Cidade Jardim Shops, que terá cerca de 60 lojas na região dos Jardins, e planeja outro de 130 lojas no Itaim Bibi

Aí não!

Episódios contra a liberdade de imprensa podem afastar investidores, alerta Maia

Presidente da Câmara se pronunciou sobre a ofensa do presidente Bolsonaro à jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de S.Paulo

No aguardo

Secretário diz que modelo para privatização da Eletrobras está sendo elaborado

Proposta estaria sendo “remodelada” para se adequar às demandas dos senadores

Planos sob risco

AGU alerta para riscos de derrubada de decreto que facilita venda de ativos da Petrobras

Editado no governo Temer, o decreto permite à Petrobras vender, por exemplo, blocos de petróleo sem licitação

Novidade tecnológica

Banco Central lança o PIX, meio de pagamento que será mais prático que TED, DOC e boleto

Instituições financeiras e de pagamento com mais de 500 mil contas serão obrigadas a oferecer a opção

Nova alta

Petrobras anuncia aumento de 3% no preço médio da gasolina

Com o reajuste, o litro da gasolina subiu em média R$ 0,0512

Martelo batido

Cade aprova negócio da Brink’s, mas proíbe empresa de fazer aquisições por 3 anos

Conselho proibiu que a empresa adquira novas companhias de transporte de valores por três anos em todo o País

Fica como está

Cade rejeita recurso do MPF e mantém aprovação da compra da Embraer pela Boeing

Relator do processo entendeu que a lei não permite que o MPF recorra em casos de atos de concentração já aprovados

Puxando para baixo

FMI prevê economia global com recuperação frágil e dominada por riscos baixistas

Informação faz parte de um relatório produzido pela entidade para a reunião dos líderes das economias do G-20, marcada para esta semana

Aos números

Lucro da Caixa aumenta 20,6% em 2019 e chega a R$ 14,7 bilhões

Ano do banco foi marcado por uma agenda de vendas de ativos e devolução de recursos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements