Menu
2019-04-04T13:54:51-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Guinadas na economia

Para Eduardo Bolsonaro, EUA devem ser prioridade nas relações comerciais brasileiras

Deputado federal reeleito disse que pretende fazer do comércio com os americanos sua principal linha de ação

6 de dezembro de 2018
15:53 - atualizado às 13:54
eduardo-bolsonaro
Eduardo Bolsonaro quer dar prioridade para as relações Brasil-Estados Unidos - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Filho do presidente eleito Jair Bolsonaro e deputado federal mais votado nas eleições de 2018, Eduardo Bolsonaro está empenhado em fazer das relações dos Estados Unidos com o Brasil sua principal linha de ação na Câmara e no governo de seu pai.

Ele concedeu uma entrevista nesta semana ao jornal Valor Econômico e lá afirmou que sua grande meta é ampliar o comércio com os americanos. Na opinião de Eduardo, a China somente ultrapassou os Estados Unidos como maior parceiro comercial brasileiro por "razões ideológicas". Ele ressalta, porém, que mesmo com a volta dos americanos ao topo, os asiáticos devem sem manter entre os maiores parceiros.

O deputado reeleito também disse que a política de boa vizinhança com o governo de Donald Trump tem tudo para ser a principal bandeira do novo governo. "Imagina só, você destravando esses obstáculos, o quanto que a gente não poderia gerar de emprego aqui, melhorar nossa infraestrutura, por exemplo, para escoar nossos produtos agrícolas".

Tour do esclarecimento

O pontapé inicial desse projeto aconteceu algumas semanas atrás, quando Eduardo viajou aos Estados Unidos com a missão de "vender" a equipe de Bolsonaro para os gringos. Ele disse ter ouvido queixas dos americanos sobre as dificuldades para investir no país e os alertou que a reforma da Previdência talvez não saia do papel.

De acordo com o deputado, os americanos estão curiosos para saber as transformações que o novo governo está fazendo no País. "Por vezes há uma carência de informação. Nem sempre a informação chega até lá ou, se chega, não chega fidedigna", explicou.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

prévias

Eztec tem queda de 48% nas vendas no quarto trimestre

Lançamentos da empresa atingiram R$ 380,8 milhões, chegando a R$ 1,150 bilhão no ano – 85% a mais do que no terceiro trimestre

seu dinheiro na sua noite

2 milhões de mortos, 2 trilhões em estímulos e uma queda de mais de 2%

Se a primeira semana de 2021 nos mercados refletiu o otimismo geral com o novo ano que se iniciava, com perspectivas de vacinação contra o coronavírus e recuperação econômica, na segunda semana do ano, os investidores optaram pela cautela. Por ora, 2020, o ano do qual todos queríamos nos livrar, ainda não ficou para trás. […]

FECHAMENTO

Atritos políticos e covid-19 voltam para assombrar o mercado e Ibovespa recua mais de 2%; dólar sobe forte

Existe uma certa desconfiança de que o plano de US$ 1,9 trilhão apresentado por Biden encontre dificuldades de ser aprovado pelo Congresso, ainda que o democrata tenha conquistado a maioria das duas casas. No Brasil, situação do coronavírus reacende a pressão sobre o cenário fiscal

match com o mercado?

Concorrente do Tinder, Bumble pode levantar US$ 100 milhões em IPO

Ações da empresa estreiam em fevereiro na Nasdaq; companhia, que é dona do Badoo, não deu lucro no ano passado

pandemia

Itamaraty confirma que Índia atrasará entrega de vacinas

Chanceler indiano atribuiu o atraso na liberação a “problemas logísticos” decorrentes das dificuldades de conciliar o início da campanha de vacinação no país de mais de 1,3 bilhão de habitantes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies