Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T14:00:39-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Trump na ONU

O “America First” parece que nunca esteve tão forte

Presidente americano, Donald Trump, discursou de forma polêmica e incisiva na abertura da Assembleia Geral da ONU

25 de setembro de 2018
15:13 - atualizado às 14:00
America First
Discurso de Trump na ONU deixou a sensação de que o "America First" nunca esteve tão em altaImagem: Shutterstock

Quem esperava por um discurso mais conciliador de Donald Trump na Assembleia Geral da ONU aberta nesta terça-feira, 25, se decepcionou. O presidente americano manteve firmes todas as suas posturas polêmicas com relação à política e principalmente ao comércio mundial. O "America First" nunca esteve tão forte.

Trump voltou a criticar a China e suas relações comerciais. Chamou de "distorções" as políticas chinesas e acusou o gigante asiático de violar todos os princípios da OMC (Organização Mundial do Comércio). Deu tempo até de ameaçar outros países que "tiram vantagem" dos Estados Unidos.

A onda das sanções não para

Outro alvo constante do discurso do líder americano foi o Irã que, segundo Trump, possui um regime político com "agenda sangrenta". Ele pediu que o resto do mundo se una aos Estados Unidos para isolar o Irã e prometeu mais sanções contra o país em novembro.

Por falar em sanções, as medidas contra a Coreia do Norte também seguirão firmes até a desnuclearização do país. O americano puxou a sardinha para o seu lado ao provocar outras nações dizendo que os Estados Unidos fizeram mais do que qualquer outro país pela paz na Coreia.

Outro assunto da agenda protecionista do governo Trump foi a imigração ilegal que "abastece o crime, a violência e a pobreza" e o que chamou de "regimes socialistas produtores de pobreza". Nesse sentido, ele pediu para que todas os países da ONU se unam para acabar com o governo de Nicolás Maduro na Venezuela e disse que vai trabalhar para impor novas medidas restritivas.

Nem a Opep escapa

Na sequência de ataques, foi a vez da Opep ser atingida. A decisão da organização dos países produtores de petróleo de não aumentar sua produção, anunciada no último domingo, trouxe mais um tempero amargo para o presidente americano. "Não gosto disso. Queremos que eles parem de aumentar os preços", completou.

*Com Agências de Notícias.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

bitcoin (BTC) hoje

Bitcoin (BTC) se aproxima das máximas históricas após estreia do primeiro ETF em criptomoeda nos EUA; acompanhe

Nos primeiros minutos de negociação, o ETF da ProShares movimentou cerca de US$ 280 milhões de acordo com o analista de fundos de índice da Bloomberg

NA ESTEIRA DA VACINA

Beneficiada por venda de imunizante contra covid-19, Johnson & Johnson lucra mais que o esperado no 3º trimestre

Depois dos grandes bancos, agora é a vez de a J&J surpreender positivamente o mercado, impulsionada por sua divisão farmacêutica

MERCADOS HOJE

Auxílio emergencial ‘turbinado’ e fora do teto pesa e faz Ibovespa perder os 113 mil pontos; dólar avança mesmo com leilão do BC

A agenda local está esvaziada neste início de semana, mas os investidores aguardam ansiosamente por um desfecho para a PEC dos precatórios.

RadioCash

Com cenário macroeconômico instável, não dá pra ser Warren Buffet no Brasil, diz Paolo Di Sora, fundador da RPS Capital

Para o megainvestidor e CEO da Berkshire Hathaway, que compra ações de empresas na maior economia do mundo, é fácil se concentrar na análise microeconômica. Já o investidor brasileiro, por sua vez, está sempre sujeito a instabilidades e crises domésticas

A REFORMULAÇÃO CONTINUA

Em busca de recuperar a credibilidade, IRB anuncia novo CFO

Willy Otto Jordan Neto assumirá a posição assim que sua posse for autorizada pela Susep

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies