Menu
2018-12-19T20:03:30-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
câmbio

Banco Central chama leilão de câmbio para quinta-feira

Operação no mercado à vista oferta até US$ 1 bilhão com vencimento em fevereiro e março de 2019. Será a segunda operação da semana

19 de dezembro de 2018
20:03
dólar
Imagem: Shutterstock

O Banco Central (BC) comunicou mais um leilão de linha com compromisso de recompra, o segundo da semana, dentro da estratégia de prover liquidez ao mercado à vista de câmbio neste período de fim de ano.

A oferta será de até US$ 1 bilhão e ocorre entre 12h15 e 12h35, com vencimentos em fevereiro e março de 2019. O anúncio ocorreu um pouco depois do horário normal e também pode ser visto como uma preparação para um dia negativo nos mercados depois da reação à decisão do Federal Reserve (Fed), banco central americano, que subiu os juros e disse que novas altas poderão ocorrer em 2019 a depender da evolução do cenário econômico.

Por aqui, o dólar comercial terminou o dia em baixa 0,39%, a R$ 3,882, mas não reagiu ao Fed, pois as negociações já tinham se encerrado. O Ibovespa que operou em alta durante boa parte do pregão, fechou com queda de 1,08%, aos 85.673 pontos. Em Wall Street, as baixas foram mais acentuadas. Dow Jones caiu 1,49%, Nasdaq cedeu 2,17% e o S&P 500 recuou 1,54%.

Os leilões de linha têm sido usuais desde o fim de novembro e são comuns nos períodos de fim de ano em função do aumento na demanda por moeda à vista pelas empresas que fecham balanços e remetem os recursos para fora do país.

Os dados sobre o fluxo cambial nas duas primeiras semanas de dezembro mostram uma saída de US$ 3,5 bilhões, depois de uma retirada de mais de US$ 6,6 bilhões ao longo do mês de novembro.

O estoque de linhas ofertado ao mercado está em US$ 4 bilhões vincendos em 4 de fevereiro de 2019 e US$ 3,25 bilhões vincendos em 6 de março de 2019. Do total de US$ 7,25 bilhões, US$ 6 bilhões são “linhas novas” colocadas no mercado e US$ 1,25 bilhão é referente à rolagem de operação feita em agosto e que venceria no começo de dezembro.

Além das atuações pontuais no mercado à vista, o BC continua realizando diariamente a rolagem dos contratos de swaps cambiais que vencerão em janeiro de 2019. O swap equivale à venda de dólares no mercado futuro. O lote a vencer soma US$ 10,4 bilhões.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

uma bolada

Bradesco paga R$ 5 bilhões em juros sobre capital próprio

Valor representa R$ 0,416 por ação ordinária e R$ 0,458 por ação preferencial, após o desconto do Imposto de Renda

seu dinheiro na sua noite

Dólar abaixo de R$ 5, Selic de volta aos 7% e o investimento da Petz em página de gatinhos

Apesar dos avanços na vacinação e do relaxamento nas medidas de distanciamento social, o fato de ainda estarmos convivendo com o coronavírus e uma elevada mortalidade pela covid-19 faz com que 2021 tenha um sabor de 2020 – parte 2. Assim tem sido, pelo menos para mim. Imagino que também seja assim para todas as […]

atenção, acionista

Weg e Lojas Renner anunciam juros sobre capital próprio; confira valores

Empresa de fabricação e comercialização de motores elétricos paga R$ 86,1 milhões; provento da varejista chega a R$ 88 milhões

Alívio no câmbio

Dólar fica abaixo dos R$ 5,00 pela primeira vez em mais de um ano — e o empurrão veio dos BCs

O dólar à vista terminou o dia em R$ 4,96, ficando abaixo dos R$ 5,00 pela primeira vez desde 10 de junho de 2020. O Ibovespa caiu

Constitucionalidade em xeque

Autonomia do Banco Central: STF retoma julgamento no dia 25, mas recesso pode estender votação até agosto

A lei em análise restringe os poderes do governo federal sobre a autoridade máxima da política monetária do País

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies