Menu
2018-12-20T18:55:17-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Câmbio

Banco Central anuncia nova oferta de US$ 1 bilhão nesta sexta-feira

Pelo segundo pregão consecutivo, BC oferta dólares no mercado à vista de câmbio. No mercado futuro, rolagem de swaps que vencem em janeiro acaba amanhã

20 de dezembro de 2018
18:55
dólar
Imagem: Shutterstock

O Banco Central (BC) fará nova oferta de linha com compromisso de recompra no pregão desta sexta-feira. Além disso, também foi elevado o lote do leilão de swap feito para rolar os contratos que vencem em janeiro.

No mercado à vista, a oferta será de até US$ 1 bilhão e ocorre entre 12h15 e 12h35, com vencimentos em fevereiro e março de 2019. Essas operações têm sido usuais desde o fim de novembro e são comuns nos períodos de fim de ano em função do aumento na demanda por moeda à vista pelas empresas que fecham balanços e remetem os recursos para fora do país. O presidente do BC, Ilan Goldfajn, falou sobre o assunto em entrevista nesta quinta-feira.

Os dados sobre o fluxo cambial nas duas primeiras semanas de dezembro mostram uma saída de US$ 3,5 bilhões, depois de uma retirada de mais de US$ 6,6 bilhões ao longo do mês de novembro.

Nesta quinta-feira, o dólar comercial encerrou o dia em baixa de 0,83%, a R$ 3,8561. A queda aconteceu apesar da forte instabilidade nos mercados internacionais.

O estoque de linhas ofertado ao mercado está em US$ 4,5 bilhões vincendos em 4 de fevereiro de 2019 e US$ 3,75 bilhões vincendos em 6 de março de 2019. Do total de US$ 8,25 bilhões, US$ 7 bilhões são “linhas novas” colocadas no mercado e US$ 1,25 bilhão é referente à rolagem de operação feita em agosto e que venceria no começo de dezembro.

Swaps

Desde o começo do mês o BC vem fazendo a rolagem dos swaps cambiais que venceriam em janeiro. Na sexta-feira, o lote ofertado será um pouco maior que o visto nos últimos dias e, com isso, será completada a rolagem do lote de US$ 10,4 bilhões. Fica a expectativa se ao longo de janeiro o BC fará a rolagem dos US$ 13,4 bilhões que vencem em fevereiro de 2019.

Quando o BC promove a rolagem integral dos contratos de swaps ele se mantém “neutro” no mercado, sem alterar o atual estoque de US$ 68,9 bilhões. Se a opção fosse por não realizar a rolagem ou mesmo pela rolagem parcial, o efeito líquido no mercado seria de compra de dólares no mercado futuro.

O swap é um derivativo que relaciona a variação cambial com a taxa de juros em determinado período de tempo. Ele é engenhoso pois é capaz de prover proteção cambial aos agentes de mercado com toda sua liquidação acontecendo em reais. Não se gasta um centavo das reservas.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

MERCADOS HOJE

Vacina anima investidores e Ibovespa sobe 1%, na contramão da cautela global

Em dia de Wall Street fechada, o mercado deve refletir uma liquidez menor. Os investidores também repercutem os dados do IBC-Br

acelera aí

Gol cobra agilidade da Smiles na análise de incorporação

Companhia aérea afirma que demora na avaliação da proposta resultará em atraso substancial na reorganização das empresas

Exile on Wall Street

Crescidos e vacinados

Há tempos, me preocupo com a possibilidade de estarmos usando um arcabouço velho para um mundo novo.

o melhor do seu dinheiro

A bolsa e o teto sobre nós

É sempre bom ouvir o que Luiz Fernando Figueiredo tem a dizer. Em junho passado, quando falou com o Seu Dinheiro pela última vez, o ex-diretor do Banco Central e sócio-fundador da Mauá Capital praticamente cantou a bola de quais seriam os próximos movimentos da taxa básica de juros (Selic). De lá para cá, o […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies