Menu
2018-11-06T15:38:01-02:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Distrato imobiliário

Comissão do Senado convoca votação que pode impactar diretamente ações de construtoras

Projeto de Lei sobre o distrato imobiliário define regras para a desistência da compra de imóveis na planta

6 de novembro de 2018
15:38
imóveis
Projeto define regras para a desistência da compra de imóveis na plantaImagem: Divulgação

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado programou para esta terça-feira, 6, a votação de um projeto polêmico e que tem forte potencial de impactar o mercado imobiliário e as ações de construtoras como Cyrela, Rossi e Tecnisa. A sessão extraordinária da CAE vai discutir o Projeto de Lei nº 68, que define regras para a desistência da compra de imóveis na planta, o chamado distrato imobiliário.

A convocação ocorre depois de, na sessão ordinária desta terça-feira, haver pedido de vista coletiva do projeto, que está sob a relatoria do senador Armando Monteiro (PTB-PE).

O projeto já havia sido apreciado pela CAE em julho, sendo que na ocasião ele foi rejeitado. Em agosto, um recurso foi apresentado, para nova apreciação. Além disso, foram propostas emendas ao texto original, numa tentativa de torná-lo mais palatável aos senadores.

Já na sessão desta terça, alguns senadores discutiram aspectos da proposta, já com as emendas, mas o pedido de vista acabou adiando a votação. Em função do cronograma do Senado nas próximas semanas e da importância do projeto - visto por vários parlamentares como uma ferramenta para destravar o mercado imobiliário -, Jereissati decidiu convocar uma sessão extraordinária para a tarde desta quarta-feira.

Se aprovado na CAE, o projeto ainda terá que passar pelo plenário do Senado e, depois, voltar para a Câmara, onde iniciou a tramitação.

As novas regras de distrato imobiliário podem se tornar mais uma bomba na já conturbada situação da Gafisa, que hoje despenca na bolsa por conta de uma polêmica recompra de ações envolvendo seu controlador Mu Hak You.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Política monetária em detalhes

Diretor do BC afirma que Selic em 2% não era mais necessária e defende centro da meta inflacionária

Bruno Serra explicou que a retomada da atividade econômica foi mais rápida do que se imaginava e justificou a elevação da taxa básica de juros

ESTRADA DO FUTURO

O que rola nos bastidores de uma startup de sucesso: uma conversa com Paulo Veras, ex-CEO e fundador da 99Taxi

Na edição desta semana do Tela Azul, recebemos o Paulo Veras, ex-CEO e fundador da 99Taxi.

Receita Federal dos EUA

Binance é investigada por manter contas suspeitas de lavagem de dinheiro nos EUA

Desde 2019, a Binance não oferece mais serviços de trading de criptomoedas para quem mora nos Estados Unidos

Sobe e desce da commodity

Dia de correção: minério de ferro cai forte e derruba ações da Vale e siderúrgicas

As ações da Vale, Gerdau, Usiminas e CSN estão entre as maiores baixas do Ibovespa hoje, influenciadas pela cotação do minério de ferro

Rombo nas contas assusta

Decisão do STF sobre ICMS pode acelerar reforma tributária

O risco de um desfalque maior na arrecadação do governo deve intensificar os esforços da equipe econômica para acelerar a tramitação das mudanças no Congresso

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies