Menu
2019-04-04T14:19:51-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Gigante das maquininhas

Lucro da Cielo segue em queda e balanço do 3º trimestre decepciona

Lucro líquido ajustado da empresa fechou o período de julho a setembro em R$ 812,8 milhões

30 de outubro de 2018
20:03 - atualizado às 14:19
Prédio da Cielo
Números do balanço vieram abaixo das estimativas do mercadoImagem: Cielo/Divulgação

A Cielo, controlada por Bradesco e Banco do Brasil, voltou a decepcionar seus acionistas após a divulgação do balanço do 3º trimestre de 2018. O lucro líquido ajustado da empresa segue em trajetória de queda e fechou o trimestre em R$ 812,8 milhões. O número foi 20,1% menor do que os R$ 1,08 bilhão registrado em igual período do ano passado. Frente ao segundo trimestre, houve queda de 0,6%.

Os analistas de mercado consultados pela Bloomberg esperavam um lucro líquido ajustado de R$ 890 milhões.

A geração de caixa da companhia, medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) alcançou R$ 1,152 bilhão no terceiro trimestre, 11,2% abaixo do mesmo período de 2017, quando foi de R$ 1,297 bilhão.

Em relação aos três meses anteriores, no entanto, foi identificada alta de 0,5%. A projeção da Bloomberg marcava Ebitda de R$ 1,27 bilhão.

A Cielo é uma das gigantes do setor de meios de pagamento e se prepara para uma atualização em sua gestão, com a entrada de Paulo Caffarelli na presidência. Ele anunciou que deixará o comando do Banco do Brasil na semana passada.

A receita operacional líquida totalizou R$ 2,962 bilhões no segundo trimestre, alta de 1,1% em 12 meses. Em relação ao trimestre anterior, a alta foi de 1,2%.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Interrompendo o casamento

Movida reforça pedido do Cade para barrar união entre Unidas e Localiza

De acordo com a companhia, isso geraria uma concorrência desleal no setor, com a nova empresa tendo 65% do mercado brasileiro de aluguel e 29% do mercado de frotas

vai mexer

Após polêmica com demissão de Castello Branco, governo indica nomes para o conselho da Petrobras

Cinco membros do colegiado pediram para não serem reconduzidos após interferência de Bolsonaro no comando da estatal

MERCADOS HOJE

Ibovespa opera em queda firme com piora da pandemia no país; dólar vai a R$ 5,70

Os mercados internacionais têm mais um dia de cautela, acompanhando uma nova alta do retorno dos títulos públicos americanos. No Brasil, o cenário da pandemia preocupa

Exile on Wall Street

Sem flores por hoje

Interrompemos nossa programação para uma verdade necessária: temos pouco a comemorar neste Dia Internacional da Mulher. Confesso que nunca aceitei bem a ideia de homenagem embutida nesta data. Sinto que temos tanto a conquistar e estamos tão atrasadas nessa agenda que, para mim, o 8 de março é menos sobre flores e mais sobre dar […]

ouça de graça

Tela Azul #22: A vida difícil dos PJs, Startups e o Venture Capital no Brasil

Na edição desta semana do Tela Azul, recebemos o Rodrigo Tognini, CEO do Conta Simples, uma startup brasileira que une serviços bancários para PJ, com ferramentas que facilitam a gestão financeiras das empresas.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies