Menu
2019-04-04T14:19:51-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Gigante das maquininhas

Lucro da Cielo segue em queda e balanço do 3º trimestre decepciona

Lucro líquido ajustado da empresa fechou o período de julho a setembro em R$ 812,8 milhões

30 de outubro de 2018
20:03 - atualizado às 14:19
Prédio da Cielo
Números do balanço vieram abaixo das estimativas do mercadoImagem: Cielo/Divulgação

A Cielo, controlada por Bradesco e Banco do Brasil, voltou a decepcionar seus acionistas após a divulgação do balanço do 3º trimestre de 2018. O lucro líquido ajustado da empresa segue em trajetória de queda e fechou o trimestre em R$ 812,8 milhões. O número foi 20,1% menor do que os R$ 1,08 bilhão registrado em igual período do ano passado. Frente ao segundo trimestre, houve queda de 0,6%.

Os analistas de mercado consultados pela Bloomberg esperavam um lucro líquido ajustado de R$ 890 milhões.

A geração de caixa da companhia, medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) alcançou R$ 1,152 bilhão no terceiro trimestre, 11,2% abaixo do mesmo período de 2017, quando foi de R$ 1,297 bilhão.

Em relação aos três meses anteriores, no entanto, foi identificada alta de 0,5%. A projeção da Bloomberg marcava Ebitda de R$ 1,27 bilhão.

A Cielo é uma das gigantes do setor de meios de pagamento e se prepara para uma atualização em sua gestão, com a entrada de Paulo Caffarelli na presidência. Ele anunciou que deixará o comando do Banco do Brasil na semana passada.

A receita operacional líquida totalizou R$ 2,962 bilhões no segundo trimestre, alta de 1,1% em 12 meses. Em relação ao trimestre anterior, a alta foi de 1,2%.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Bola rebola

Show das poderosas: Nubank estreia dueto com Anitta e cala os críticos com primeiro lucro

Fintech que já vale US$ 30 bilhões tem primeiro resultado positivo na história e anuncia contratação da cantora para compor o conselho de administração

Temperatura subindo

Febraban: carteira de crédito continua em expansão e deve registrar melhor índice desde 2013

As concessões de empréstimos devem apresentar crescimento de 4,7% em maio, acumulando aumento de 6,9% nos últimos 12 meses

Fim de papo

Bolsonaro se irrita com questão de frete e termina conversa na saída do Alvorada

Antes, ao ser cobrado quais as propostas para atender a categoria, Bolsonaro repetiu que o “maior problema de vocês (caminhoneiros)” é o preço dos combustíveis e os tributos

Nova realidade?

UBS prevê queda nos preços de minério de ferro e rebaixa Rio Tinto

Para os analistas, problemas com oferta no Brasil, intensificados pela pandemia, e atuação do governo chinês devem pressionar cotação do insumo

Muito além do pix

Bancos Centrais da Suíça e França testam transações com moedas digitais entre países

O experimento visa investir no mercado de empréstimos de “atacado” entre bancos, ao invés de transações públicas diárias, mas será o primeiro teste com as CBDC

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies