Menu
2018-09-26T09:25:40-03:00
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Menos tarifas

EUA abrem ‘passagem’ para calçados estrangeiros

Nova lei americana reduzirá tarifas de importação sobre calçados; empresas brasileiras já têm planos de aproveitar o benefício

26 de setembro de 2018
9:07 - atualizado às 9:25
Donald Trump
Lei americana reduzirá tarifas de importação sobre calçados; empresas brasileiras já têm planos de aproveitar o benefício - Imagem: Shutterstock

Uma nova lei de comércio exterior nos Estados Unidos deve beneficiar os exportadores brasileiros de calçados. A informação é do jornal "Valor Econômico" desta quarta-feira, 26.

A lei "Miscellaneous Tariff Bill Act 2018", que entrará em vigor em outubro deste ano e tem vigência até 2020, irá reduzir a tarifa de importação de mais de 1,6 mil produtos, entre eles os calçados.

Entram na lista os calçados de couro, tecidos e sintéticos. Até o momento, elas variam de 6% a 37,5%.

Cerca de 60% dos calçados exportado aos EUA já são isentos de tarifa. Agora, os outros 40% devem ter tarifas reduzidas, disse a coordenadora de Inteligência de Mercado da Associação Brasileira das indústrias de Calçados (Abicalçados), Priscla Link, ao "Valor".

Entre as empresas brasileiras do ramo entrevistadas pelo jornal, como a Ramés Soulmade Shoes e a Kidy Calçados Infantis, já há uma expectativa de aumento nos níveis de exportação para os EUA.

Perda de protagonismo

O Brasil vem perdendo espaço no mercado de calçados principalmente para países asiáticos, como a China.

No ano passado, os EUA importaram 2,38 bilhões de pares de calçados, o equivalente a US$ 25,14 bilhões. Cerca de 71% dos pares e 59% do valor foram chineses, ainda de acordo com o "Valor".

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

follow on

Ânima levanta R$ 918 milhões em oferta restrita de ações

Recursos levantados serão destinados a financiar parte da aquisição dos ativos do grupo americano de educação Laureate no Brasil

na briga

Em meio a IPO da Rede D’Or, Dasa adquire rede de hospitais em SP por R$ 1,77 bi

Com Leforte, companhia passa a ter cinco hospitais na região metropolitana de São Paulo e expande número de leitos de internação para 2,6 mil

Entrevista exclusiva

Meta da Mitre é lançar cerca de R$ 1,5 bi por ano e pagar ‘bastante dividendo’, diz CEO

Com queda de cerca de 20% no preço das ações desde o IPO, a construtora Mitre Realty entregou bons resultados no 3º trimestre e atingiu 75% da meta inicial de lançamentos para o ano; a partir de 2021, objetivo é estabilizar em seu “tamanho ideal” e focar em rentabilidade e dividendos, diz o presidente Fabrício Mitre.

Sextou com o Ruy

Compre ações de empresas que ganham junto com o cliente

A Pagseguro e a Stone são ótimos exemplos dessa mudança. Elas surgiram com o propósito de melhorar a experiência para os clientes insatisfeitos com os serviços da Cielo e da Redecard

prévias operacionais

Na Gol, demanda por voos cai 43,8% em novembro na comparação anual

No acumulado em 11 meses, a demanda tem recuo de 53,6% na comparação com 2019, enquanto a oferta recuou 52,4%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies