Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T14:14:52-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Mesmo com guerra tarifária

China promete manter crescimento econômico dentro de ‘faixa razoável’ em 2019

Economistas esperam que Pequim revise para baixo a meta de crescimento para 2019 em meio a conflitos com os Estados Unidos

13 de dezembro de 2018
10:34 - atualizado às 14:14
Centro econômico de Pequim, na China
Distrito financeiro de Pequim, na ChinaImagem: shutterstock

O Politburo, principal órgão decisório do Partido Comunista da China, prometeu manter o crescimento econômico dentro de uma "faixa razoável" no ano que vem, enquanto dá prosseguimento aos esforços do governo para estabilizar o emprego, o comércio e os investimentos.

As autoridades têm de encontrar um equilíbrio entre estabilizar o crescimento econômico, promover reformas, reestruturar a economia, melhorar a qualidade de vida das pessoas e se precaver contra riscos, segundo relatou a agência de notícias estatal Xinhua nesta quinta-feira, citando minutas de uma reunião capitaneada pelo presidente Xi Jinping.

Na ocasião, oficiais de alto escalão do Partido Comunista foram instados a aumentar sua vigilância contra mudanças doméstica e internacionalmente e ter fé na perspectiva econômica.

Economistas esperam amplamente que Pequim revise para baixo a meta de crescimento para 2019 em meio a conflitos com os Estados Unidos. A economia chinesa cresceu 6,7% nos primeiros nove meses do ano, dentro da linha para realizar uma taxa de expansão de 6,5% no ano cheio

Em queda

A China atraiu US$ 13,6 bilhões em investimento estrangeiro direto (IED) em novembro, 27,6% menos do que em igual mês do ano passado, segundo dados publicados hoje pelo Ministério de Comércio do país. Em outubro, o IED havia aumentado 7,3% na comparação anual. No acumulado de janeiro e novembro, o total de IED que ingressou na China foi de US$ 121,3 bilhões, volume 1,1% maior do que no mesmo intervalo de 2017.

Pós G-20

Pequim também disse hoje que sua última rodada de negociações comerciais com os Estados Unidos "progride sem solavancos". Num próximo passo, os americanos são bem-vindos para visitar a China para mais discussões e Pequim também está aberta a enviar delegações para os EUA, afirmou Gao Feng, porta-voz do Ministério do Comércio, em coletiva de imprensa rotineira.

Os gigantes iniciaram a mais recente rodada de conversas na última terça-feira, 11, com uma ligação telefônica envolvendo o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, o Secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, e o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer. Na ocasião, os dois lados trocaram visões para o estabelecimento de um cronograma e de um mapa para dar continuidade ao diálogo, informou o ministério.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

ÚLTIMO ADEUS?

De malas prontas para deixar a B3, Banco Inter (BIDI11) reverte prejuízo em lucro líquido de R$ 19,2 milhões no terceiro trimestre

O banco digital também celebrou a marca de 14 milhões de clientes no período, um salto de 94% na comparação com o terceiro trimestre de 2020

Tecnologia em foco

As big techs na balança: veja como foi o trimestre de Google, Microsoft e Twitter

Três das principais big techs americanas reportaram seus balanços nesta noite; veja como se saíram Alphabet/Google, Microsoft e Twitter

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Pressão nos juros, Elon Musk mais rico e o brilho das ações das elétricas

As projeções de bancos e economistas para a alta da Selic não param de subir. É possível ver essa tendência semanalmente no boletim Focus, divulgado toda segunda-feira pelo Banco Central, em relatórios de diversas casas de análise e na curva dos juros futuros — que não param de ser revisados para patamares cada vez mais […]

ACIONISTAS FELIZES

Farra dos dividendos: Santander (SANB11), Klabin (KLBN11) e Porto Seguro (PSSA3) anunciam proventos; banco espanhol vai pagar R$ 3 bilhões aos acionistas

Confira mais detalhes sobre os valores por ação, previsão para o pagamento e a data-limite para entrar na festa de cada uma das três empresas

MERCADOS HOJE

Ibovespa volta a cair mais de 2% na véspera da decisão do Copom; inflação salgada e fiscal deteriorado comandaram o dia

O mercado financeiro aguarda ansioso pelas palavras do BC, que devem pesar a recente deterioração do cenário fiscal e a elevação dos preços. O Ibovespa teve novo dia de perdas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies