Menu
2019-04-04T14:08:32-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Balanço

Bradesco tem lucro líquido acima do esperado no 3º trimestre

Lucro líquido da instituição avançou 13,7% no período, a R$ 5,471 bilhões; valor vem um pouco acima das projeções do mercado

1 de novembro de 2018
6:28 - atualizado às 14:08
Bradesco
Imagem: shutterstock

O Bradesco divulgou seus resultados para o 3º trimestre nesta quinta-feira, 1.

A instituição teve um lucro líquido recorrente de R$ 5,471 bilhões. No mesmo período do ano passado foi de R$ 4,810 bilhões. O valor vem um pouco acima das estimativas do mercados de R$ 5,268 bilhões, de acordo com a Bloomberg.

"O crescimento do lucro neste trimestre contou com a boa evolução da margem financeira e a performance das despesas com PDD (expandida), que permanceram praticamente estáveis mesmo considerando o crescimento do crédito", explica o Bradesco, em relatório que acompanha as suas demonstrações financeiras.

No acumulado do ano até setembro, o lucro líquido recorrente da instituição foi a R$ 15,734 bilhões, o que representa uma expansão de 11,1% em relação ao mesmo intervalo de 2017, quando foi de R$ 14,162 bilhões.

Carteira de crédito

A carteira de crédito expandida do Bradesco somava R$ 523,431 bilhões ao fim de setembro, 1,5% maior que o saldo de junho, de R$ 515,635 bilhões. Em um ano, quando os empréstimos totalizavam R$ 486,864 bilhões, foi uma expansão de 7,5%.

O destaque de crescimento foi o segmento de pessoas físicas. A carteira de indivíduos registrou saldo de R$ 186,159 bilhões, 1,8% superior aos três meses anteriores e 8,1% em 12 meses. Na pessoa jurídica, o saldo foi de 337,272%, elevações de 1,3% e 7,2%, respectivamente.

O Bradesco fechou setembro com R$ 1,357 trilhão em ativos totais, aumento de 3,4% ante um ano, quando somava R$ 1,312 trilhão. Ante junho, quando estava em R$ 1,306 trilhão, foi houve alta de 3,9%.

Seu patrimônio líquido alcançou R$ 115,670 bilhões no terceiro trimestre, cifra 4,9% maior que a registrada 12 meses antes, de R$ 110,301 bilhões. Na comparação com o trimestre anterior, de R$ 113,039 bilhões, cresceu 2,3%.

A rentabilidade do banco (ROE, na sigla em inglês) foi a 19,0% no terceiro trimestre, elevação de 0,6 ponto porcentual em comparação ao trimestre anterior, de 18,4%. Ante um ano, houve melhora de 1 p.p.

*Com Estadão Conteúdo

 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

mercado atento

Risco fiscal no Brasil ‘está em toda a parte’, diz José Júlio Senna

Chefe do Centro de Estudos Monetários do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) diz que “a Bolsa de São Paulo, em dólar, é um vexame”

demandas em meio à crise

Concessões no crédito livre sobem 0,5% em agosto, revela BC

Em agosto, no crédito para pessoas físicas, as concessões subiram 2,1%, para R$ 153,3 bilhões. Em 12 meses até agosto, há alta de 3,0%.

análise

Duratex pode subir 22%, diz Goldman Sachs: ‘Melhor trimestre em 10 anos’

Analistas do banco veem alta demanda em todas as áreas de atuação da empresa, impulsionada pela retomada do mercado imobiliário no País; ação sobe 6% nesta segunda

EXILE ON WALL STREET

TINWO: carta a um jovem investidor

Investimento tem seu próprio momento de maturação; para amadurecê-lo, não há como apressar sua seiva

K-POP NA BOLSA

Agência de K-pop Big Hit faz oferta de ações na bolsa e deixa membros do BTS multimilionários

A companhia, que captou mais de US$ 820 milhões e fará a sua estreia no índice KOSPI em outubro, pretende pegar carona na popularidade crescente de suas estrelas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements