Menu
2019-06-07T18:49:08+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Cronograma fechado

Previdência: audiências públicas em maio, debates em junho

Segundo presidente da Comissão Especial, Marcelo Ramos é preciso regular a velocidade da comissão com o trabalho de articulação política pelos votos

30 de abril de 2019
12:05 - atualizado às 18:49
Marcelo Ramos (PR - AM)
Marcelo Ramos (PR - AM) - Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O presidente da Comissão Especial da reforma da Previdência, Marcelo Ramos (PR-AM), fechou um cronograma de trabalho que será apresentado formalmente na próxima terça-feira. O desenho pretendido é de realizar audiências públicas ao longo do mês de maio e debater matéria em junho.

Segundo Ramos, são os requerimentos que serão apresentados que definirão os convidados, que podem chegar a 50 ou 60, mas que não dá para definir esse debate sem ouvir o ministro da Economia, Paulo Guedes, o secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, e depois membros da equipe econômica. A ideia é coordenar as audiências com o prazo para apresentação de emendas, que é de 10 sessões.

De acordo com Ramos, como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia quer votar a reforma em julho, ele vai trabalhar para terminar toda a discussão até junho. Mas Ramos ponderou que há elementos que independem da Comissão Especial.

“A votação do relatório tem que ser coordenada com a construção de maioria no plenário. Não adianta votar na comissão sem garantia de maioria no plenário”, disse Ramos.

Segundo Ramos, é preciso regular a velocidade da comissão com o trabalho de articulação política pelos votos. Esse seria o ponto principal.

“Essa é minha pauta de vida. Agora, vamos fazer o possível para dar a resposta mais rápida em relação ao isso. Que pode até ser ‘não conseguiu maioria, não vai fazer’. O que o povo não pode é depositar sua esperando em algo que não acontece nunca. Efetivamente, no que depender de mim a reforma vai acontecer. Vai estar pronta para ser votada. Ser aprovada depende de uma articulação do governo. Eu posso até ser uma parte disso, mas não sou o articulador principal”, explicou.

Gestos e namoro

Ramos esteve ontem com Maia, Guedes, o presidente Jair Bolsonaro e o relator da matéria na Comissão Especial, Samuel Moreira (PSDB-SP) no que ele classificou com um importante gesto de que Executivo e Legislativo estão unidos por uma reforma que não é de nenhum dos dois Poderes, mas sim do povo brasileiro.

Ramos disse que hoje já esteve reunido com o líder do governo na Câmara, major Vitor Hugo, e que estará com deputados da oposição, também como forma de sinalizar que o debate será plural na comissão.

Questionado sobre sua declarada falta de simpatia pelo governo e como foi a reunião com Bolsonaro, Ramos disse que isso já foi superado. “Estava até brincando que não quero namorar com Bolsonaro até porque ele já namora o Rodrigo Maia”, disse rindo.

A comissão tem até 40 sessão para debater a matéria, Ramos não quis se comprometer com prazos e datas, mas indicou que se a ideia é debater a matéria em junho esse também seria o prazo para o relator apresentar seu parecer. No entanto, o deputado reforçou que essa é uma atribuição e uma decisão do próprio relator. A ideia é reunir o colegiado três vezes por semana.

“Não queremos sair disso com todo mundo arrebentado, queremos sair com todo mundo fortalecido e, acima de tudo, com o país confiando no trabalho que está sendo feito aqui”, afirmou.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Agora vai?

Governo enviará ao Congresso na próxima semana projeto para destravar privatização da Eletrobras

Proposta deve conter os mesmos itens que estavam na Medida Provisória 879, que não foi votada pela Câmara

Olha quem apareceu

Rede de varejo Le Biscuit, da Vinci Partners, estreia no comércio online

Entrada da empresa no mundo online ocorrerá em etapas e segue uma tendência mundial

Olha a oportunidade aí

Movimentos para ofertas de ações no 2º semestre aceleram

Reuniões com os bancos de investimento se intensificam e companhias começam a fechar acordos para levar as ofertas adiante

Eita!

Chefes da Receita Federal ameaçam entrega de cargos por interferência política

De acordo com apuração, seis subsecretários do órgão estão fechados nessa posição

À beira do abismo

Sob pressão financeira, Oi procura bancos para encontrar saída

Operadora precisa levantar R$ 2,5 bilhões, mas ainda não tem ideia de como fará essa captação de recursos

Batalha contra a desaceleração

China divulga reforma de juros para reduzir custo de financiamento de empresas

Movimento anunciado deve reduzir ainda mais as taxas de juros reais para as companhias do país

Entrevista

Criador da CVM diz que mercado brasileiro não precisa de mais regulação

Para Roberto Teixeira da Costa, momento é de libertar a capacidade criativa das pessoas; em entrevista ao Seu Dinheiro, ele fala sobre mercado de capitais, economia brasileira e a figura do analista de investimentos

Seu Dinheiro na sua noite

Lucro, pra que te quero?

Podem me chamar de antiquado ou de romântico, mas sou do tempo em que empresa boa é empresa que dá lucro. Mas reconheço que, diante das mudanças abruptas na forma como consumimos produtos e serviços, olhar para a chamada última linha do balanço das companhias ficou meio fora de moda. No lugar do lucro, o […]

Xiiii...

Oi avisa Anatel que pode ficar sem dinheiro para operar a partir de fevereiro

Diagnóstico da situação da empresa indicou que o dinheiro em caixa da operadora chegou ao “mínimo necessário”

Ouça o que bombou na semana

Podcast Touros e Ursos: O furacão das eleições na Argentina e o fantasma da recessão mundial

Seu Dinheiro traz um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements