Menu
2019-05-17T19:46:05+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Olha quem veio

O mercado chamou e o Banco Central apareceu. Leilão de linha de dólar vem aí

BC anunciou rolagem de vencimento que aconteceria em 4 de junho, são até US$ 3,75 bilhões que serão ofertados entre segunda e quarta-feira

17 de maio de 2019
19:46
pá-de-dolares
Imagem: Shutterstock

Na manhã desta sexta-feira, falei que todo mundo é liberal até o dólar bater os R$ 4, e que já se ouvia pelas mesas perguntas sobre eventual atuação do Banco Central (BC) no câmbio. O pregão fechou e o BC apareceu. Na semana que vem, fará a rolagem de US$ 3,75 bilhões em operações de linha com compromisso de recompra que venceriam em 4 de junho.

Por se tratar de rolagem, não temos “dinheiro novo” entrando no mercado. Mas como estamos no meio do mês, podemos ver o anúncio como uma antecipação (geralmente as rolagens são feitas no fim do mês) ou mesmo um teste de demanda. O dólar fechou o dia a R$ 4,10, alta de 1,60%, depois de bater R$ 4,11 na máxima.

Nesse tipo de atuação o BC “empresta” os dólares das reservas internacionais que terão de ser devolvidos posteriormente. Quando opta pela rolagem, o BC se mantém neutro no mercado, que vai avaliar se devolve os dólares para o BC ou se alonga a operação.

As rolagens começarão na segunda-feira, com até US$ 1,25 bilhão para vencimento em abril ou janeiro de 2020. O mesmo modelo, de dois leilões por dia, com até US$ 1,25 bilhão, será feito na terça e quarta-feira.

As linhas que estão sendo roladas foram aquelas ofertadas no fim de março, quando uma piora no mercado externo e ruídos no lado político também demandaram atuação no BC.

Segundo o próprio BC, o estoque de linhas é de US$ 8,925 bilhões, sendo US$ 3,65 bilhões vincendos em 4 de junho, US$ 3,375 bilhões em 2 de julho e US$ 1,9 bilhão em 2 de agosto de 2019.

Nada impede que o BC faça novas ofertas, tanto no mercado à vista, quanto no mercado futuro, se entender que o mercado está operando fora da normalidade.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

preço da violência

Ataque à Aramco, na Arábia Saudita, pode afetar 5% da produção mundial de petróleo

Ataques à Aramco ocorrem em meio à escalada das tensões entre os rebeldes houthis, aliados do Irã, com a Arábia Saudita, apoiada pelos EUA

Proteção para a sua carteira

Ao escalar sua seleção de ações, pense duas vezes antes de colocar Vale e Suzano na defesa

As ações das exportadoras Vale e Suzano, clássicas opções defensivas para um cenário de dólar forte, acumulam desempenho negativo no ano, pressionadas pelos preços do minério e da celulose em baixa. Se esses papéis já não têm mais o mesmo apelo defensivo de antes, quais ativos da bolsa podem ocupar o miolo da zaga do seu portfólio?

quem disse que tá ruim?

Novatas de tecnologia na bolsa americana têm desempenho acima do S&P 500 – mesmo levando em conta Uber e Lyft

Levantamento feito por publicação americana leva em conta 13 IPOs de tecnologia deste ano nas bolsas e mostram que os papéis, juntos, valorizaram mais que o S&P 500

tensão

Drones atacam instalações de petroleira na Arábia Saudita

Reivindicado pelos rebeldes houthis que combatem a intervenção saudita no vizinho Iêmen, ataque atingiu duas refinarias da Aramco

oportunidades à vista

Brasil consegue abertura do mercado egípcio para lácteos e Bolsonaro comemora

Produtores brasileiros poderão exportar, já a partir de outubro, produtos como leite em pó e queijos para o mercado egípcio

unicórnio vai à bolsa

Startup de escritórios compartilhados WeWork reduz poderes do CEO

Prestes a estrear na bolsa, a WeWork enfrenta a preocupações de investidores por conta de seu modelo de negócio.

olha a dupla aí

Com IPO da C&A e avanço da Amazon, mercado espera aceleração de investimentos no varejo

Especialistas avaliam a oferta pública inicial de ações da rede de lojas de vestuário e a escalada da varejista fundada por Jeff Bezos

novela com o bilionário

Executivo das criptomoedas pagou US$ 4,6 milhões por almoço com Warren Buffett – mas encontro pode não acontecer

CEO da Tron, Justin Sun, venceu leilão beneficente que promove um encontro com o lendário investidor, mas história teve desdobramentos inesperados

olhos lá na frente

Mineradora tem projeto de R$ 9,1 bi com megabarragem no Norte de MG

Projeto prevê uma das maiores barragens de rejeitos do País, mas é condenado por entidades como o Movimento dos Atingidos por Barragens; empresa afirma que o modelo é seguro

o melhor do seu dinheiro

MAIS LIDAS: Uma empresa que vale zero?

Mais lida da semana, matéria conta as duras críticas de um analista quanto ao negócio da Tesla, do bilionário Elon Musk. Veja outras notícias que bombaram no Seu Dinheiro nos últimos sete dias.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements