Menu
2019-03-25T23:00:18+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
É hoje, às 14 hrs

Guedes na Câmara será teste de insatisfação com o governo

Ministro da Economia encara deputados na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) em evento que pode dar boa medida se o novo lema “tudo pela paz” vai funcionar

26 de março de 2019
5:14 - atualizado às 23:00
Rodrigo Maia e Paulo Guedes
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o ministro da Economia, Paulo Guedes. - Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, fará uma esperada participação em audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. Guedes será o primeiro representante de primeiro escalão do governo a sentir de perto o calor e a receptividade dos deputados à reforma da Previdência.

A sessão está prevista para as 14 horas e essa será a primeira vez que Guedes deverá encontrar oposição à sua excelente retórica. Até então, o ministro vinha pregando para convertidos, falando em eventos de empresários, gente do mercado ou da academia. Ontem, ouviu queixa dos prefeitos, mas de forma civilizada e não contra sua pessoa, mas sim contra a articulação do governo.

Na comissão, os deputados também terão direito ao uso da palavra e como a sessão será concorrida e terá ampla cobertura midiática, podemos esperar momentos de exaltação e saudáveis bate-bocas entre líderes do governo e da oposição, que aliás nem tem dado trabalho para o governo. Se ninguém defender o ministro dos inevitáveis ataques, será um péssimo sinal.

A sessão também será um teste para o novato presidente da CCJ, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), em comandar a comissão e colocar ordem no plenário quando necessário. Podemos dizer que o evento também é um teste para o próprio Guedes, que é visto por parte do antigos colegas como pouco paciente.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Pela ordem, sr. presidente!

Como Guedes não deve somar novidades a sua já conhecida e aguerrida defesa da reforma, será mais interessante observar a postura dos deputados presentes como uma tentativa de avaliar se a estratégia de “procurar a paz por meio da interlocução” com o Congresso tem chance de prosperar.

Depois de rusgas com o presidente da Casa, Rodrigo Maia, em torno do que seria a nova e a velha política em termos de negociação com o Congresso, Bolsonaro, por meio de seu porta-voz, parece ter feito um breve recuo ou gesto de boa vontade ao se dizer disposto a dialogar com Maia e com o restante do parlamento.

Dialogar é sempre bom, mas ainda não está claro como o presidente vai atender às demandas legítimas, descartar barganhas pouco republicanas e, como disse o líder do PSL, delegado Waldir, assumir a paternidade da reforma, com seus ônus e bônus.

Discutimos aqui que Bolsonaro não parece disposto a ceder ao que chama de velha política, que levou dois ex-presidentes à cadeia. Ontem, o próprio Guedes falou que “não pode ter toma lá, dá cá. Mas tem que tem conversa”, depois de falar que Bolsonaro não quer dançar de rosto colado, mas que ele terá de dançar.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

SEGUE O JOGO

Saída de Levy não deve ter impacto sobre a reforma da Previdência, diz especialista

No entanto, mesmo com eventual aprovação da reforma previdenciária, dificilmente haverá retomada considerável da confiança, diz Rafael Cortez

ANÁLISE

“Chicago Boy”, Levy transitou no petismo e no Bolsonarismo – e foi alvo dos dois”

Assim como o ministro da Fazenda, Paulo Guedes, Joaquim Levy é um nome conhecido do mercado; estopim da demissão foi a nomeação de advogado

DE OLHO NAS AÇÕES

Petrobras faz maior descoberta desde o pré-sal, em Sergipe e Alagoas

Divulgada no mês passado, a descoberta deve gerar R$ 7 bilhões de receita anual à estatal e sócias, calcula a consultoria Gas Energy

MUITO RICOS X MAIS RICOS AINDA

Esta é a grande diferença entre milionários e bilionários, segundo autor

Milionários e bilionários podem ser grupos muito mais distintos do que a maioria acredita. Segundo especialista, esse contraste fica claro com a resposta para uma pergunta

MÚSICA PARA OS OUVIDOS

Energia deve ter nova rodada de privatização

A privatização de estatais é uma das alternativas propostas pelo Plano Mansueto para Estados que precisarem de socorro da União

Seu dinheiro no domingo

O mercado sempre oscila entre o cenário perfeito e o desesperador. Saber onde estamos é o segredo para ganhar dinheiro

Se a percepção prevalente no mercado é de que as coisas só podem melhorar, o investidor deve encarar isso com cautela

DIÁLOGO CORDIAL

Presidente do BNDES conversou com ministro da Economia sobre demissão

Levy entregou seu pedido de demissão do cargo ao ministro após ser alvo de críticas do presidente Jair Bolsonaro neste sábado (15)

TCHAU

Presidente do BNDES confirma pedido de demissão após declarações de Bolsonaro

Levy foi alvo de críticas do presidente Jair Bolsonaro no sábado (15), em função da nomeação do advogado Marcos Barbosa Pinto para o cargo de diretor

REDUÇÃO DE DANOS

Nada impede que a capitalização seja aprovada no 2º semestre, diz Maia no Twitter

O presidente da Câmara defendeu que a questão pode até ficar de fora do primeiro texto da reforma, mas destacou propostas já em andamento na área

CABEÇA A PRÊMIO

Gustavo Franco e Salim Mattar são cotados para substituir Levy

A avaliação é a de que a permanência do atual presidente do BNDES tornou-se insustentável depois da bronca em público do presidente

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements