Menu
2019-11-05T11:31:01+00:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Bancos

‘Direito de concorrer é de todos’, diz presidente do Itaú

Cade investiga ofensiva do banco, que reduziu de 30 para 2 dias o prazo de pagamento aos lojistas nas vendas realizadas nos cartões de crédito pelas maquininhas da Rede, a empresa de adquirência do grupo

5 de novembro de 2019
9:54 - atualizado às 11:31
Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco
Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco - Imagem: Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo

O presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher, aproveitou a teleconferência com a imprensa sobre os resultados do terceiro trimestre para fazer uma defesa da estratégia do banco na chamada "guerra das maquininhas" de cartões de crédito e débito.

"Acreditamos que o direito de concorrer é de todos e não só dos novos entrantes", afirmou aos jornalistas.

O Cade abriu uma investigação para investigar a ofensiva lançada pelo Itaú em maio. O banco reduziu de 30 para 2 dias o prazo de pagamento aos lojistas nas vendas realizadas nos cartões de crédito pelas maquininhas da Rede, a empresa de adquirência do grupo.

O problema, segundo o órgão de defesa da concorrência, é que para ter acesso ao benefício o estabelecimento comercial precisa ter conta no Itaú. Por isso o Cade determinou que o banco deixasse de exigir essa condição para oferecer o prazo de dois dias para aos lojistas. Ontem, porém, o Itaú conseguiu uma liminar na Justiça que suspende essa proibição.

Bracher disse que a oferta lançada pelo banco é semelhante à encontrada pelos concorrentes e que a medida beneficia os clientes. Como a decisão do Cade valeria a partir de hoje, a instituição não chegou a sentir os efeitos da proibição.

De janeiro a setembro, o Itaú registrou uma queda expressiva de 18,5% nas receitas com o serviço de maquininhas de cartões de débito e crédito, para R$ 3 bilhões.

Os resultados ainda não refletem a nova estratégia de conquista de clientes porque a Rede continua perdendo participação de mercado no segmento de grandes empresas, onde há uma competição muito acirrada por preços, de acordo com Bracher. "E esse jogo nós não jogamos", afirmou.

Os efeitos da guerra das maquininhas, contudo, não chegaram a arranhar o lucro do maior banco privado brasileiro, que atingiu R$ 7,156 bilhões no terceiro trimestre, alta de 10,9% em relação ao mesmo período do ano passado.

Esse lucro não considera a despesa de R$ 2,4 bilhões (R$ 1,4 bilhão líquido de impostos) que o banco teve com programa de desligamento voluntário (PDV). A adesão ao programa foi de 3.500 funcionários, mais ou menos a metade do total de elegíveis.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Menos 400 agências

Dentro da tendência de aumento dos serviços bancários pelo telefone celular, o Itaú deverá fechar 400 agências físicas até o fim deste ano, segundo Bracher.

O encerramento dos pontos de atendimento seguem um padrão: ocorrem sempre quando há outra agência do banco a uma distância de até 500 metros com capacidade absorver o público da unidade fechada.

O presidente do Itaú disse que o número de agências nessas condições está se esgotando. "No futuro, as decisões de encerramento vão requerer uma análise muito mais profunda porque podem representar uma diminuição da cobertura geográfica do banco", afirmou.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Tensão nos ares

Crise na Boeing: sindicatos de companhias aéreas temem a liberação do 737 Max

Com a possibilidade de as aeronaves 737 Max da Boeing serem liberadas novamente para voar, os sindicatos das companhias aéreas mostram-se preocupados

Protestos no país

Banco Central do Chile anuncia novas medidas para conter a queda do peso

A autoridade monetária do Chile irá adotar mais ferramentas para frear a trajetória de desvalorização da moeda do país, em meio à onda de protestos sociais vistos nos últimos dias

Renda fixa

CDB com remuneração de até 124% do CDI? É a oferta do C6 Bank

O C6 Bank oferece novas opções de investimento em CDB com resgates mais longos. A rentabilidade pode chegar a 124% do CDI

Expansão no país

Carrefour Brasil investe R$ 2 bilhões e quer mais parcerias

O Carrefour Brasil mostra-se otimista em relação às perspectivas para o país em 2020. Como resultado, o grupo continuará investindo e abrindo novas unidades

Tudo que vai mexer com o seu dinheiro hoje

Inflação e terno preto nunca saem de moda

Um certo frenesi sempre tomou conta das redações do país no dia de divulgação do índice de preços. A inflação brasileira é um número a acompanhar com lupa no noticiário econômico. Em um passado não tão distante, todo o mês os economistas apontavam o vilão dos custos do consumidor. O tomate virou uma espécie de […]

Agora vai?

Declarações de autoridades dos EUA mostram otimismo nas negociações com a China

O tom mais ameno assumido por duas autoridades dos EUA em relação às conversas com a China renova a esperança dos mercados quanto ao fechamento de um acordo

Siga o mestre

Warren Buffett fez novas apostas na bolsa e vendeu parte de suas ações da Apple

Um frenesi toma conta dos mercados americanos nesta sexta-feira: o lendário Warren Buffett comprou ações de duas empresas — o que faz esses papéis dispararem hoje

Feriado? Que feriado?

Os mercados estão abertos lá fora — e as bolsas dos EUA estão nas máximas

Uma sinalização animadora das autoridades americanas quanto às negociações com a China dá força aos mercados globais nesta sexta-feira

Sem crise

Sabesp tem lucro líquido de R$ 1,209 bilhão no 3º trimestre, alta de 113,9%

A Sabesp reportou forte expansão no lucro líquido e no Ebitda no terceiro trimestre deste ano, impulsionada pelo início das operações em Santo André e Guarulhos

Más notícias

A Braskem fechou o trimestre no vermelho e viu sua receita cair 18% em um ano

Empresa cujas ações têm o pior desempenho do Ibovespa no ano, a Braskem reportou um prejuízo líquido de mais de R$ 800 milhões no terceiro trimestre

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements