Menu
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Eleições 2018

Bolsonaro tenta reverter desgaste de vice e economista de campanha

Bolsonaro teria pedido a vice e economista que reduzam atividades eleitorais, segundo “O Estado de S. Paulo”

20 de setembro de 2018
7:31 - atualizado às 12:58
Jair Bolsonaro: candidato teria enquadrado Mourão e Paulo Guedes para que reduzam suas atividades eleitorais - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Da cama do hospital Albert Einstein, em São Paulo, Jair Bolsonaro (PSL) continua atento às repercussões de sua campanha eleitoral. Mas não anda muito feliz com isso. Segundo o jornal "O Estado de S. Paulo", o candidato à presidência teria enquadrado seu vice, Hamilton Mourão, e seu economista, Paulo Guedes, para que reduzam suas atividades eleitorais.

O posicionamento minou a expectativa de que o vice participasse dos próximos debates no lugar de Bolsonaro, já que ainda não é claro quando ele deve ter alta do hospital. Ainda segundo o jornal, Bolsonaro tenta reverter o desgaste dos recentes posicionamentos polêmicos de ambos os representantes.

'Não vai ter CPMF'

Depois de Guedes dizer em evento a investidores na terça-feira que pensava em recriar um imposto sobre movimentações financeiras, nos moldes do que foi a CPMF em 1994, o candidato publicou em seu twitter:

À noite, após a notícia ter repercutido, o candidato voltou às redes sociais chamar de "mal-intencionada" a comparação dos novos impostos propostos por sua equipe à CPMF.

O que pensa Guedes, economista de Bolsonaro

Depois de a Folha de S.Paulo publicar as intenções de Guedes ontem, ele afirmou ao site BR18 que "não faz o menor sentido aumentar impostos no País". O economista disse ainda que sua intenção é substituir os tributos federais (IPI, IOF, PIS e Cofins) por um único imposto - o Imposto Unificado Federal (IUF).  O novo imposto incidiria sobre todas as transações financeiras, de forma semelhante à antiga CPMF.

A alíquota do IUF não foi definida ainda, mas a equipe de Guedes calcula que ela poderá chegar a 1% sobre cada transação financeira. "A ideia é tornar os impostos progressivos e socialmente mais justos, para que os mais ricos paguem mais, e não regressivos, como são hoje, deixando a conta mais salgada para os mais pobres", afirmou.

*Com Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Conteúdo patrocinado por Startse

Milionária sem sair da cama

O caso da inglesa que ficou milionária trabalhando de pijama no quarto – e o número de brasileiros que querem enriquecer da mesma forma.

Tretas à vista?

Maia diz que Guedes tenta intervir na escolha do relator da Previdência

O ataque a Guedes tinha outro alvo, o presidente da República, Jair Bolsonaro

Em viagem a São Paulo

Maia se encontra com Doria e diz que nova Previdência permitirá melhor ambiente fiscal nos Estados

Segundo Maia, seu diálogo com os governadores acontece desde que foi reeleito, mas no caso específico de São Paulo, “Doria se mostra preocupado com a reforma da Previdência”, reforçou.

Hora de receber o dinheiro de volta

Em rede social, Bolsonaro diz que quer endurecer cobrança de dívidas e recuperar R$ 4 bilhões ao ano

Ontem, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) detalhou as medidas previstas no referido projeto de Lei 1.646/2019

Clima está tenso

“O governo é um deserto de ideias”, afirma Maia

Na avaliação do presidente da Câmara, o ministro da Economia, Paulo Guedes, é “uma ilha” dentro do Executivo

Um toma lá da cá

Em discurso, Bolsonaro diz que responsabilidade sobre a previdência está com o Parlamento

“Não é uma questão de governo, e sim de estado, para que nós do Brasil não experimentemos situações que outros países enfrentaram, como na Europa”, disse o presidente

Aliados

Partidos saem em defesa de Maia após crise com governo

Em um gesto de apoio a Maia, o PPS recebeu o presidente da Câmara em sua convenção nacional realizada hoje em Brasília

Águas passadas?

Maia diz que atrito com governo em relação à Previdência é “página virada”

Ele falou com jornalistas antes de uma breve participação em congresso do PPS, em Brasília

Bon Vivant

Saiba quais são as maratonas preferidas de quem trabalha no mercado financeiro

Boston, Chicago, Nova York e Berlim estão entre as competições preferidas, mas a lista inclui também provas exóticas

Tempos ruins para a empresa

Dívida da Avianca dá “salto” e agora é de R$ 2,7 bilhões

A alteração no valor da dívida ocorreu em dois momentos. Em janeiro, a companhia atualizou a primeira lista para R$ 1,3 bilhão por conta própria. Protocolada ontem na Justiça, a segunda modificação, para R$ 2,7 bilhões, veio depois de pedido dos credores

Será que vem chumbo quente por aí?

Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação

Os monitoramentos são feitos pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que tem por missão se antecipar aos fatos para evitar problemas para o governo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu