Menu
André Franco
Crypto News
André Franco
É engenheiro e especialista em criptomoedas da Empiricus
2019-10-09T19:55:23+00:00
Crypto News

Por que o grande investidor ainda não embarcou no bitcoin?

Se a oportunidade é tão clara, por que o mercado institucional ainda não tomou de assalto os ganhos e deixou o varejo com as migalhas?

10 de outubro de 2019
5:49 - atualizado às 19:55
Bitcoin
Imagem: Shutterstock

Acredito que as plataformas de confiança descentralizada vão causar as mudanças mais significativas em como a sociedade lida com a informação desde o advento da internet. E, no final, elas vão virar o mundo do dinheiro, da riqueza e do valor de cabeça para baixo”

Michael J. Casey, professor do MIT

Se o que Michael Casey disse estiver certo, provavelmente temos diante de nós a maior oportunidade de ganhos depois da internet.

E você já deve imaginar que eu tendo a concordar com ele.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Mas, se a oportunidade é tão clara, por que o mercado institucional ainda não tomou de assalto os ganhos e deixou, como sempre, o varejo com as migalhas?

Porque, mesmo já havendo vários serviços de custódia de cripto, como Coinbase e BitGo, os fundos ainda não se sentem confortáveis com as estruturas nativas desse universo.

O que um fundo de hedge tradicional quer é uma empresa como a BNY Mellon, com os seus 30 trilhões de dólares em custódia, oferecendo os mesmos serviços para bitcoin e outros criptoativos.

Enquanto eu e você queremos acertar aquela tacada para botar uma bela grana no bolso, o investidor maior, que já tem os bolsos cheios, quer a tranquilidade e a monotonia do mercado tradicional a que está acostumado.

Ainda temos um longo percurso para percorrer até uma grande parcela dos 40 mil consultores de investimento registrados nos Estados Unidos começar a sugerir cripto como uma solução de ponta a ponta para seus clientes, ou a investir por conta própria com os fundos que administram.

As barreiras para isso são inúmeras. Lembre-se de que, hoje, esses consultores conhecem de cabo a rabo o funcionamento do mercado tradicional. Eles sabem onde comprar, quanto pagar de comissão, quem vai custodiar, quem vai auditar e por aí vai.

Já quando o assunto é cripto, o problema começa pela falta de contato que esses profissionais têm com esse novo paradigma e também pela falta de conhecimento real sobre bitcoin e outros criptoativos.

A consequência disso é que somente 201 fundos privados têm exposição a cripto, o que representa apenas 1,3 por cento do total desses fundos nos EUA.

Temos um longo caminho até a adoção em massa, mas nossa chegada até aqui merece ser comemorada e me faz ter a mesma certeza de Michael Casey sobre o assunto.

A partir do presente momento, o que vai definir se a sua exposição vai fazer você ganhar dinheiro ou muito dinheiro é apenas a sua paciência.

Estima-se que entre 3 bilhões a 5 bilhões de dólares estejam investidos em cripto atualmente, o que me leva a crer que os grandes investidores estão molhando o dedinho com muita cautela.

E a esta altura do campeonato, depois de dez anos de rede e 2 trilhões de dólares transacionados, não me parece que a água está gelada demais a ponto de fazê-los voltar atrás.

É apenas uma questão de tempo até que uma massa crítica seja minimamente educada a respeito do bitcoin e capaz de mudar o paradigma atual.

Como já enfatizei algumas vezes, esse é um caminho sem volta e a cada dia que passa estamos mais próximos de ver as criptomoedas se tornarem o status quo.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Reviravolta na trama

Após uma temporada no mundo invertido, a Netflix voltou a brilhar no terceiro trimestre

A Netflix reportou um crescimento surpreendente no lucro líquido e uma recuperação no total de novos assinantes pagos — resultados que agradaram o mercado

Voos mais altos

Azul vai expandir rotas internacionais, mas não anuncia agora por causa do dólar

O executivo frisou, porém, que o foco da Azul está no mercado doméstico – a intenção é “elevar” o nível do Brasil em termos de conectividade aérea

De olho no crédito

BC lança nova página sobre informações do mercado imobiliário

O Banco Central explica que a nova publicação é resultado da compilação de informações recebidas pelo Banco Central através do Sistema de Informações de Créditos (SCR), Sistema de Informações Contábeis (Cosif), Direcionamento dos Depósitos de Poupança (RCO) e dados das entidades de depósito e registro de ativos

Colocando os pingos nos "is"

Não houve pressão para capitalizar companhia, diz presidente da Eletrobras

Ele defendeu que, se o governo efetivamente quisesse os recursos da Eletrobras, seria mais fácil realizar diretamente a capitalização dos cerca de R$ 4 bilhões de Adiantamentos para Futuro Aumento de Capital (AFACs) e com esse recurso pagar os dividendos, alternativa em que a União receberia um volume maior de recursos

Juros

Selic abaixo de 4%? Itaú Asset acredita em 3,75% em 2020

Descontando a inflação esperada dessa projeção para a Selic, temos juro real próximo de zero. Na verdade, um toquinho de 0,14% ao ano

Vai que vai

É hora delas? Bradesco BBI aposta alto nos números de Unidas e Movida

No setor de locação, todos os três papéis (Localiza, Unidas e Movida) estão com recomendações de compra pela casa, mas a Localiza não está na lista das preferidas do analista Victor Mizusaki

Siga o dinheiro

Fuga de dólares bate US$ 40 bilhões em 12 meses. Surpreso? Não deveria…

Saída de recursos é a maior desde que abandonamos o regime de bandas cambiais em 1999. Desde abril, o BC vem alertando para uma mudança estrutural no mercado de câmbio

Boas novas

Juro baixo faz BlackRock ampliar aposta no Brasil

A projeção é que a Selic baixa empurre investidores para ativos de mais risco, incluindo investimentos no exterior, que ainda engatinham por aqui

dinheiro no bolso

36,9 milhões de correntistas da Caixa já sacaram recurso do FGTS

Saque de até R$ 500 por conta ativa ou inativa do fundo tem sido feito de forma escalonada, dependendo da data de aniversário de trabalhador

novas funções

Relator de MP que permite saque do FGTS vai ampliar forma de aplicação do fundo

Hoje, a lei só permite que o dinheiro seja usado para financiar moradias, saneamento e infraestrutura

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements