🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O SEU CAPITAL POR 7,5X COM 1 CLIQUE – CONHEÇA A FERRAMENTA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
RECOMENDAÇÃO

Goldman Sachs: Após 1º trimestre fraco, desafio da Arezzo&Co (ARZZ3) é crescer em meio à fusão com o Grupo Soma; é hora de comprar a ação?

Queda de 22% nas ações da varejista de calçados no ano levantou preocupações dos investidores sobre a criação da nova holding

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
13 de junho de 2024
15:00 - atualizado às 17:29
Fachada de loja da Arezzo (ARZZ3). Empresa vai pagar dividendos na forma de JCP
Imagem: Divulgação

O ano de 2024 não tem sido fácil para a Arezzo&Co (ARZZ3). As ações da varejista de calçados caíram 22% no acumulado do ano. O motivo? O fraco desempenho nas vendas do primeiro trimestre e preocupações dos investidores em torno da fusão com o Grupo Soma

Contudo, esses riscos não pesaram na recomendação do Goldman Sachs em relação à compra dos papéis da empresa. No relatório divulgado pelo banco, os analistas apostam num aumento das vendas, com uma operação mais “madura” e crescimento das marcas.

Fusão com o Grupo Soma e desafio para as marcas

O Goldman Sachs ressaltou o primeiro trimestre “decepcionante” das principais marcas de calçados e vestuário da Arezzo. Todas as marcas do portfólio do grupo desaceleraram. A empresa atribuiu a queda à questão sazonal de começo de ano, com a temporada de férias. 

Com isso, os investidores estão preocupados com o desempenho das marcas no curto prazo. Isso porque a Arezzo agora tem o desafio de criar a nova holding resultante da fusão com o Grupo Soma. 

A responsabilidade é grande, já que a companhia, dona de marcas de calçados como Arezzo, Schutz e Anacapri, e o Grupo Soma, que tem a Hering e a Farm, vão criar uma gigante do setor de moda. 

Serão 34 marcas, mais de 2 mil lojas e 1.500 franquias, 22 mil funcionários e um faturamento combinado de R$ 12 bilhões. 

“Há também uma preocupação de que a Arezzo esteja mudando de uma estratégia de crescimento orgânica para uma inorgânica”, afirmam os analistas. “E embora os investidores geralmente reconheçam que a administração estabeleceu um histórico positivo com a aquisição e integração da licença da Vans e da marca Reserva, eles tendem a ver um crescimento mais arriscado, merecendo, portanto, um múltiplo mais baixo.”

Arrumando a casa

Apesar dos resultados do primeiro trimestre, a estratégia da empresa de concentrar suas lojas físicas em locais mais alinhados com o valor das marcas e a imagem dos produtos terá impactos positivos a partir do terceiro trimestre. A expectativa do banco é que as lojas franqueadas voltem a crescer em “níveis saudáveis” daqui para a frente e o crescimento das marcas se normalize. 

“Para os canais online, esperamos algum grau de normalização na taxa de crescimento, mantendo uma contribuição positiva para o desempenho global [do grupo].”

Comprar ou não a ação?

Para os analistas do Goldman, os investidores estão adotando uma abordagem mais cautelosa em relação ao crescimento financeiro do grupo, e não à toa. 

Mesmo assim, o banco manteve sua visão otimista. A instituição tem recomendação de compra para Arezzo &Co, com preço-alvo de R$ 74 para os próximos 12 meses, o que equivale a uma valorização potencial de 50,7% em relação ao último fechamento. Nesta quinta-feira (13), a ação do grupo ficou estável, cotada a R$ 49,10. Siga os mercados.

De acordo com o relatório, a expectativa é de que a receita líquida da Arezzo cresça 8% em 2024 e 12% em 2025. 

Compartilhe

SAIU!

Privatização da Sabesp (SBSP3): a maior oferta de saneamento da história movimenta R$ 14,8 bilhões; confira os detalhes da operação

19 de julho de 2024 - 6:14

A demanda total do mercado pelas ações da Sabesp chegou a R$ 187 bilhões — 53% foram ordens de investidores estrangeiros e o restante de gestoras locais

A MALA TÁ FEITA

Com data para deixar a B3, Cielo (CIEL3) recebe aval dos membros independentes do conselho para OPA

18 de julho de 2024 - 20:02

Leilão marcado para o dia 14 de agosto tem como objetivo vender 902.247.285 ações ordinárias da companhia a R$ 5,60

PERTO DO LIMITE?

Ambipar (AMBP3): Mercado faz contas e especula se controlador pode ser obrigado a fazer OPA

18 de julho de 2024 - 19:13

No entendimento de parte do mercado, Tércio Borlenghi Júnior já ultrapassou o limite de um terço das ações em circulação da Ambipar (AMBP3) em compras

FUSÕES E AQUISIÇÕES

De olho no sucesso de óculos inteligentes, Meta quer um pedaço da EssilorLuxottica, dona da Ray-Ban

18 de julho de 2024 - 17:00

Companhia de Mark Zuckerberg negocia a aquisição de 5% da empresa, participação avaliada em cerca de US$ 5 bilhões

VALE A PENA?

A ação da Vale (VALE3) está barata? Papel está descontado em relação a gigantes gringas; saiba se é hora de aproveitar

18 de julho de 2024 - 15:47

O Itaú BBA calcula um preço-alvo de US$ 14 para os ADRs da mineradora, o que representa um potencial de valorização de 24,8% sobre o fechamento de quarta-feira (17)

IA EM FOCO

Depois da tempestade, setor de chips e semicondutores de Inteligência Artificial (IA) respira após balanço da TSMC

18 de julho de 2024 - 13:48

Empresa taiwanesa ampliou lucro em 36% no segundo trimestre e superou as expectativas, com forte demanda por chips

AQUISIÇÃO

De olho nas importações, BTG Pactual (BPAC11) adquire capital social da Sertrading, empresa de patrimônio de quase R$ 400 milhões

18 de julho de 2024 - 9:46

De acordo com o comunicado enviado à CVM, em quatro anos, o volume transacionado em operações de comércio exterior passou de R$ 5 bilhões para R$ 19 bilhões

EMPREENDEDORISMO

Novo visual e mudança de nome: as apostas da Grendene (GRND3) para conquistar franqueados e abrir mais lojas da Melissa

18 de julho de 2024 - 9:09

Um ano após internalizar a gestão de franquias, a marca famosa por suas sandálias de plástico com aroma de tutti-frutti também lançará novos formatos de lojas

APÓS A CRISE

Lemann e sócios recalculam a rota: Americanas (AMER3) adia publicação do balanço após laudo de investigação independente

18 de julho de 2024 - 7:33

A publicação dos resultados ficou para o dia 14 de agosto, quando também serão divulgados os números do período até 30 de junho

MAIS UM PASSO

Agora vai? Grupo de credores da Americanas (AMER3) adere ao plano de recuperação judicial e abre caminho para novas emissões e pagamentos

17 de julho de 2024 - 20:27

Segundo a varejista, os credores titulares da maioria dos créditos quirografários — aqueles sem garantia — aderiram às deliberações sobre o plano de recuperação judicial do grupo, homologado em 26 de fevereiro de 2024

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar