🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
PASSOU DO PONTO?

Casas Bahia (BHIA3) perde a carona do Magazine Luiza (MGLU3) e ações caem na B3 — é hora de pular fora dessa?

A queda dos papéis da varejista acontece na esteira da nova avaliação do Citi; descubra o que o banco norte-americano vê no caminho da companhia

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
29 de janeiro de 2024
13:21
Montagem com Baianinho, mascote da Casas Bahia (BHIA3)
Imagem: Shutterstock/ Montagem: Julia Shikota

O aumento de capital do Magazine Luiza (MGLU3) foi bem recebido pelo mercado e ajuda as ações do Magalu a dispararem na B3. A euforia com a operação bilionária, no entanto, não favorece todo o varejo brasileiro — os papéis das Casas Bahia (BHIA3) caem mais de 3% nesta segunda-feira (29). 

A queda das ações BHIA3 vem na esteira da nova avaliação do Citi para a varejista. O banco norte-americano reafirmou a recomendação de neutra para os papéis, mas cortou o preço-alvo de R$ 17,50 para R$ 10 — o que representa um potencial de valorização de 15% em relação ao último fechamento. 

O Citi justificou o preço-alvo mais baixo com as premissas operacionais menores para a Casa Bahia — que são parcialmente compensadas por uma redução no custo presumido de capital próprio em 110 pontos base, para 13,7%, dadas as taxas de juros mais baixas.

Por volta de 13h20, as ações da Casas Bahia caíam 3,22%, cotadas a R$ 8,42. No mês, os papéis acumulam baixa de 26%. Acompanhe nossa cobertura ao vivo dos mercados

A Casas Bahia é um investimento arriscado agora?

Trocando em miúdos, o Citi avalia que a Casas Bahia continua sendo um caso de investimento desafiador mesmo após o recente aumento de capital de R$ 622 milhões. 

Isso porque as despesas financeiras líquidas de R$ 2 bilhões — excluindo leasing — do grupo ainda excedem o Ebitda pré-IFRS de R$ 1,3 bilhão para 2024. 

"Esperamos que o quarto trimestre de 2023 seja ainda desafiador para Casas Bahia, marcado mais uma vez por eventos pontuais relacionados a esforços promocionais para liquidação de estoques e fechamento de lojas", diz o Citi em relatório. 

Como resultado, o Citi espera que o Ebitda ajustado das Casas Bahia tenha caído 86% no comparativo anual, para R$ 88 milhões (margem Ebitda de 1,1%), com prejuízo líquido de R$ 616 milhões.

Além disso, o Citi reduziu as estimativas de faturamento para 2024/2025 em 4%, principalmente por uma visão mais conservadora sobre 1P (mercadorias próprias); e menores rotações de B&M (lojas físicas) devido ao maior fechamento de lojas em 2023 — -52 versus -39 inicialmente.

PODCAST TOUROS E URSOS - O ano das guerras, Trump rumo à Casas Branca e China mais fraca: o impacto nos mercados

Casas Bahia: dedicação total à reestruturação

Há, no entanto, uma luz no futuro da Casas Bahia, de acordo com o banco norte-americano. 

Para o Citi, o plano de reestruturação em andamento, liderado pelo CEO Renato Franklin, será fundamental para melhorar a estrutura de capital do grupo, uma vez que a procura por produtos eletrônicos permanece fraca.

O banco também projeta uma melhora gradual na rentabilidade da Casas Bahia e diz que os consideráveis créditos fiscais de R$ 6,3 bilhões também deverão proporcionar alguma reserva de caixa — pelo menos suficiente para compensar as contingências trabalhistas.

Compartilhe

TRAGAM A COROA

Tchau, Itaú (ITUB4): Nubank (ROXO34) se torna o banco mais valioso da América Latina pela primeira vez em dois anos

24 de maio de 2024 - 17:24

Atualmente, o banco digital é avaliado em US$ 56,19 bilhões, equivalente a R$ 290,52 bilhões nas cotações atuais

DONA DO CHATGPT

De demissões a polêmicas em Hollywood: por que a gestão de Sam Altman à frente da OpenAI vem sendo alvo de críticas

24 de maio de 2024 - 16:24

Desde que recuperou o trono de CEO em novembro, Sam Altman viu a empresa que fundou adentrar uma nova onda de intrigas — incluindo uma controvérsia com a atriz Scarlett Johansson e acordos altamente restritivos com antigos funcionários

APERTO DE MÃOS

Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4) anunciam acordo de cooperação para ‘mesclar’ malhas aéreas em meio a rumores de fusão das empresas

24 de maio de 2024 - 8:34

Entre as novas rotas compartilhadas, os clientes terão à disposição também oportunidades mais convenientes de conexão

UMA BATALHA DE GIGANTES

Mercado Livre quer se tornar maior banco digital do México — mas expansão do Nubank pode atrapalhar os planos

23 de maio de 2024 - 20:04

O banco do cartão roxo liderou a adição de usuários ativos mensais (MAU) no país, de acordo com relatório do Bank of America

UM AUXÍLIO PARA A DANÇA DAS CADEIRAS

Vale (VALE3) contrata consultoria internacional para seleção de novo CEO e dá mais um passo no processo de sucessão do comando

23 de maio de 2024 - 19:22

A escolhida para assessorar o conselho de administração na busca foi a Russell Reynolds, que entregará uma lista de três possíveis nomes para o cargo ao CA

Mais uma espera

Americanas (AMER3) adia novamente a divulgação dos balanços de 2023 e do primeiro trimestre de 2024

23 de maio de 2024 - 19:13

Previsão da empresa era divulgar seus números em 28 de maio, mas investigação de comitê independente ainda não terminou

NOVAS ESTRUTURAS?

Sanepar (SAPR11) estuda criar holding e outras empresas para segregar negócios; entenda

23 de maio de 2024 - 18:46

O levantamento será elaborado pela Fundação Instituto de Administração (FIA), que terá um prazo de 240 dias para concluir os trabalhos

CHUVA DE PROVENTOS?

Petrobras (PETR4) é a segunda empresa que mais pagou dividendos no 1T24 apesar da polêmica com governo; saiba quem foi a campeã

23 de maio de 2024 - 16:15

Entre janeiro e março deste ano, a estatal depositou um total de US$ 2,03 bilhões em remuneração aos acionistas; veja a lista completa

PAPEL FICOU BARATO?

XP quer recomprar até R$ 1 bilhão em ações após papéis despencarem 14% com o balanço do 1T24

23 de maio de 2024 - 13:28

O conselho de administração da companhia aprovou um programa de recompra de ações de papéis classe A no mercado norte-americano

OFERTA DE BONDS

Jack Ma em apuros? Ação da dona do AliExpress cai forte em meio a rumores de que gigante do e-commerce precisaria levantar US$ 5 bilhões

23 de maio de 2024 - 12:19

Segundo a Bloomberg, a varejista estaria cogitando uma emissão bilionária de títulos de dívida (bonds) para levantar capital; entenda

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar