🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Dinheiro para os acionistas

Acionistas da Vivo (VIVT3) aprovam redução de capital bilionária e vão receber uma bolada de volta

Telefônica, dona da Vivo, vai realizar redução de capital no valor de R$ 1,5 bilhão; veja quanto (e quando) os acionistas devem receber

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
24 de janeiro de 2024
19:25
Logo da empresa de telefonia Vivo (VIVT3)
Imagem: Shutterstock

A Telefônica, dona da Vivo (VIVT3), deu mais um passo em direção a uma gorda distribuição de recursos aos seus investidores anunciada no fim do ano passado.

Os acionistas da companhia aprovaram, em Assembleia Geral Extraordinária (AGE) realizada neste quarta-feira (24), uma redução de capital no valor de R$ 1,5 bilhão, sem cancelamento de ações. O conselho de administração da empresa havia aprovado e anunciado a medida em novembro de 2023.

O número de ações da Telefônica se manterá inalterado, assim como o percentual de participação dos acionistas na companhia. Por consequência, o capital social cairá de R$ 63.571.415.865,09 para R$ 62.071.415.865,09.

O valor referente à redução de capital será restituído aos acionistas. Segundo fato relevante arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a dona da Vivo devolverá aos detentores das suas ações R$ 0,90766944153 por papel VIVT3.

A Telefônica alerta, porém, que este valor ainda pode sofrer alteração até o dia 10 de abril de 2024, em razão do programa de recompra de ações da companhia que está em curso.

Além disso, esta será a data de corte para receber a devolução do dinheiro, isto é, só serão elegíveis ao recebimento os investidores que forem acionistas da companhia ao final do dia 10 de abril. Depois disso, as ações passam a ser negociadas ex-direitos.

O pagamento será feito em parcela única até o dia 31 de julho deste ano, em uma data ainda a ser definida pela diretoria da dona da Vivo.

"A companhia divulgará, oportunamente, os documentos e procedimentos a serem entregues e observados pelos acionistas não residentes, para fins tributários, inclusive em relação a eventual imposto de renda retido na fonte (IRRF) sobre ganhos de capital provenientes da redução", conclui o documento.

Dona da Vivo quer distribuir mais recursos aos acionistas

A redução de capital no valor de R$ 1,5 bilhão deve ser só o início para a Telefônica, que obteve da Anatel, a agência reguladora do setor de telecomunicações, aval para efetuar reduções de capital no valor de até R$ 5 bilhões.

Além disso, a companhia manifestou, também no ano passado, a intenção de remunerar seus investidores de outras formas, como recompra de ações e distribuição de dividendos e juros sobre capital próprio.

O montante a ser distribuído, disse a operadora na ocasião, deve ser igual ou maior que 100% do lucro líquido de cada um dos respectivos exercícios sociais de 2024 a 2026.

Compartilhe

ATENÇÃO, INVESTIDOR

Dividendos: Banco do Brasil (BBAS3) anuncia R$ 1,1 bilhão em JCP — em proventos antecipados do 2T24

24 de maio de 2024 - 18:52

Para ter direito à remuneração, é necessário possuir ações do BB até o fim do pregão de 23 de junho

TRAGAM A COROA

Tchau, Itaú (ITUB4): Nubank (ROXO34) se torna o banco mais valioso da América Latina pela primeira vez em dois anos

24 de maio de 2024 - 17:24

Atualmente, o banco digital é avaliado em US$ 56,19 bilhões, equivalente a R$ 290,52 bilhões nas cotações atuais

DONA DO CHATGPT

De demissões a polêmicas em Hollywood: por que a gestão de Sam Altman à frente da OpenAI vem sendo alvo de críticas

24 de maio de 2024 - 16:24

Desde que recuperou o trono de CEO em novembro, Sam Altman viu a empresa que fundou adentrar uma nova onda de intrigas — incluindo uma controvérsia com a atriz Scarlett Johansson e acordos altamente restritivos com antigos funcionários

APERTO DE MÃOS

Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4) anunciam acordo de cooperação para ‘mesclar’ malhas aéreas em meio a rumores de fusão das empresas

24 de maio de 2024 - 8:34

Entre as novas rotas compartilhadas, os clientes terão à disposição também oportunidades mais convenientes de conexão

UMA BATALHA DE GIGANTES

Mercado Livre quer se tornar maior banco digital do México — mas expansão do Nubank pode atrapalhar os planos

23 de maio de 2024 - 20:04

O banco do cartão roxo liderou a adição de usuários ativos mensais (MAU) no país, de acordo com relatório do Bank of America

UM AUXÍLIO PARA A DANÇA DAS CADEIRAS

Vale (VALE3) contrata consultoria internacional para seleção de novo CEO e dá mais um passo no processo de sucessão do comando

23 de maio de 2024 - 19:22

A escolhida para assessorar o conselho de administração na busca foi a Russell Reynolds, que entregará uma lista de três possíveis nomes para o cargo ao CA

Mais uma espera

Americanas (AMER3) adia novamente a divulgação dos balanços de 2023 e do primeiro trimestre de 2024

23 de maio de 2024 - 19:13

Previsão da empresa era divulgar seus números em 28 de maio, mas investigação de comitê independente ainda não terminou

NOVAS ESTRUTURAS?

Sanepar (SAPR11) estuda criar holding e outras empresas para segregar negócios; entenda

23 de maio de 2024 - 18:46

O levantamento será elaborado pela Fundação Instituto de Administração (FIA), que terá um prazo de 240 dias para concluir os trabalhos

CHUVA DE PROVENTOS?

Petrobras (PETR4) é a segunda empresa que mais pagou dividendos no 1T24 apesar da polêmica com governo; saiba quem foi a campeã

23 de maio de 2024 - 16:15

Entre janeiro e março deste ano, a estatal depositou um total de US$ 2,03 bilhões em remuneração aos acionistas; veja a lista completa

PAPEL FICOU BARATO?

XP quer recomprar até R$ 1 bilhão em ações após papéis despencarem 14% com o balanço do 1T24

23 de maio de 2024 - 13:28

O conselho de administração da companhia aprovou um programa de recompra de ações de papéis classe A no mercado norte-americano

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar