🔴 SÉRIE EMPIRICUS IN$IGTS: +100 RELATÓRIOS CORTESIA – LIBERE GRATUITAMENTE

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa vai na contramão do exterior e fecha em queda, aos 129 mil pontos; dólar avança a R$ 4,99

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
23 de fevereiro de 2024
7:22 - atualizado às 18:28

RESUMO DO DIA: O Ibovespa terminou a sessão desta sexta-feira (23) na contramão dos mercados globais, com um recuo de 0,63%, aos 129.418 pontos. Por sua vez, o dólar acelerou os ganhos e encerrou o dia em alta de 0,81%, negociado a R$ 4,9930 no mercado à vista.

O principal índice da B3 até operou no campo positivo pela manhã, acompanhando o otimismo dos investidores após o balanço financeiro da Vale (VALE3) do quarto trimestre de 2023, mas perdeu o fôlego ao longo do pregão.

A bolsa brasileira sentiu o peso do recuo em bloco de ações das petroleiras, que acompanharam a forte desvalorização da commodity no exterior.

Por aqui, as ações mais cíclicas aproveitaram o recuo dos juros futuros para embolsar ganhos hoje. Os papéis da Eztec (EZTC3) lideraram a ponta positiva do Ibovespa, com alta de 4,06%, acompanhada pela Gol (GOLL4), com valorização de 2,72%.

Já no campo negativo, as ações da Casas Bahia (BHIA3) foram destaque de baixa, com -6,93%, em realização de lucros da última sessão. O Pão de Açúcar (PCAR3) terminou mais uma sessão no vermelho, com baixa de 5,03%.

No exterior, os negócios mantiveram tom levemente positivo, com balanços corporativos ditando o tom de Wall Street. O otimismo ainda impulsionou os índices de Nova York a renovarem os recordes históricos.

Enquanto isso, na Europa, os mercados também avançaram nesta sessão, com a euforia pelos resultados corporativos conseguindo se sobrepor à notícia de que o PIB da Alemanha encolheu 0,3% no quarto trimestre em relação aos três meses anteriores.

Confira o que movimentou os mercados nesta sexta-feira (23):

MAIORES ALTAS E QUEDAS DO PREGÃO

Confira as maiores altas do Ibovespa no fechamento desta sexta-feira (23):

CÓDIGONOMEULTVAR
EZTC3EZTEC ONR$ 16,934,06%
GOLL4Gol PNR$ 2,642,72%
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 2,151,90%
CSNA3CSN ONR$ 17,731,60%
WEGE3Weg ONR$ 35,981,44%

E as maiores quedas da sessão:

CÓDIGONOMEULTVAR
BHIA3Casas Bahia ONR$ 8,33-6,93%
PCAR3GPA ONR$ 3,78-5,03%
RAIZ4Raízen ONR$ 3,69-4,16%
CRFB3Carrefour Brasil ONR$ 12,31-4,05%
RRRP33R Petroleum ONR$ 28,17-4,02%
FECHAMENTO DO IBOVESPA

O Ibovespa encerrou o pregão em queda de 0,63%, aos 129.418 pontos.

O principal índice de ações da B3 foi na contramão do otimismo do exterior, acompanhando o recuo em bloco das ações de petroleiras.

FECHAMENTO DE WALL STREET

Os índices de ações de Nova York terminaram o pregão desta sexta-feira (23) em leve alta após atingirem novos recordes em Wall Street. Confira:

  • Dow Jones: +0,16%
  • S&P 500: +0,04%
  • Nasdaq: +0,28%
DESTAQUES DO PREGÃO

As ações mais cíclicas e ligadas a consumo aproveitam o recuo dos juros futuros (DIs) para embolsar ganhos hoje.

Os papéis da Gol (GOLL4) lideram a ponta positiva do Ibovespa, com alta de 5,06% por volta das 17h20, a R$ 2,70.

A Eztec (EZTC3) também se beneficia da queda dos DIs e avança 4,12%, a R$ 16,94.

No setor de mineração e siderurgia, a CSN destoa dos pares e opera entre os principais ganhos da bolsa pela tarde, com leve avanço de 1,78%, a R$ 17,76, acompanhando o desempenho do minério de ferro em Dalian hoje.

Já no campo negativo, as ações da Casas Bahia (BHIA3) são destaque de baixa, em realização de lucros da última sessão. Os papéis recuam 6,26%, a R$ 8,39.

O Pão de Açúcar (PCAR3) caminha para fechar mais uma sessão no vermelho, com baixa de 4,77%, negociado a R$ 3,79 na B3.

Por sua vez, a 3R Petroleum (RRRP3) cai 3,75%, a R$ 28,25, enquanto a Raízen (RAIZ4) recua 3,64%, a R$ 3,71.

A RENNER (LREN3) ESTÁ BARATA DEMAIS? ESSE BANCÃO GRINGO DIZ SE É HORA DE COMPRAR AÇÕES DA VAREJISTA

O varejo brasileiro andou patinando nos últimos e a Lojas Renner (LREN3) não escapou dos efeitos da pandemia de covid-19, do aumento da concorrência chinesa e da escalada de juros no Brasil.

No entanto, parece que a Renner está deixando o pior para trás. O JP Morgan não só reafirmou a recomendação de compra para as ações LREN3 como também diz que a ação está barata.

Segundo o banco norte-americano, o risco-recompensa está favorável e os investidores podem se beneficiar de uma potencial valorização dos papéis daqui para frente.

O JP Morgan enxerga um upside significativo nas ações da varejista, que está entre as maiores as altas do Ibovespa nesta sexta-feira (23). Por volta de 15h40, o papel subia 1,32%, cotado a R$ 15,33. Acompanhe nossa cobertura ao vivo dos mercados.

Leia mais.

PETROBRAS (PETR4) ANUNCIA INVESTIMENTO MILIONÁRIA EM CULTURA

A Petrobras (PETR4) anunciou nesta sexta-feira (23) que investirá R$ 250 milhões em ações culturais que promovem a diversidade e a inclusão.

A iniciativa tem como objetivo movimentar a economia criativa nas cinco regiões do país e patrocinar projetos com "elementos de brasilidade" para compor os novos eixos do Programa Petrobras Cultural:

  • Produção e Distribuição
  • Ícones de Cultura Brasileira
  • Cinema e Cultura Digital
  • Festivais e Festas Populares

Poderão participar da seleção propostas de programação de espaços culturais, espetáculos artísticos, exposições, produção de filmes, manutenção de grupos artísticos, projetos digitais, festivais temáticas diversas, festas regionais e outros, num total de dez tipos diferentes de ações de patrocínio.

As inscrições podem ser realizadas até o dia 8 de abril. Os projetos deverão estar inscritos ou se inscreverem na Lei Rouanet ou Lei do Audiovisual, o que poderá ser feito posteriormente ao resultado do processo seletivo.

FECHAMENTO DO DÓLAR

O dólar terminou o pregão desta sexta-feira (23) em alta. A moeda norte-americana avançou 0,81%, cotada em R$ 4,9930 no mercado à vista.

Na semana, o dólar acumulou valorização de 1,13%.

FECHAMENTO DO PETRÓLEO

Os contratos do petróleo encerraram esta sexta-feira (23) no vermelho.

O Brent, considerado referência no mercado internacional, para abril recuou 2,30%, a US$ 80,80 o barril na Intercontinental Exchange (ICE).

Já o barril do WTI para abril encerrou com baixa de 2,70%, a US$ 76,49 New York Mercantile Exchange (Nymex).

COMO ANDAM OS MERCADOS

O Ibovespa opera na contramão dos mercados internacionais nesta sexta-feira (23). Por volta das 16h35, o principal índice de ações da B3 recuava 0,73%, aos 129.290 pontos.

No mesmo horário, o dólar avançava 0,57% no mercado à vista, negociado a R$ 4,9890.

Em Wall Street, as bolsas de valores norte-americanas operam sem direção única. Confira:

  • Dow Jones: +0,11%
  • S&P 500: +0,10%
  • Nasdaq: -0,14%
FECHAMENTO DO OURO

Os contratos futuros do ouro terminaram a sessão desta sexta-feira (23) em alta.

O metal precioso com entrega prevista para abril fechou com avanço de 0,92%, a US$ 2.049,40 a onça-troy na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Na semana, o ouro acumulou valorização de 1,25%.

CEO DA VALE (VALE3) PROJETA NOVAS AQUISIÇÕES E RESOLUÇÃO DE MARIANA NOS PRÓXIMOS MESES

Enquanto as ações da Vale (VALE3) amargam queda da ordem de 11% na B3 neste ano, os responsáveis pelo comando da mineradora se dizem “mais otimistas do que nunca” com o futuro da companhia — e, para o CEO Eduardo Bartolomeo, a empresa encontra-se em um “momento singular”.

Segundo Bartolomeo, se o ano passado foi marcante, 2024 tem tudo para manter o passo da recuperação. É importante destacar que a companhia viu o lucro líquido encolher 57% em 2023 em relação ao ano anterior, para US$ 8,105 bilhões.

“Em 2024 estamos em um ritmo acelerado para apresentar um ótimo desempenho. Fizemos o que prometemos e entregamos o guidance”, afirmou o executivo, durante conferência de resultados nesta sexta-feira (23). 

Na visão do executivo, o quarto trimestre foi “muito forte”, com a produção de minério de ferro acima das projeções (guidance) da companhia, a 321 milhões de toneladas. Em dezembro, a empresa ainda atingiu o maior patamar de produção desde 2018.

Leia mais.

SOBE E DESCE DO IBOVESPA

Confira as maiores quedas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
BHIA3Casas Bahia ONR$ 8,50-5,03%
PCAR3GPA ONR$ 3,84-3,52%
CRFB3Carrefour Brasil ONR$ 12,42-3,20%
RRRP33R Petroleum ONR$ 28,47-3,00%
MRFG3Marfrig ONR$ 8,55-2,73%
Fonte: Broadcast

Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
GOLL4Gol PNR$ 2,684,28%
EZTC3EZTEC ONR$ 16,873,69%
CSNA3CSN ONR$ 17,681,32%
WEGE3Weg ONR$ 35,911,24%
LREN3Lojas Renner ONR$ 15,301,12%
Fonte: Broadcast

BOLSAS DA EUROPA FECHAM EM ALTA COM RECORDE DO STOXX 600

As principais bolsas europeias fecharam a semana em terreno positivo, dando continuidade aos ganhos da última sessão.

O mercado foi bastante impulsionado pelo crescimento da gigante norte-americana Nvidia, que reportou um balanço melhor do que o esperado nesta semana.

O destaque vai para o índice amplo Stoxx 600 que subiu 0,43% e registrou a marca histórica de 497,25 pontos.

  • Londres: +0,28%
  • Frankfurt: +0,28%
  • Paris: +0,70%
COMO ANDAM OS MERCADOS

O Ibovespa opera em queda nesta tarde, puxado pela baixa do petróleo de 3%. Por volta das 12h30, o principal índice da B3 caía 0,38%, aos 129.758 pontos.

No mesmo horário, o dólar avançava 0,54% no mercado à vista, cotado a R$ 4,987.

Já em Wall Street, os índices norte-americanos marcam valorização.

GIRO DO MERCADO

Seguindo com a temporada de resultados do 4T23, ontem (22) foi a vez da gigante da bolsa, Vale (VALE3), de reportar seus números.

Além do lucro, que recuou 34,7% no quarto trimestre de 2023, a US$ 2,44 bilhões, a mineradora também anunciou o pagamento de R$ 11 bilhões em dividendos, equivalentes a R$ 2,73 por ação.

Dona da bolsa de valores, a B3 (B3SA3) também apresentou seus números ontem.

O documento enviado ao mercado mostrou que a empresa encerrou o quarto trimestre de 2023 com lucro de R$ 915 milhões, queda de 8,8% ante mesma etapa de 2023.

Os analistas da Empiricus Research, Henrique Cavalcante e Larissa Quaresma, comentam os dois resultados e fazem suas recomendações do que fazer com as ações agora.

Acompanhe:

NUBANK: REAÇÃO AO BALANÇO DO 4T23

As ações do Nubank reagem com uma forte volatilidade aos resultados do quarto trimestre de 2023, que saíram ontem à noite.

Por volta das 11h40, os papéis do banco digital (NU) eram negociados em alta de 0,48% na bolsa de Nova York, a US$ 10,42. Mas chegaram a cair forte logo após a abertura, bateram em US$ 9,74 nas mínimas (queda de 6%).

De modo geral, os analistas consideraram o balanço positivo, ainda que a expectativa para os números fosse grande. O Nubank registrou lucro líquido de US$ 361 milhões no quarto trimestre, levemente abaixo das projeções do mercado.

Ainda assim, o banco digital alcançou uma rentabilidade de 23% nos últimos três meses do ano. Desse modo, superou os principais concorrentes, incluindo os gigantes Itaú e Banco do Brasil.

GPA QUER VENDER REDE DE POSTOS DE GASOLINA

O Grupo Pão de Açúcar (GPA) está em busca de voltar a ser uma das estrelas entre as maiores varejistas do país.

Assim, a companhia informou nesta sexta-feira (23) que pretende vender sua rede de postos de gasolina, visando a redução da alavancagem financeira. No total, são 66 pontos de operação.

O plano de reestruturação parece ter dado frutos, “apesar de estar apenas na metade do trabalho”, segundo o CEO. Na noite da última quarta-feira (21), a rede varejista reportou seu balanço do quarto trimestre de 2023, que ainda apresentou prejuízo, mas bem inferior às estimativas dos analistas.

Os resultados do Pão de Açúcar (PCAR3) foram bem recebidos por analistas e inicialmente também pelo mercado.

Leia mais.

ABERTURA DE NOVA YORK

Bolsas de NY iniciam o último pregão desta semana em alta.

Após rali da última quinta-feira (23), Wall Street mantém alta em dia de agenda esvaziada.

Os índices ainda repercutem o otimismo em relação a tecnologia, impulsionado pelo balanço da Nvidia.

Contudo, expectativas de corte de juros nos EUA voltam a ficar no radar dos investidores.

Confira como os índices de NY iniciaram sessão:

S&P 500 futuro: +0,37%
Dow Jones futuro: +0,28%
Nasdaq futuro: +0,48%

AÇÕES DA B3 (B3SA3) OPERAM VOLÁTIL

As ações da B3, dona da bolsa brasileira, operam com volatilidade no pregão desta sexta-feira (23) após o balanço mais fraco do quarto trimestre de 2023.

Por volta das 10h20, os papéis B3SA3 marcavam alta de 0,40%, a R$ 12,70, depois de recuarem mais de 1% nas mínimas na abertura.

MAIORES ALTAS E QUEDAS DA ABERTURA

As ações da Gol (GOLL4) lideram os ganhos da bolsa brasileira no pregão desta sexta-feira (23), recuperando das fortes quedas da última sessão.

A Vale (VALE3) também é destaque nesta manhã após a divulgação do balanço do quarto trimestre de 2023 e o anúncio de dividendos bilionários.

Confira as maiores altas do Ibovespa na abertura:

CÓDIGONOMEULTVAR
GOLL4Gol PNR$ 2,694,67%
LREN3Lojas Renner ONR$ 15,683,64%
WEGE3Weg ONR$ 36,091,75%
VALE3Vale ONR$ 68,341,67%
AZUL4Azul PNR$ 12,211,58%

Já na ponta positiva, o Assaí (ASAI3) e o Carrefour (CRFB3) devolvem os ganhos da última sessão após passada a euforia com os resultados corporativos.

Veja as maiores quedas do índice pela manhã:

CÓDIGONOMEULTVAR
JBSS3JBS ONR$ 21,20-1,90%
ASAI3Assaí ONR$ 14,58-1,69%
CRFB3Carrefour Brasil ONR$ 12,64-1,48%
MRFG3Marfrig ONR$ 8,66-1,48%
CSAN3Cosan ONR$ 17,99-0,88%
ABERTURA DO IBOVESPA

O Ibovespa deixou os leilões de abertura nesta sexta-feira (23) em tímida alta de 0,15%, aos 130.440 pontos.

O principal índice de ações da B3 acompanha o tom levemente positivo nos mercados internacionais após a euforia dos investidores com os balanços de empresas de tecnologia como a Nvidia.

COMO SUPER-RICOS AJUDARAM GOVERNO A CONSEGUIR MAIOR ARRECADAÇÃO EM QUASE 30 ANOS

A arrecadação do governo federal cresceu 6,67%, já descontada a inflação, e foi recorde em janeiro. O resultado já reflete parte do efeito das medidas arrecadatórias propostas pelo Ministério da Fazenda e aprovadas pelo Congresso ao longo do segundo semestre de 2023.

Com isso, o governo reduz a necessidade de bloqueio de despesas para o cumprimento da meta de déficit zero em 2024. Porém, os números ainda estão sendo refinados pela equipe econômica.

Foram R$ 280,6 bilhões recolhidos em tributos no primeiro mês do ano, o maior valor da série histórica iniciada em 1995.

A alta representa uma reversão na tendência de arrefecimento da arrecadação que vinha sendo observada até novembro. Isso porque, em dezembro, o governo já começou a recolher impostos sobre os fundos dos mais ricos.

Leia mais.

ADRS DE VALE E PETROBRAS 

Os recibos de ações (ADRs) de Vale e Petrobras registram leves ganhos no pré-mercado em Nova York nesta sexta-feira (23). 

  • Petrobras (PBR): +0,06%, a US$ 17,58;
  • Vale (VALE): +0,30%, a US$ 13,55. 
MERCADO DE COMMODITIES 

Os contratos futuros de petróleo iniciaram o dia no vermelho, devolvendo parte dos ganhos da última sessão.

Por volta das 9h45, o Brent, considerado referência no mercado internacional, para abril recuava 1,47%, a US$ 82,44 o barril.

No mesmo horário, o WTI para março marcava queda de 1,58%, negociado a US$ 77,37 o barril.

Já o minério de ferro encerrou em alta após uma sequência de baixas nos mercados asiáticos. A commodity para maio subiu 0,45% em Dalian, cotado a US$ 124,95.

MATHEUS SPIESS: MERCADO EM 5 MINUTOS

ALGUÉM SEGURA ESSE RALI: A VIDA É MUITO CURTA PARA SHORTEAR O S&P

Na ausência de eventos significativos no cenário internacional, investidores estrangeiros estão aproveitando o momento para ajustar as reações exageradas vistas anteriormente. Os principais índices do mercado europeu mostram-se próximos da estabilidade, enquanto os futuros dos EUA apresentam queda, corrigindo o impulso provocado pela euforia em torno da Nvidia. Observou-se um desempenho recorde em diversos mercados, desde a Ásia até a Europa e os Estados Unidos, entre quinta e sexta-feira, refletindo um otimismo acentuado no ambiente de mercado. Notavelmente, os mercados asiáticos encerraram o dia sem uma tendência unificada, influenciados pela redução da liquidez devido a um feriado em Tóquio.

Paralelamente aos resultados corporativos, há reflexões importantes a serem feitas sobre a política monetária do Federal Reserve. Recentemente, Christopher Waller, um dos membros do Fed, indicou que não existe urgência para a redução das taxas de juros, sugerindo a manutenção de juros elevados por um período mais extenso. Do outro lado do Atlântico, os dados sobre as expectativas de inflação na Zona do Euro surgem como um fator adicional, que pode ajudar a calibrar as expectativas dos investidores quanto às futuras ações do Banco Central Europeu, especialmente em um momento que marca mais um trimestre de retração no PIB alemão.

A ver...

00:45 — Se mantendo acima dos 130 mil pontos

No mercado brasileiro, o Ibovespa tem mantido sua posição acima dos 130 mil pontos, ainda que com uma participação mais reservada no rali global. As limitações internas podem ser atribuídas, em grande parte, às disputas fiscais nacionais, especialmente após a decisão favorável ao Congresso na contenda sobre o agendamento das emendas parlamentares. Ontem, o governo cedeu às exigências do Congresso, concordando em aderir ao cronograma de pagamento de emendas estipulado na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

Isso obriga o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, a desembolsar mais de R$ 14 bilhões em emendas parlamentares até o dia 30 de junho, o último prazo antes das eleições municipais. Nem mesmo os positivos dados de arrecadação de janeiro, que já haviam sido antecipados pelo mercado, forneceram um pilar de apoio nesse contexto.

Além disso, o ambiente é tensionado pelo noticiário corporativo, particularmente após os resultados aquém do esperado da Vale. A expectativa já era de números não muito animadores, mas o lucro líquido de US$ 2,4 bilhões no último trimestre de 2023, significativamente abaixo das previsões e com uma redução anual de mais de 30%, trouxe uma decepção adicional, exacerbada por provisões adicionais ligadas ao desastre da barragem de Samarco em Mariana, em 2015.

As ADRs da Vale em Nova York fecharam o pós-mercado com uma leve queda e mostram sinais de recuperação no pré-mercado desta manhã. Outro ponto de atenção é a indefinição na sucessão do CEO Eduardo Bartolomeu, cujo mandato se encerra em maio, criando incertezas sobre o futuro direcionamento da empresa. O ambiente geral é desfavorável, também influenciado pela postura da China, que limita um diálogo mais positivo com o setor. Dada a importância da Vale no Ibovespa, sua situação impacta significativamente o mercado como um todo.
01:39 — Há espaço para mais?

Na quinta-feira, os três principais índices do mercado de ações dos Estados Unidos alcançaram patamares inéditos, impulsionados pelos resultados excepcionais da Nvidia, que reforçaram a convicção de que os progressos em inteligência artificial (IA) poderão incrementar os lucros e expandir ainda mais o potencial de valorização das ações. O S&P 500 registrou seu décimo segundo recorde do ano de 2024, o Nasdaq 100 avançou 3%, e o Dow Jones ultrapassou a marca dos 39.000 pontos pela primeira vez. Paralelamente, as ações da Nvidia experimentaram uma alta de 16%, agregando aproximadamente US$ 277 bilhões ao seu valor de mercado em um único dia, um feito sem precedentes que superou o aumento de US$ 197 bilhões alcançado pela Meta, empresa mãe do Facebook, no começo do mês. O impulso parece continuar, visto que as ações da Nvidia apresentam alta no pré-mercado de hoje, mesmo com uma tendência de correção nos índices.

Contudo, o avanço para novas alturas não se limitou ao setor tecnológico. Um expressivo número de 55 empresas do S&P 500 também atingiu novos recordes na mesma sessão, abrangendo uma diversificada gama de indústrias e setores, como Costco Wholesale, Berkshire Hathaway, JP Morgan Chase, Merck e General Dynamics, demonstrando que o rali, inicialmente concentrado em tecnologia, agora se estende por uma vasta seção do mercado. Além disso, a mensagem de alguns membros do Federal Reserve (Fed) na quinta-feira, de que o banco central americano está no caminho certo para diminuir as taxas de juros ainda este ano, apesar de uma postura geral mais cautelosa, ofereceu um respiro aos investidores preocupados com as dinâmicas macroeconômicas.

02:28 — O recorde japonês

Com a bolsa de Tóquio fechada devido a um feriado, os demais mercados asiáticos registraram altas, impulsionados pelo recente rali da Nvidia em Nova York. Esse contexto oferece uma oportunidade para refletir sobre o desempenho notável do índice Nikkei 225 do Japão, que atingiu um novo recorde histórico na quinta-feira, superando sua máxima anterior de 1989. O otimismo em torno do índice é alimentado por uma combinação de políticas de estímulo do banco central do país e o término de longos períodos de deflação que marcaram a economia japonesa. Similaridades podem ser traçadas com a crise imobiliária do início dos anos 1990 no Japão, que mergulhou o país em uma recessão prolongada e um período de deflação, em um cenário que lembra os desafios atuais enfrentados pela China, indicativos de uma saturação no modelo de crescimento tipicamente asiático. O envelhecimento da população japonesa agravou esses desafios ao longo dos anos, mas a situação começou a se alterar com o término da pandemia de Covid-19, que introduziu inflação no sistema e pressionou as empresas a aumentarem sua produtividade e rentabilidade.

Curiosamente, o recorde do Nikkei 225 ocorre em um momento em que a economia japonesa acaba de entrar em recessão no segundo semestre de 2023. No entanto, isso não tem impedido o avanço das ações japonesas, especialmente considerando que o Japão frequentemente experimenta contrações econômicas. Nos últimos 18 anos, houve uma contração econômica em pelo menos um trimestre por ano em 17 desses anos. Isso se deve, em grande parte, ao baixo potencial de crescimento do Japão, exacerbado por desafios demográficos e de produtividade, facilitando a entrada da economia em recessão. Historicamente, as ações japonesas não têm reagido de maneira uniforme às recessões, apresentando um desempenho variado durante crises econômicas. Olhando para o futuro, com a economia em recessão, é improvável que o Banco do Japão adote políticas contracionistas, o que tende a ser favorável para o mercado de ações.

03:41 — E na Europa também!

O índice Stoxx 600, referência para o mercado europeu, também atingiu novos patamares históricos, necessitando de pouco mais de dois anos para alcançar essa marca, um feito notavelmente mais rápido em comparação com os mais de 30 anos de espera enfrentados pelos investidores no Japão. No entanto, esse marco para a Europa vem em um momento paradoxal, visto que, apesar do recorde, há uma tendência de retirada de capital da região por parte dos investidores. De fato, os fundos de ações europeus experimentaram resgates contínuos por, no mínimo, sete semanas seguidas. Tal cenário dificulta a defesa de um entusiasmo profundo por parte dos investidores em relação a esse desempenho histórico.

Ainda assim, quanto às avaliações, os ativos europeus estão sendo negociados a aproximadamente 13,6 vezes os lucros futuros, um valor que se situa abaixo da média dos últimos dez anos para o índice. Isso indica que, mesmo diante de um recorde, o Stoxx 600 está sendo avaliado a preços relativamente acessíveis para os padrões europeus (para contextualizar, o índice estava avaliado em pouco mais de 16 vezes os lucros futuros quando atingiu seu pico anterior, em janeiro de 2022). Este cenário sugere que ainda pode haver margem para valorização, especialmente considerando a tendência de queda nas taxas de juros observada este ano.

04:36 — Restrições de oferta e demanda global

Nesta manhã, observamos uma queda no preço do barril de petróleo, embora a trajetória recente tenha sido de ganhos, desafiando as preocupações com a demanda no curto prazo. Esse cenário pode ser atribuído a três principais fatores. Primeiramente, as tensões geopolíticas, especialmente na Rússia e nos países do Oriente Médio, influenciam negativamente a oferta de petróleo, gerando temores de possíveis interrupções. Em segundo lugar, indicadores apontam para um aperto na oferta do mercado físico de petróleo. Um exemplo claro disso foi o aumento menor do que o esperado nos estoques de petróleo dos Estados Unidos na última semana: um acréscimo de 3,51 milhões de barris frente a uma projeção de aumento de 3,9 milhões de barris, enquanto os estoques de gasolina diminuíram 293 mil barris.

Adicionalmente, até dezembro de 2023, a demanda global por petróleo continuou a bater recordes, com dezembro marcando o oitavo mês consecutivo de 2023 a registrar um pico histórico. Esse dinamismo se reflete nos preços mais elevados dos contratos futuros de curto prazo, sinalizando um mercado fortalecido. Portanto, apesar de os dados recentes não alterarem drasticamente a percepção de mercado, eles oferecem um sinal de estabilidade para aqueles que temiam um declínio acentuado na demanda. Embora exista a preocupação de que uma potencial recessão possa limitar a capacidade do petróleo de manter-se em níveis altos, certos fatores de suporte atuam para evitar uma queda mais pronunciada nos preços. Isso é uma notícia positiva para o Brasil, que espera se beneficiar das exportações de petróleo nos próximos anos.

ABERTURA DOS JUROS FUTUROS

Os juros futuros (DIs) abriram em leve estabilidade em quase toda a curva, em sintonia com o avanço dos rendimentos dos Treasurys em Nova York e a valorização do dólar no mercado à vista. 

Veja como abriram os DIs hoje: 

CÓDIGONOMEULT MIN MAX ABE FEC 
DI1F25DI Jan/2510,02%10,01%10,02%10,01%10,02%
DI1F26DI Jan/269,87%9,86%9,87%9,86%9,87%
DI1F27DI Jan/2710,04%10,02%10,04%10,02%10,04%
DI1F28DI Jan/2810,28%10,27%10,28%10,27%10,28%
DI1F29DI Jan/2910,45%10,44%10,45%10,44%10,46%
DI1F30DI Jan/3010,60%10,59%10,61%10,60%10,62%
DI1F31DI Jan/3110,68%10,68%10,70%10,69%10,70%
DI1F32DI Jan/3210,73%10,73%10,73%10,73%10,75%
DI1F33DI Jan/3310,79%10,79%10,81%10,80%10,81%
ABERTURA DO DÓLAR

O dólar à vista abre sessão desta sexta-feira (23) com alta de 0,16%, a R$ 4,9610.

ABERTURA DO IBOVESPA FUTURO

O Ibovespa futuro abre em alta de 0,12%, aos 132.200 pontos.

O indicador iniciou sessão na contramão da cautela dos mercados internacionais, com Wall Street perdendo fôlego após otimismo com inteligência artificial, impulsionado pelo balanço da Nvidia.

Porém, o principal índice da B3 apresenta volatilidade, oscilando perto da estabilidade.

Por aqui, os investidores devem concentrar as atenções nas repercussões dos balanços da Vale e do Nubank.

BOLSAS DA ÁSIA FECHAM EM ALTA

As principais bolsas de valores da Ásia fecharam em alta nesta sexta-feira.

Os investidores repercutiram o rali da véspera em Wall Street, ocorrido na esteira da euforia com o resultado da Nvidia, fabricante de chips no centro da onda de inteligência artificial.

Na China continental, os mercados ampliaram ganhos recentes, sustentados também por recentes medidas de apoio de Pequim.

A bolsa de Xangai subiu 0,55%.

As bolsas de Seul e de Taiwan fecharam em alta de 0,13% e de 0,19%, respectivamente.

Já a bolsa de Hong Kong fechou em queda de 0,10%.

No Japão, a bolsa de Tóquio não abriu hoje por causa de um feriado.

Confira como as bolsas asiáticas fecharam nesta sexta-feira (22):

  • Xangai: +0,55%
  • Tóquio: +2,19%
  • Hong Kong: -0,10%
  • Kospi: +0,13%
  • Taiwan: +0,94%
BOLSAS DA EUROPA ABREM SEM DIREÇÃO ÚNICA

As principais bolsas de valores da Europa abriram sem direção única nesta sexta-feira.

Os investidores reagem à temporada de balanços e à confirmação de que a Alemanha está em recessão.

Ainda assim, as variações são estreitas.

Veja como estavam as principais bolsas europeias por volta das 7h30:

  • Londres: -0,04%
  • Frankfurt: -0,05%
  • Paris: +0,32%
FUTUROS DE NOVA YORK AMANHECEM DE LADO

Os índices futuros das bolsas de valores de Nova York amanheceram de lado nesta sexta-feira.

Um dia depois de Wall Street estabelecer novos recordes históricos, os investidores adotam uma postura mais cautelosa hoje diante da agenda fraca.

Veja como estavam os índices futuros de Wall Street por volta das 7h30:

  • Dow Jones: -0,04%
  • S&P-500: -0,06%
  • Nasdaq: -0,16%
CONFIRMADA RECESSÃO NA ALEMANHA

A Alemanha está mesmo em recessão.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha caiu 0,3% no quarto trimestre de 2023 ante os três meses anteriores.

Divulgada hoje, a revisão do resultado confirmou a leitura preliminar e veio em linha com as estimativas.

Na comparação anual, o PIB alemão diminuiu 0,2% entre outubro e dezembro, também confirmando a estimativa inicial.

Já no acumulado de 2023, a economia da Alemanha registrou contração de 0,3% ante 2022.

COMO O IBOVESPA FECHOU ONTEM

O principal índice da B3 encerrou a sessão da última quinta-feira (23) em leve alta.

O Ibovespa foi puxado pelo otimismo dos mercados internacionais com o balanço da Nvidia. No embalo das bolsas em Wall Street, subiu 0,16% e conseguiu alcançar os 130.240 mil pontos.

Já o dólar também fechou em alta, com um aumento em 0,30%, negociado a R$ 4,9530 no mercado à vista.

Confira o que movimentou os mercados ontem (22).

AÇÃO DA PETROBRAS SOBE POR CAUSA DO GOVERNO OU APESAR DELE?

Já tinha virado rotina, depois de correr 10 km na academia, Paulo saía da esteira e ia direto para o McDonald's.

Não tenho nada contra quem corre, muito menos contra quem come um Big Mac. Mas convenhamos que esse é um hábito um tanto quanto peculiar, especialmente para alguém que estava tão focado em emagrecer, como era o caso do meu amigo.

O mais curioso é que ele realmente estava emagrecendo, já tinha perdido uns 2 kg em dois meses, mesmo com essa média elevada de quase uma mordida por quilômetro.

Mas mais curioso do que esse hábito do meu amigo, foi a justificativa dele.

Leia mais.

Compartilhe

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa sobe com commodities metálicas na tentativa de recuperar as perdas da semana; dólar tem leve alta

18 de abril de 2024 - 6:35

RESUMO DO DIA: Após mais de uma semana de quedas, o Ibovespa se livrar do sufoco com apoio do minério de ferro. Na agenda do dia, o exterior segue de olho nas reuniões de primavera do FMI e do Banco Mundial. O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos […]

AÇÕES NO SHAPE

Smart Fit (SMFT3) vai virar “monstro”? Banco recomenda compra das ações e vê espaço para rede de academias dobrar de tamanho

17 de abril de 2024 - 15:25

Os analistas do JP Morgan calcularam um preço-alvo de R$ 31 para os papéis da Smart Fit (SMFT3), o que representa um potencial de alta da ordem de 30%

DESTAQUES DA BOLSA

Ozempic que se cuide! Empresa de biotecnologia faz parceria para distribuir caneta do emagrecimento no Brasil e ações disparam quase 40% 

17 de abril de 2024 - 14:03

Com o anúncio, a Biomm conquistou R$ 1,2 bilhão em valor de mercado na B3; a comercialização do similar do Ozempic deve ainda passar pelo crivo da Anvisa

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Vale (VALE3) não é suficiente e Ibovespa fecha em queda na esteira de Nova York; dólar cai a R$ 5,24

17 de abril de 2024 - 6:49

RESUMO DO DIA: O Ibovespa até tentou interromper o ciclo de quedas com o forte avanço do minério de ferro e a prévia do PIB, mas o tom negativo de Nova York falou mais alto e arrastou o principal índice da bolsa brasileira. Com isso, o Ibovespa terminou o pregão em baixa de 0,17%, aos […]

REPORTAGEM ESPECIAL

O fracasso das empresas “sem dono” na B3. Por que o modelo das corporations vai mal na bolsa brasileira

16 de abril de 2024 - 15:54

São vários exemplos e de inúmeros setores de companhias sem uma estrutura de controle que passaram por graves problemas ou simplesmente fracassaram

MAIS 11 ATIVOS PARA A CONTA

Fundo imobiliário BTLG11 fecha acordo de quase R$ 2 bilhões por portfólio de imóveis em SP

16 de abril de 2024 - 11:36

O FII deve adquirir 11 ativos, com cerca de 550 mil metros quadrados prontos e performados

SÉRIE A DA B3

Auren (AURE3) fica de fora da segunda prévia do Ibovespa, que agora conta com a entrada de apenas uma ação

16 de abril de 2024 - 10:32

Se a previsão se confirmar, a carteira do Ibovespa contará com 87 ações de 84 empresas a partir de maio

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa cai pela quinta vez seguida pressionado por juros nos EUA e questão fiscal; dólar fecha no maior nível em 13 meses, a R$ 5,26

16 de abril de 2024 - 6:33

RESUMO DO DIA: A perspectiva de juros elevados por mais tempo nos Estados Unidos ganhou força mais uma vez e, combinada com a preocupação com o cenário fiscal doméstico, gerou mais lenha para a bolsa brasileira aumentar as cinzas. Pela quinta vez consecutiva, o Ibovespa terminou o dia no vermelho, com queda de 0,75%, aos […]

MERCADOS HOJE

Bolsas hoje: Ibovespa recua com pressão de bancos e Wall Street no vermelho; dólar sobe a R$ 5,18

15 de abril de 2024 - 6:43

RESUMO DO DIA: O Ibovespa terminou a sessão desta segunda-feira (15) no vermelho, pressionado pelo desempenho dos bancos, que recuaram em meio à crescente aversão ao risco no mercado hoje. O principal índice de ações da B3 fechou o pregão em baixa de 0,49%, aos 125.333 pontos. Já o dólar à vista avançou 1,25%, aos […]

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: Prévia do PIB no Brasil e balanços nos EUA são destaque junto com Livro Bege nos próximos dias

15 de abril de 2024 - 6:20

As reuniões do FMI ao longo da semana permanecem no radar, com discussões focadas na estabilidade financeira global e nas estratégias para enfrentar as incertezas econômicas

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar