🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O SEU CAPITAL POR 7,5X COM 1 CLIQUE – CONHEÇA A FERRAMENTA

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
TERAPIA INTENSIVA

Família controladora socorre Hapvida (HAPV3), que pode ter injeção de R$ 2,1 bilhões no caixa; ações disparam na B3

A solução para equacionar o endividamento da Hapvida passará por duas operações: a venda de dez imóveis e uma potencial oferta de ações na B3. Família Pinheiro vai participar de ambos os negócios

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
28 de março de 2023
8:12 - atualizado às 23:35
Hapvida
Cândido Pinheiro (à direita), fundador e presidente do Conselho de Administração do Hapvida, durante a cerimônia que marcou a chegada da empresa à bolsa brasileira, em 2018 - Imagem: B3

Abalada por um processo de fusão complexo e um alto endividamento, a Hapvida (HAPV3) vai receber uma injeção no caixa que pode chegar a R$ 2,1 bilhões. Quem vai liderar o socorro é a família Pinheiro, principal acionista da operadora de saúde.

A expectativa do mercado pela entrada de dinheiro novo na Hapvida já era grande após a série de dificuldades em que a companhia se meteu. Apenas neste ano, a operadora acumula uma perda de mais da metade do valor de mercado na B3.

A solução para equacionar o endividamento da empresa passará por duas operações: a venda de dez imóveis e uma potencial oferta de ações na B3.

Em comum entre elas está a participação da família Pinheiro, que pode injetar até R$ 1,6 bilhão na Hapvida na soma dos dois negócios.

O anúncio faz as ações da Hapvida dispararem na abertura do pregão desta terça-feira na B3. Por volta das 10h20, os papéis HAPV3 subiam 17%, para R$ 2,60.

  • Você investe em ações, renda fixa, criptomoedas ou FIIs? Então precisa saber como declarar essas aplicações no seu Imposto de Renda 2023. Clique aqui e acesse um tutorial gratuito, elaborado pelo Seu Dinheiro, com todas as orientações sobre o tema. 

Hapvida: de onde vem o dinheiro novo

O grupo fundador fechou a compra de dez imóveis da Hapvida com o compromisso de alugá-los para a própria operadora em seguida. Esse negócio, conhecido no mercado como "sale and leaseback", vai render R$ 1,250 bilhão para a companhia.

A proposta da família foi a melhor entre seis que a Hapvida recebeu em um processo competitivo, de acordo com a empresa. Veja a seguir as condições:

  • Montante: R$ 1.250.000.000,00
  • Cap Rate Anual: 8,50% (i.e. R$ 8.854.166,67 por mês)
  • Índice de reajuste anual: IPCA
  • Prazo de locação: 20 anos (com opção de renovação por mais 20 anos)
  • Opção de recompra, pela Companhia, em condições pré-determinadas, no 36º ou no 60º mês contados do início das locações objeto do SLB
  • Sem necessidade de aprovação prévia de autoridades regulatórias
  • Sem necessidade de conclusão de auditoria (due diligence)
  • Sem garantias exigíveis

Oferta de ações vem aí?

O dinheiro restante para reforçar o caixa da Hapvida deve vir de uma oferta de ações na B3. A empresa contratou os bancos Bank of America, UBS, BTG Pactual e Itaú BBA para avaliar a operação.

No total, a oferta pode movimentar R$ 877 milhões, considerando o total de ações que podem ser emitidas (395.207.520) e o preço de fechamento de HAPV3 ontem na B3 (R$ 2,22).

A emissão de ações ainda dependerá das condições, mas parte da demanda já está garantida. Isso porque a família Pinheiro se comprometeu a exercer o direito de prioridade. Ou seja, pretende injetar R$ 360 milhões na Hapvida com a compra dos novos papéis.

Seja como for, ambas as operações devem ajudar a diminuir as preocupações com a saúde financeira da Hapvida. Isso porque a relação entre a dívida líquida e o Ebitda ajustado da companhia alcançou a casa de 2,45 vezes no fim do ano passado, e a dívida líquida atingiu a marca de R$ 7 bilhões.

Hapvida (HAPV3): vale a pena comprar as ações?

Apesar da reação no pregão de hoje, as ações da Hapvida seguem com uma forte desvalorização acumulada. Assim, fica a pergunta: vale a pena investir e virar sócio da família Pinheiro nesse negócio?

Para a Empiricus Research, a resposta é sim. “Ainda que continue enfrentando desafios operacionais importantes com a sinistralidade alta e persistente, a injeção de capital na companhia afasta o fantasma da liquidez e desenha um horizonte mais positivo para a companhia”, escreve o analista Fernando Ferrer.

Por fim, a injeção de dinheiro novo por meio da venda de imóveis e da emissão de ações também deve reduzir as preocupações com uma possível insolvência regulatória da Hapvida, de acordo com o Santander.

Os analistas do banco também têm recomendação de compra para HAPV3, com preço-alvo de R$ 7. Ou seja, mais que o dobro das cotações atuais, mesmo após a disparada de hoje.

Compartilhe

VALE A PENA?

A ação da Vale (VALE3) está barata? Papel está descontado em relação a gigantes gringas; saiba se é hora de aproveitar

18 de julho de 2024 - 15:47

O Itaú BBA calcula um preço-alvo de US$ 14 para os ADRs da mineradora, o que representa um potencial de valorização de 24,8% sobre o fechamento de quarta-feira (17)

IA EM FOCO

Depois da tempestade, setor de chips e semicondutores de Inteligência Artificial (IA) respira após balanço da TSMC

18 de julho de 2024 - 13:48

Empresa taiwanesa ampliou lucro em 36% no segundo trimestre e superou as expectativas, com forte demanda por chips

AQUISIÇÃO

De olho nas importações, BTG Pactual (BPAC11) adquire capital social da Sertrading, empresa de patrimônio de quase R$ 400 milhões

18 de julho de 2024 - 9:46

De acordo com o comunicado enviado à CVM, em quatro anos, o volume transacionado em operações de comércio exterior passou de R$ 5 bilhões para R$ 19 bilhões

EMPREENDEDORISMO

Novo visual e mudança de nome: as apostas da Grendene (GRND3) para conquistar franqueados e abrir mais lojas da Melissa

18 de julho de 2024 - 9:09

Um ano após internalizar a gestão de franquias, a marca famosa por suas sandálias de plástico com aroma de tutti-frutti também lançará novos formatos de lojas

APÓS A CRISE

Lemann e sócios recalculam a rota: Americanas (AMER3) adia publicação do balanço após laudo de investigação independente

18 de julho de 2024 - 7:33

A publicação dos resultados ficou para o dia 14 de agosto, quando também serão divulgados os números do período até 30 de junho

MAIS UM PASSO

Agora vai? Grupo de credores da Americanas (AMER3) adere ao plano de recuperação judicial e abre caminho para novas emissões e pagamentos

17 de julho de 2024 - 20:27

Segundo a varejista, os credores titulares da maioria dos créditos quirografários — aqueles sem garantia — aderiram às deliberações sobre o plano de recuperação judicial do grupo, homologado em 26 de fevereiro de 2024

VALE A PENA VER DE NOVO

Guerra na Vale (VALE3)? Mineradora volta a falar sobre a sucessão do CEO em meio a boatos de divisão interna

17 de julho de 2024 - 19:48

No início do mês, o jornal o Globo noticiou uma divisão dentro da mineradora, que poderia levar a uma tentativa de implosão do atual conselho e comprometer a escolha do novo comandante da empresa

O 'SIM' QUE FALTAVA

Caminho livre para a Casas Bahia (BHIA3): credoras que foram à Justiça contra a varejista e sofreram derrota aderem ao plano de recuperação

17 de julho de 2024 - 18:42

Com o aceite oficial da Opea Securitizadora e da Pentágono Distribuidora, a companhia informou que todos os seus credores aderiram ao plano

NESSA DANÇOU

Mais dancinha, menos foguete: ByteDance, dona do TikTok, é unicórnio mais valioso do que SpaceX, de Elon Musk

17 de julho de 2024 - 18:06

“Unicórnio” é o nome dado a startups que sobrevivem majoritariamente com o dinheiro de venture capitals e que conseguiram atingir um valor de mercado de pelo menos US$ 1 bi

DESTAQUES DA BOLSA

Fracasso para a Oi (OIBR3)? Ações aprofundam perdas e tombam 15% após companhia receber proposta bilhões menor que a esperada em leilão

17 de julho de 2024 - 16:21

O plano de recuperação judicial da Oi previa a arrecadação de no mínimo R$ 7,3 bilhões com a venda da ClientCo, unidade de banda larga da empresa

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar