🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
TODO MUNDO USA?

Alpargatas (ALPA4) leva uma chinelada e desaba 20% na bolsa com Americanas (AMER3) e reestruturação drenando o caixa

JP Morgan está confiante de que a companhia pode sim voltar a apresentar um balanço mais saudável, já que os custos de reestruturação deixam espaço para uma recuperação das margens em 2023

Jasmine Olga
Jasmine Olga
10 de fevereiro de 2023
14:30 - atualizado às 19:45
1920x1080 Matéria WebStory Havaianas Glitch Digital
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

As ações da Alpargatas (ALPA4) começam a sexta-feira (10) levando uma verdadeira chinelada no Ibovespa — os papéis caem mais de 18% após a divulgação dos resultados da companhia no quarto trimestre. 

Tendo em vista a sequência de resultados fracos que a empresa já vinha apresentando, a expectativa dos analistas para os números era mais conservadora do que o normal, mas não foi o suficiente para evitar uma decepção. 

O desempenho do varejo alimentar pesou no volume de vendas no Brasil, a operação internacional segue sendo um ponto de atenção, e os quase R$ 50 milhões gastos com uma reestruturação interna pesaram sobre as principais linhas do balanço. 

A Alpargatas, dona da Havaianas, teve um prejuízo líquido consolidado de R$ 21 milhões no quarto trimestre de 2022 — um tombo feio quando comparado com o lucro de R$ 303,1 milhões do mesmo período do ano anterior. No ano passado, o lucro líquido caiu 84,3%, para R$ 108,5 milhões. 

A comparação entre os trimestres é inevitável, mas a empresa lembra que as bases não são comparáveis, uma vez que a compra da Rothy's e a venda da Osklen foram anunciadas no último trimestre de 2021.

Nos últimos três meses do ano, o lucro líquido recorrente de Havaianas foi de R$ 81 milhões, queda de 46% ante o mesmo período de 2021. No ano, a queda foi de 23% (R$ 439 milhões). O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) recuou mais de 15% na base anual, a R$ 152,6 milhões, enquanto a receita líquida cresceu 3,2%, indo a R$ 1,103 bilhão.

A companhia encerrou o quarto trimestre com posição financeira líquida negativa em R$ 612 milhões. De acordo com a empresa, a redução se deu pelo aumento de estoques de matéria-prima e produtos acabados, pela variação da linha de contas a receber e pela intensificação dos investimentos estratégicos (capex), isso sem falar nos custos de aquisições. 

O que o mercado não gostou

No geral, os especialistas consideraram os números apresentados pela companhia fracos e abaixo das expectativas, com forte queda nos volumes de venda no Brasil e altos custos de reestruturação, principalmente na sua operação internacional. 

Para o Bradesco, o braço internacional, representado principalmente pela recém-adquirida Rothy’s, deve seguir pressionado, uma vez que o cenário competitivo nos Estados Unidos e em outros países é complicado. No quarto trimestre, entraves no comércio entre China e EUA também foram responsáveis por pressionar o balanço.  

Apesar de tudo, os analistas do JP Morgan estão confiantes de que a companhia pode sim voltar a apresentar um balanço mais saudável, já que os custos de reestruturação que pesaram sobre o ano devem deixar espaço para uma recuperação das margens em 2023 — isso sem falar que, apesar da sequência de resultados decepcionantes, não há nenhum grande problema estrutural a ser encarado. 

O banco de investimento também acredita que a fabricante de calçados está na direção certa para ajustar a sua operação internacional de forma a atrair melhores resultados no médio prazo. 

Ninguém escapa do “Efeito Americanas” 

Assim como tem acontecido com os grandes bancos, a Alpargatas se viu obrigada a provisionar um eventual calote de recebíveis da Americanas (AMER3). 

No balanço do quarto trimestre, o total foi de R$ 6,7 milhões, o que representa 100% da dívida da varejista com a companhia.

Compartilhe

ATENÇÃO, INVESTIDOR

Dividendos: Banco do Brasil (BBAS3) anuncia R$ 1,1 bilhão em JCP — em proventos antecipados do 2T24

24 de maio de 2024 - 18:52

Para ter direito à remuneração, é necessário possuir ações do BB até o fim do pregão de 23 de junho

TRAGAM A COROA

Tchau, Itaú (ITUB4): Nubank (ROXO34) se torna o banco mais valioso da América Latina pela primeira vez em dois anos

24 de maio de 2024 - 17:24

Atualmente, o banco digital é avaliado em US$ 56,19 bilhões, equivalente a R$ 290,52 bilhões nas cotações atuais

DONA DO CHATGPT

De demissões a polêmicas em Hollywood: por que a gestão de Sam Altman à frente da OpenAI vem sendo alvo de críticas

24 de maio de 2024 - 16:24

Desde que recuperou o trono de CEO em novembro, Sam Altman viu a empresa que fundou adentrar uma nova onda de intrigas — incluindo uma controvérsia com a atriz Scarlett Johansson e acordos altamente restritivos com antigos funcionários

APERTO DE MÃOS

Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4) anunciam acordo de cooperação para ‘mesclar’ malhas aéreas em meio a rumores de fusão das empresas

24 de maio de 2024 - 8:34

Entre as novas rotas compartilhadas, os clientes terão à disposição também oportunidades mais convenientes de conexão

UMA BATALHA DE GIGANTES

Mercado Livre quer se tornar maior banco digital do México — mas expansão do Nubank pode atrapalhar os planos

23 de maio de 2024 - 20:04

O banco do cartão roxo liderou a adição de usuários ativos mensais (MAU) no país, de acordo com relatório do Bank of America

UM AUXÍLIO PARA A DANÇA DAS CADEIRAS

Vale (VALE3) contrata consultoria internacional para seleção de novo CEO e dá mais um passo no processo de sucessão do comando

23 de maio de 2024 - 19:22

A escolhida para assessorar o conselho de administração na busca foi a Russell Reynolds, que entregará uma lista de três possíveis nomes para o cargo ao CA

Mais uma espera

Americanas (AMER3) adia novamente a divulgação dos balanços de 2023 e do primeiro trimestre de 2024

23 de maio de 2024 - 19:13

Previsão da empresa era divulgar seus números em 28 de maio, mas investigação de comitê independente ainda não terminou

NOVAS ESTRUTURAS?

Sanepar (SAPR11) estuda criar holding e outras empresas para segregar negócios; entenda

23 de maio de 2024 - 18:46

O levantamento será elaborado pela Fundação Instituto de Administração (FIA), que terá um prazo de 240 dias para concluir os trabalhos

CHUVA DE PROVENTOS?

Petrobras (PETR4) é a segunda empresa que mais pagou dividendos no 1T24 apesar da polêmica com governo; saiba quem foi a campeã

23 de maio de 2024 - 16:15

Entre janeiro e março deste ano, a estatal depositou um total de US$ 2,03 bilhões em remuneração aos acionistas; veja a lista completa

PAPEL FICOU BARATO?

XP quer recomprar até R$ 1 bilhão em ações após papéis despencarem 14% com o balanço do 1T24

23 de maio de 2024 - 13:28

O conselho de administração da companhia aprovou um programa de recompra de ações de papéis classe A no mercado norte-americano

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar