🔴 FENÔMENO QUE TRANSFORMOU 1.500 PESSOAS EM MILIONÁRIAS PODE SE REPETIR – VEJA COMO SER O PRÓXIMO

Liliane de Lima
É repórter do Seu Dinheiro. Jornalista formada pela PUC-SP, já passou pelo portal DCI e setor de análise política da XP Investimentos.
ALÉM DA MARGEM DE ERRO

Datafolha defende resultado das pesquisas e diz que migração de votos para Bolsonaro aconteceu entre a véspera e o dia da eleição; Ipec também se pronunciou

Os institutos afirmaram que movimentações do eleitorado nos momentos finais das eleições justificam a diferença entre os números das pesquisas e o resultado das urnas

Liliane de Lima
4 de outubro de 2022
15:41 - atualizado às 19:49
Luiz Inácio Lula da Silva veste terno cinza escuro e camisa azul jeans. Ele encara Bolsonaro, que veste terno e grata cinza em montagem.
O ex-presidente Jair Bolsonaro e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva - Imagem: Ricardo Stuckert-Flickr Lula Oficial / Alan Santos-PR / Montagem Brenda Silva

O chamado “voto útil” foi um dos principais “vilões” apontados pelos institutos de pesquisa Datafolha e Ipec (ex-Ibope) para explicar a diferença entre os levantamentos realizados na véspera das eleições e o resultado nas urnas do primeiro turno. 

Questionado sobre os erros, o Datafolha afirmou que a menor diferença entre os candidatos à presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) em relação à última pesquisa aconteceu em razão das “movimentações do eleitorado nos momentos finais das eleições”.

“Esses movimentos ocorreram entre a véspera da eleição e o dia da votação, e não puderam ser captados por pesquisas realizadas entre sexta (30) e sábado (1)”, justificou o Datafolha, em nota. 

Já o Ipec considerou também que os indecisos, que tomaram a decisão de voto na última hora, contribuíram para a distância menor entre o petista e o atual presidente no primeiro turno. O instituto ainda disse que “as estimativas de branco, nulos e outros candidatos ficaram em linha entre o TSE e a pesquisa”. 

Para relembrar: o Datafolha e o Ipec apontaram, na véspera das eleições, uma diferença de 14 pontos entre as intenções de voto de Lula e Bolsonaro. Havia, inclusive, a expectativa de que o ex-presidente pudesse liquidar a fatura ainda no primeiro turno.

O resultado das urnas, contudo, mostrou uma diferença bem menor entre os dois candidatos,de 5,23 pontos. Ou seja, um erro de quase nove pontos percentuais, bem acima da margem de erro tanto do Datafolha como do Ipec.

A diferença entre as pesquisas e a votação no primeiro turno foi ainda maior nos Estados e chegou à casa dos 20 pontos percentuais na Bahia e no Rio Grande do Sul, conforme levantamento do Seu Dinheiro que você pode conferir nesta matéria.  

Por fim, os institutos tradicionais não pretendem mudar as suas metodologias nas próximas pesquisas — que devem ser divulgadas na próxima quarta-feira (5), com projeções para o segundo turno nacional —, apesar da falta de precisão entre os levantamentos e as urnas.

Mas, quanto a isso, o Ipec fez uma ressalva: 

“Em relação às variações de resultados observadas nas pesquisas estaduais do 1º turno, o Ipec reforça seu compromisso de buscar soluções que eventualmente possam ser agregadas ou consideradas em conjunto com a sua metodologia e procedimentos operacionais. Contudo, este é um processo que requer tempo de estudo, análise e comprovação de hipóteses, para que possam ser implementados.”

Voto útil beneficiou Bolsonaro na reta final 

Tanto o Datafolha quanto o Ipec afirmaram que o voto útil beneficiou o atual presidente Jair Bolsonaro (PL) na reta final da campanha. 

Sendo assim, Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) “perderam” votos para Bolsonaro. “Tais fatores [como eleitores indecisos] já demonstravam uma provável migração de votos desses dois candidatos para Jair Bolsonaro”, disse o Ipec. 

Ainda, o Datafolha afirmou que, na pesquisa da véspera, havia a tendência de que 41% dos eleitores do pedetista migrassem o voto para um dos dois candidatos favoritos na corrida presidencial, que sempre tiveram “os votos mais cristalizados”. 

Ipec e Datafolha nos Estados

Os institutos também erraram em suas projeções e não captaram a força do bolsonarismo, principalmente, na corrida ao governo dos Estados e ao Senado. Datafolha e Ipec inverteram ainda a ordem dos vencedores e o segundo turno em alguns dos maiores colégios eleitorais: São Paulo, Rio Grande do Sul e Bahia. 

Segundo o Ipec e o Datafolha, a discrepância entre o resultado das urnas e definição dos primeiro e segundo turnos, além dos senadores, também é fruto da decisão de “última hora”. 

Ou seja, os institutos alegam que as pesquisas já indicavam as tendências — que se confirmaram depois —, sobretudo, em razão da “quantidade de pessoas indecisas” que resultaram em um cenário diferente do previsto na véspera das eleições. 

Compartilhe

ELEIÇÕES 2024

Da TV para a Prefeitura? Datena diz pretender ir até o final, mas não crava candidatura em São Paulo

16 de julho de 2024 - 17:33

Em sabatina,o jornalista negou que esteja usando a política para renegociar seu contrato com a Band

PEGA!

Eleições municipais: Brasil soma quase 8 mil prefeitos e ex-prefeitos condenados por improbidade administrativa 

15 de julho de 2024 - 19:22

O número representa 33% dos 23.800 punidos com base na lei estabelecida em 1992, que foi alterada em 2021 pelo Congresso Nacional

REGULAMENTAÇÃO DA TECNOLOGIA

‘A inteligência artificial só não é mais perigosa que a burrice humana’: o que o presidente do Senado pensa sobre a regulação da IA no Brasil

10 de julho de 2024 - 13:11

A proposta é de autoria do próprio Pacheco e tramita na Casa sob relatoria do senador Eduardo Gomes (PL-TO)

GENIAL/QUAEST

Pesquisa aponta que maioria apoia críticas de Lula contra Roberto Campos Neto na condução do Banco Central

10 de julho de 2024 - 8:42

A aprovação do presidente da República melhorou em relação à pesquisa passada, quando atingiu o menor patamar desde fevereiro de 2023

INQUÉRITO DA PF

Da Arábia Saudita à Polícia Federal: Como a PF ligou as joias a Jair Bolsonaro — e o que pode acontecer com ex-presidente

9 de julho de 2024 - 9:04

Segundo a PF, o valor parcial dos presentes entregues por autoridades estrangeiras ao então presidente somou US$ 1.227.725,12

FAZENDO AS CONTAS

Previdência em risco: desvincular benefício do salário mínimo para cumprir meta fiscal pode criar efeito rebote nas contas

7 de julho de 2024 - 16:48

Em entrevista à Agência Brasil, especialista em Previdência Social afirma que os benefícios previdenciários e assistenciais não vão para a poupança, mas para custo de vida

ANTECIPAÇÃO

Cotado como ‘nome da direita’ para disputa presidencial, Tarcísio De Freitas diz que é preciso ‘começar a construir 2026’

7 de julho de 2024 - 9:20

O governador paulista discursou, ao lado de Bolsonaro, na Conferência de Política e Ação Conservadora (CPAC Brasil), em Balneário Camboriú (SC)

CONFERÊNCIA CONSERVADORA

Bolsonaro ignora indiciamento pela PF e critica imprensa e o PT em evento de conservadores com Javier Milei

6 de julho de 2024 - 15:39

A fala de Bolsonaro abriu a Conferência de Política Ação e Conservadora (CPAC Brasil) na manhã deste sábado (6) em Balneário Camboriú

Disputa pela prefeitura

Datafolha mostra Nunes com 24% e Boulos com 23% das intenções de voto em São Paulo, invertendo a pesquisa anterior

5 de julho de 2024 - 18:26

Três candidatos aparecem empatados na terceira colocação, segundo o instituto de pesquisa

PLEITO MUNICIPAL

Cabeça a cabeça, Boulos e Nunes empatam nas eleições para prefeitura de São Paulo, mas segundo turno será mais difícil para um deles

2 de julho de 2024 - 9:27

Em um eventual segundo confronto entre os dois, Nunes é preferido por 46%, enquanto 39% optam pelo deputado do PSOL

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar