🔴 ALGORITMO MOSTRA COMO BUSCAR ATÉ R$ 3 MIL POR DIA – CONHEÇA

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Mais uma desistência

CSN desiste de IPO de CSN Cimentos e engorda lista de empresas que abriram mão de ofertar ações neste ano

Subsidiária da siderúrgica é a 14ª empresa a desistir de IPO na B3 em 2022

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
16 de fevereiro de 2022
11:39 - atualizado às 19:32
CSN Cimentos IPO CSNA3 CMIN3 recompra de ações
Oferta de ações da CSN Cimentos seria 100% primária. Imagem: Divulgação

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) comunicou ao mercado, nesta quarta-feira (16), que desistiu do IPO (oferta pública inicial, na sigla em inglês) da sua subsidiária CSN Cimentos, devido às "condições adversas no mercado interno e internacional".

A companhia encaminhou, à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), uma petição de desistência dos pedidos de registro de emissor de valores mobiliários categoria "A" e da oferta pública de distribuição primária de ações ordinárias emitidas pela controlada.

A CSN Cimentos teve seu pedido de IPO protocolado em maio do ano passado, mas não chegaram a ser definidos os valores a serem captados. A oferta seria inteiramente primária, com a totalidade de recursos ingressando no caixa da companhia.

A intenção da CSN com a operação era destravar valor para ambas as empresas. Saiba mais sobre a CSN Cimentos e o IPO que subiu no telhado.

Mais uma desistência para a lista

A CSN Cimentos é a 14ª empresa brasileira que opta por não dar prosseguimento ao seu processo de abertura de capital e oferta inicial de ações na B3 neste ano.

Em janeiro, houve 13 desistências, como a da rede de hamburguerias Madero, a da rede de academias de ginástica Bluefit e a da empresa de cosméticos e perfumes Coty.

Apesar da forte entrada de recursos estrangeiros na bolsa brasileira neste início de ano, o cenário, aqui e lá fora, é de juros em alta e inflação ainda elevada.

Antes de continuar, um convite: no perfil do Instagram do Seu Dinheiro publicamos um conteúdo sobre a China intervir no minério de ferro e como as ações brasileiras podem ser afetadas após essa decisão.

Confira abaixo e  aproveite para nos seguir no Instagram (basta clicar aqui). Lá entregamos aos leitores análises de investimentos, notícias relevantes para o seu patrimônio, oportunidades de compra na bolsa, insights sobre carreira, empreendedorismo e muito mais.

Voltando ao assunto principal da matéria, o capital que vem de fora tem sido mais direcionado para as blue chips, como as grandes empresas produtoras de commodities e os bancos, cujos negócios que se beneficiam do cenário atual. Assim, não necessariamente esses investidores estariam interessados em comprar ações de empresas novatas na bolsa.

Compartilhe

Engordando os proventos

Caixa Seguridade (CXSE3) pode pagar mais R$ 230 milhões em dividendos após venda de subsidiárias, diz BofA

14 de setembro de 2022 - 13:22

Analistas acreditam que recursos advindos do desinvestimento serão destinados aos acionistas; companhia tem pelo menos mais duas vendas de participações à vista

OPA a preço atrativo

Gradiente (IGBR3) chega a disparar 47%, mas os acionistas têm um dilema: fechar o capital ou crer na vitória contra a Apple?

12 de setembro de 2022 - 13:09

O controlador da IGB/Gradiente (IGBR3) quer fazer uma OPA para fechar o capital da empresa. Entenda o que está em jogo na operação

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Exclusivo Seu Dinheiro

Magalu (MGLU3) cotação: ação está no fundo do poço ou ainda é possível cair mais? 5 pontos definem o futuro da ação

10 de setembro de 2022 - 10:00

Papel já alcançou máxima de R$ 27 há cerca de dois anos, mas hoje é negociado perto dos R$ 4. Hoje, existem apenas 5 fatores que você deve olhar para ver se a ação está em ponto de compra ou venda

NOVO ACIONISTA

Com olhos no mercado de saúde animal, Mitsui paga R$ 344 milhões por fatias do BNDES e Opportunity na Ourofino (OFSA3)

9 de setembro de 2022 - 11:01

Após a conclusão, participação da companhia japonesa na Ourofino (OFSA3) será de 29,4%

Estreia na bolsa

Quer ter um Porsche novinho? Pois então aperte os cintos: a Volkswagen quer fazer o IPO da montadora de carros esportivos

6 de setembro de 2022 - 11:38

Abertura de capital da Porsche deve acontecer entre o fim de setembro e início de outubro; alguns investidores já demonstraram interesse no ativo

Bateu o mercado

BTG Pactual tem a melhor carteira recomendada de ações em agosto e foi a única entre as grandes corretoras a bater o Ibovespa no mês

5 de setembro de 2022 - 15:00

Indicações da corretora do banco tiveram alta de 7,20%, superando o avanço de 6,16% do Ibovespa; todas as demais carteiras do ranking tiveram retorno positivo, porém abaixo do índice

PEQUENAS NOTÁVEIS

Small caps: 3R (RRRP), Locaweb (LWSA3), Vamos (VAMO3) e Burger King (BKBR3) — as opções de investimento do BTG para setembro

1 de setembro de 2022 - 13:50

Banco fez três alterações em sua carteira de small caps em relação ao portfólio de agosto; veja quais são as 10 escolhidas para o mês

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Passando o chapéu: IRB (IRBR3) acerta a venda da própria sede em meio a medidas para se reenquadrar

30 de agosto de 2022 - 11:14

Às vésperas de conhecer o resultado de uma oferta primária por meio da qual pretende levantar R$ 1,2 bilhão, IRB se desfaz de prédio histórico

Exclusivo Seu Dinheiro

Chega de ‘só Petrobras’ (PETR4): fim do monopólio do gás natural beneficia ação que pode subir mais de 50% com a compra de ativos da estatal

30 de agosto de 2022 - 9:00

Conheça a ação que, segundo analista e colunista do Seu Dinheiro, representa uma empresa com histórico de eficiência e futuro promissor; foram 1200% de alta na bolsa em quase 20 anos – e tudo indica que esse é só o começo de um futuro triunfal

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar