O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

Larissa Quaresma
A Bolsa como ela é
Larissa Quaresma
Analista de ações e integrante da equipe do Carteira Empiricus
2022-01-18T10:34:17-03:00
A BOLSA COMO ELA É

Nem tudo está barato: confira três dicas para escolher as melhores oportunidades de investimento na bolsa

Nem sempre a queda de um papel significa que ele está barato, afinal, além do preço, é necessário estar atento às pistas que te levam às melhores opções de compra naquele momento

18 de janeiro de 2022
10:34
Finance,Trade,Manager,Analysing,Stock,Market,Indicators,For,Best,Investment
Corporação divide lucros, mas assume todos os prejuízos em caso de perdas -

O noticiário não nos dá descanso. É Bolsa caindo, são os “Fed boys” falando do aumento de juros americanos, a ômicron revivendo os pesadelos dos últimos dois anos… Uma sinfonia de desastre para a Bolsa.  

Neste momento, seu foco nas manchetes, enquanto investidor, tende a ser diretamente proporcional à qualidade do seu sono.

Do nosso lado, enquanto analistas, nos interessa a evolução dos fundamentos das empresas. 

Porque a Bolsa nem sempre sobe e, quando ela inevitavelmente cai, forma-se uma miríade de oportunidades de compra nas empresas de bons fundamentos. 

Isso é praticamente um Jardim do Éden para o analista focado nos fundamentos.

Cíclicas domésticas

As cíclicas domésticas, como é o caso das empresas brasileiras de varejo discricionário, foram particularmente machucadas nesse bear market. 

Isso é natural; as cíclicas tendem a refletir o movimento da Bolsa com mais intensidade. Se a economia vai bem, elas são mais beneficiadas; se vai mal, mais penalizadas.

O fato é que estamos em uma zona compradora para essa categoria. Em algum momento, a Bolsa vai subir e, quando isso acontecer, essas empresas tendem a subir mais.

Não estou dizendo para comprar todas as cíclicas domésticas. Como sempre foi o caso na gestão de carteiras, a seletividade é crucial para a performance.

Conglomerado de moda brasileiro

No meu primeiro Day One, tergiversei sobre a possibilidade do surgimento de um grande conglomerado de moda brasileiro, como já vimos acontecer na Europa. Nomes como LVMH, Kering e Hermés nos mostram a possibilidade de construir um grupo recheado de marcas fortes do varejo de moda.

À época da minha primeira carta, a Hering estava sendo disputada por companhias do setor. Acabou que a Arezzo &Co, a primeira ofertante, não teve sucesso na sua tentativa de compra, e quem levou a marca das camisetas básicas foi de fato o Grupo Soma.

Para a Arezzo, foi uma derrota temporária, porque um tempo depois a companhia comprou a Carol Bassi, uma marca de vestuário feminino voltada para as classes A e B, cujas peças têm um preço médio de R$ 1.600. O desfecho parece até mais favorável para a compradora, que tem um posicionamento de luxo, enquanto a Hering está mais aderente à classe B-.

Não é que um conglomerado de moda, então, parece estar se formando? A Arezzo &Co permanece focada na sua estratégia de “house of brands”, ou casa de marcas, e o caminho parece promissor.

Preço menor, fundamento maior

Esse é um dos vários exemplos que encontramos na Bolsa brasileira de preço caindo e fundamento melhorando. Uma oportunidade de compra quase óbvia. 

O leitor deve ficar atento, contudo, às companhias cujo preço está caindo, mas cujos fundamentos estão piorando. 

Um dos princípios do Peter Lynch é “nunca apostar em uma reviravolta enquanto uma marcha fúnebre está sendo tocada”. A grande maioria dos papéis brasileiros está barata — alguns, entretanto, merecidamente.

Pistas de oportunidades

Afora o necessário mergulho na dinâmica de negócios de cada empresa, algumas pistas podem nos apontar para as ações que nos oferecem uma oportunidade de compra de fato interessante.

Uma dessas pistas é a retomada do pagamento de dividendos. 

A Arezzo &Co ficou dois anos sem distribuir caixa aos acionistas, uma medida necessária para proteger a sobrevivência do negócio nos trimestres desafiados pela pandemia de Covid-19. 

Na última semana, interrompeu as vacas magras com um generoso juro sobre capital próprio. A Suzano, também uma cíclica (mas não doméstica), foi na mesma direção, anunciando um dividendo para os acionistas depois de dois anos sem fazê-lo.

Fusões e aquisições

Há também outras pistas que podem nos dizer alguma coisa, particularmente no cenário de desconto generalizado. 

Em época de Bolsa barata, as fusões e aquisições se tornam mais frequentes para os empresários (ou empresárias) que aproveitam os preços baixos para fazer aquela compra que sempre sonharam, mas não fizeram antes por conservadorismo com o dinheiro dos acionistas. Arezzo &Co, como sabemos, fez isso.

Recompra de ações

Ou, de outra forma, as companhias aproveitam o preço depreciado das próprias ações para recomprá-las, o que diminui a quantidade de papéis em circulação. 

Isso, em última instância, beneficia o acionista minoritário com preços mais atrativos para as ações que continuam negociando. Arezzo &Co também fez isso. A Raízen, controlada pela Cosan, também. 

Da mesma forma que a Bolsa não pode subir para sempre, fica uma lição que os aventureiros de renda variável estão duramente aprendendo: ela também não pode cair para sempre. 

Quando a Bolsa voltar a subir, tenha a certeza de estar devidamente posicionado (ou posicionada).

Um abraço,
Larissa

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa surfa no otimismo internacional e abre em alta; dólar é negociado abaixo dos R$ 5

RESUMO DO DIA: Os sinais de alívio da covid-19 na China devolveu o apetite de risco dos investidores nesta terça-feira (17). O tom menos agressivo dos representantes do Federal Reserve na tarde de ontem (16) também incentivam uma busca por barganhas nas bolsas hoje. Por aqui, o Ibovespa acompanha os debates envolvendo a PEC 63, […]

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Oportunidade de swing trade: compra de ações da Positivo (POSI3) e lucro de 2% no bolso com Wiz (WIZS3)

Identifiquei uma oportunidade de swing trade – compra dos papéis da Positivo Tecnologia (POSI3), com entrada em R$ 7,87; veja a análise das ações

O melhor do Seu Dinheiro

Velozes e autônomos: desafio Imigrantes; veja a história do dia e outras oito notícias que mexem com os seus investimentos

Descubra tudo o que você precisa saber sobre os carros autônomos e o que é preciso para eles ganharem de vez as estradas brasileiras

BARGANHANDO EM PÚBLICO?

Elon Musk acha que o Twitter tentou enganá-lo, suspende negociação e exige clareza sobre número de contas falsas

Twitter e Elon Musk divergem sobre quantidade de usuários falsos e spams; empresa fala em 5%, bilionário acha que é bem mais

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas no exterior reagem ao alívio da covid-19 na China e sobem pela manhã; Ibovespa acompanha PEC que pode gerar até R$ 7,5 bi em novos gastos

A proposta de reajuste para juízes e procuradores acontece em meio à greve dos servidores do Banco Central e Receita Federal

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies