🔴 3 ações para LUCRAR com a SELIC em alta: clique aqui e descubra quais são

2022-05-26T07:43:46-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas no exterior tentam sustentar otimismo após ata do Fed; Ibovespa acompanha debate sobre ICMS e privatização da Eletrobras (ELET3)

A arrecadação federal de abril deve superar o recorde de março deste ano, de acordo com projeções do mercado

26 de maio de 2022
7:41 - atualizado às 7:43
Mão segurando notas de dinheiro (real), cada nota de cinquenta reais
Confira o que movimenta bolsas, Ibovespa e dólar hoje. Imagem: Marcos Santos/USP Imagens

O amargo remédio contra o avanço da inflação nos Estados Unidos deve vir na dose certa esperada pelos investidores. Na tarde de ontem (15), o Federal Reserve impulsionou as bolsas pelo mundo ao divulgar a ata da sua mais recente reunião de política monetária. 

A publicação aliviou o medo de que o aperto monetário dos EUA fosse mais intenso — uma alta de 75 a 100 pontos base nos juros já estava no radar dos analistas do mercado. Mas o Fed deixou as asas do falcão de lado por enquanto e anunciou novos aumentos nos juros de 0,50 pontos percentuais. 

O alívio veio em boa hora: as bolsas dos Estados Unidos fecharam em alta de mais de 1% na sessão da última quarta-feira. Sobrou até um pouco de otimismo para o Ibovespa, que fechou praticamente estável aos 110.579 pontos, evitando encerrar mais um pregão no vermelho. 

O dólar à vista, por sua vez, reduziu os ganhos a 0,18%, a R$ 4,8209. 

Com a agenda mais esvaziada por hoje, o foco do dia vai para a leitura final do PIB do primeiro trimestre dos Estados Unidos. A publicação preliminar dos dados mostrou uma queda inesperada do produto interno bruto do país e a revisão dos dados pode dar um novo fôlego aos índices nesta quinta-feira (26). 

Além disso, permanece no radar o último dia da reunião do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, e a participação da vice-presidente do Fed, Lael Brainard, em audiência da Câmara dos Representantes dos EUA. 

Confira o que irá movimentar o dia do dólar, das bolsas e do Ibovespa hoje:

Bolsas pelo mundo: um sopro de alívio

O fechamento da sessão desta quinta-feira na Ásia e no Pacífico foi majoritariamente contaminado pela preocupação com o aperto monetário dos EUA. Entretanto, a perspectiva de novos estímulos à economia chinesa , anunciados ontem por Pequim após ameaças de uma nova onda de covid-19, sustentaram o otimismo da bolsa chinesa. 

Na Europa, o cenário é mais positivo, com os índices por lá tentando sustentar a alta da abertura. O otimismo com a ata do Banco Central americano deve impulsionar as bolsas hoje, além das declarações de representantes do próprio Banco Central Europeu (BCE). 

O morde-assopra do Federal Reserve

É verdade que a ata confirmou as expectativas do mercado de uma alta de 50 pontos-base nos juros para a próxima reunião.

Porém — e é um grande porém — o aperto monetário ainda deve acontecer e o Fed irá aumentar ainda mais os juros nas próximas reuniões. Parte desse cenário já está precificado pelas bolsas, mas a ficha de Wall Street pode cair e levar as bolsas junto. 

Isso já aconteceu outras vezes, quando o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, anunciou um aperto monetário “dentro do esperado”: as bolsas sobem em um dia e caem no pregão seguinte. 

Agora sim, os futuros de Nova York

Não é certo que isso acontecerá nesta quinta-feira, mas os índices futuros de Nova York operam em leve alta, ampliando os ganhos da sessão anterior. 

O dado que deve movimentar o dia por lá é a leitura final do PIB do primeiro trimestre, que deve recuar 1,3% de acordo com as projeções. Além disso, os investidores aguardam os dados inflacionários, medidos pelo PCE e divulgados amanhã, para sustentar o otimismo de um aperto monetário dentro do esperado. 

Bolsa local e os debates sobre o ICMS

De volta para terras brasileiras, a Câmara aprovou na noite de ontem o projeto de lei para fixar o teto do ICMS dos estados em 17% para a energia elétrica e os combustíveis. 

A Casa Legislativa ainda inseriu um gatilho para compensar estados e municípios se e quando a queda da arrecadação superar os 5%. Porém, o aval do Ministério da Economia só veio com a condição de que o período máximo para validade desta proposta seja de seis meses.

Eletrobras, o capítulo final

Com o sinal verde do Tribunal de Contas da União (TCU) finalmente aceso, a Eletrobras (ELET3) pisou no acelerador da privatização. A estatal deve protocolar entre hoje e amanhã (27) o registro para a oferta bilionária de ações no Brasil e nos Estados Unidos, segundo fontes ouvidas pelo Broadcast.

Os registros na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e sua correspondente norte-americana, a Securities and Exchange Commission (SEC), devem ser acompanhados pela entrega do formulário de referência com as principais informações financeiras, fatores de risco e atualizações sobre a empresa e a oferta.

A expectativa é de que a oferta possa alcançar os R$ 30 bilhões. Como resultado, a estatal deixará de ser controlada pelo governo. 

E a arrecadação local no radar da bolsa

Por fim, a Receita Federal publica hoje os números da arrecadação federal a pouco menos de uma semana para acabar o prazo de declaração do Imposto de Renda referente ao ano de 2021 — saiba o que acontece se você não declarar a tempo

As projeções do Broadcast apontam para uma mediana de R$ 187,889 bilhões em arrecadação no mês de abril. Na leitura anterior, os dados de março mostraram que os cofres públicos receberam R$ 164,147 bilhões dos contribuintes, a maior arrecadação para o mês na série histórica da Receita corrigida pela inflação, iniciada em 1995.

Agenda do dia

  • Estados Unidos: Leitura final do PIB do primeiro trimestre (9h30)
  • Estados Unidos: Pedidos de auxílio-desemprego (9h30)
  • Receita Federal: Arrecadação federal de abril (10h30)
  • Receita Federal: Chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita, Claudemir Malaquias concede entrevista sobre a arrecadação de abril (11h)
  • Estados Unidos: Vice-presidente do Fed, Lael Brainard, testemunha perante Comitê de Serviços financeiros da Câmara dos Representantes (13h)
  • Suíça: Último dia do Fórum Econômico Mundial, em Davos (dia todo)
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Fraqueza nos números

Entrega de veículos da Tesla (TSLA34) recua no segundo trimestre e vem abaixo da expectativa do mercado

Apesar do crescimento das vendas na comparação anual, houve uma queda em relação ao trimestre anterior

Mais uma vítima

Após tomar calote do 3AC, exchange Voyager Digital suspende saques, depósitos e negociações de clientes

Corretora de criptomoedas tomou calote de mais de US$ 670 milhões, mas, apesar de ter tomado empréstimos, precisou paralisar atividades

Bancões na área

Vão sobrar uns cinco ou dez bancos digitais, e o Next está entre eles, diz CEO do banco digital do Bradesco

Renato Ejnisman diz ainda que Next visa a mais aquisições e pensa ainda em internacionalização

No vermelho

Magazine Luiza (MGLU3) é a ação com o pior desempenho do Ibovespa no primeiro semestre de 2022; outras varejistas e techs também sofreram no período

Com queda acumulada de quase 70% no ano, ações do Magalu são as piores do Ibovespa no semestre que acaba de terminar

Proteção

Qual título público comprar no Tesouro Direto? Santander recomenda papel indexado à inflação para o mês de julho; veja qual

Recomendação do banco para o Tesouro Direto visa proteção contra a inflação e possibilidade de valorização

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies