Menu
2021-03-03T08:27:33-03:00
Estadão Conteúdo
alerta

Lockdown maior do que esperado pode gerar 1º semestre um pouco pior, diz presidente do BC

Com a vacina, o segundo semestre deverá registar uma taxa de crescimento econômico melhor, disse Roberto Campos Neto

3 de março de 2021
8:27
_banco_central_roberto_campos_neto_covid-19_no_pais_0407201788_0
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto falam à imprensa no Palácio do Planalto, sobre as ações de enfrentamento ao covid-19 no país. - Imagem: Marcello Casal Jr / Agência Brasil Local: Brasília-DF

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, alertou nesta terça-feira (2) para o risco de um eventual lockdown para além do esperado imprimir piora na economia no primeiro semestre.

Devido ao aumento de contágio pela a variante do coronavírus, governadores e prefeitos têm editado decretos restringindo a circulação de suas populações.

"Um lockdown maior que o esperado pode gerar um primeiro semestre um pouco pior", disse Campos Neto durante participação no Webinar "Cenários Brasil 2021", promovido pela Arko Advice e Empiricus.

Mas com a vacina, disse Campos Neto, o segundo semestre deverá registar uma taxa de crescimento melhor.

Por enquanto, de acordo com ele, o Brasil registra uma melhora gradual no mercado de trabalho com o emprego formal mostrando uma recuperação robusta com o hiato do mercado de trabalho se fechando.

Recentemente, disse o presidente do BC, houve uma pequena desaceleração no crédito com a perspectiva do lockdown.

Alta das commodities

Campos Neto, disse nesta terça-feira, 2, que o banco tem acompanhado a economia internacional e o que tem sido visto é que os países desenvolvidos têm aumentado juros e que os preços das commodities também subiram bastante.

Contudo, de acordo com Campos Neto, se por um lado os preços das commodities têm subido bastante no mercado internacional, por outro as moedas das economias emergentes não tem se apreciado como o usual.

"As moedas dos países produtores de commodities não se apreciaram", disse e emendou que o descolamento de moedas é explicado, em parte, pela pior percepção fiscal.

O presidente do BC também disse que há muita liquidez no mundo e que muitos se perguntam se "estamos vivendo o fim da liquidez mundial". "Não se sabe. O que se sabe é que os mercados estão reavaliando a liquidez mundial", disse.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

entrevista

‘Orçamento está falido e não deveria ser sancionado’, diz Rodrigo Maia

Para ex-presidente da Câmara, governo e Congresso tem responsabilidade por esse Orçamento em que as emendas parlamentares são maiores do que os gastos discricionários

ESTRADA DO FUTURO

O que o mercado está tentando te dizer sobre as ações do Banco Inter (BIDI11)

Como analistas, gastamos cada vez mais tempo avaliando histórias. E se você quer investir bem o seu dinheiro, também deveria fazê-lo

termômetro

Tesla, Robinhood e GM: as apostas do bilionário Jorge Paulo Lemann

Empresário brasileiro respondeu quais seriam os investimentos de curto e longo prazo, em uma espécie de termômetro sobre a confiança em torno do negócio

escolha da CEO

Criptomeme bilionário, $moda$ de Hering e Arezzo, aposta contra o BC… veja o que bombou na semana no Seu Dinheiro

Você apostaria contra o Banco Central do Brasil?  Não falo de apostas mequetrefes com a turma do escritório, do tipo “quem perder paga uma rodada”.  Estou falando de colocar o seu patrimônio em investimentos que podem dar retornos altos se o BC estiver errado. Pois é justamente o que defende Rogério Xavier, da SPX Capital, um […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies