Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-27T21:39:43-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DA SEMANA

Mercado aplaude Powell e Ibovespa sacode a poeira de Brasília para fechar acima dos 120 mil pontos novamente; dólar fica abaixo de R$ 5,20

Depois de semanas tensas para o Ibovespa, os investidores decidiram voltas às compras e buscar barganhas na bolsa. E Jerome Powell deu aquela ajudinha…

27 de agosto de 2021
18:54 - atualizado às 21:39
Imagem mostra Jerome Powell como grande estrela do mercado financeiro
O chefe do banco central americano não deu margem para muitas especulações e reforçou o seu compromisso com o crescimento econômico e as metas do Federal ReserveImagem: Shutterstock, com intervenções de Andrei Morais

A semana que passou pode ser facilmente dividida em dois momentos: a expectativa pelo discurso de Jerome Powell no simpósio de Jackson Hole e a reação do mercado às palavras do chefe do Banco Central americano, que só foram proferidas nesta manhã (27). 

O mercado não tinha lá expectativas de grandes anúncios, mas esperava encontrar nas palavras de Powell novos sinais sobre o futuro da política monetária da maior economia do mundo. 

Não dando margem para leituras especulativas das entrelinhas, Powell foi direto ao assunto. Diante da recuperação econômica dos últimos meses, a gradual redução do programa de recompra de ativos deve se iniciar ainda em 2021. No entanto, a inflação ainda apresenta características de aspecto temporário, e a retirada dos estímulos não virá acompanhada de uma elevação das taxas de juros, já que essa é uma conversa que envolve diferentes variáveis. 

Com um tom mais acomodatício do que o inicialmente esperado pelos investidores e pesando ainda mais o incerto impacto que a variante delta pode ter na economia global nos próximos meses, o discurso de Powell foi muito bem recebido pelo mercado, que começou a apostar que a redução dos estímulos não será tão imediata e deve ficar para os momentos finais de 2021 ou até mesmo 2022. 

Antes de continuar, um convite: confira no carrossel abaixo que preparamos no Instagram o que pensa um analista da Verde Asset, responsável pelo Fundo Verde - que acumula lucro de mais de 17.000% nos últimos 24 meses - sobre o ministro Paulo Guedes:

Voltando ao tema do dia, o alívio no mercado foi imediato com o efeito "Powell". Os retornos dos títulos do Tesouro americano recuaram, e as bolsas americanas encontraram forças para renovar mais uma vez os seus recordes. Depois de semanas de intenso fluxo vendedor, a bolsa brasileira conseguiu algum fôlego para correr atrás do prejuízo e encerrou a semana em alta de 2,22%, voltando a acumular um retorno positivo neste ano. 

Hoje o avanço foi de 1,65%, com o Ibovespa retomando o patamar dos 120 mil pontos, aos 120.677 pontos. Para Marcel Andrade, head de renda variável da Vitreo, fechar a semana acima dos 120 mil pontos é um importante marco técnico, que permite que o Ibovespa busque reverter a tendência de baixa das últimas semanas. Mas, para que isso ocorra, é preciso que Brasília colabore e não agrave a situação atual. 

Também divulgado hoje, o índice de preços (PCE, em inglês) subiu 0,4% em julho, em linha com o esperado pelo mercado. O número, aliado ao discurso de Powell, permitiu que o câmbio cedesse e que as bolsas americanas renovassem máximas.

  • Nasdaq: 1,23% - 15.129 pontos 🏆
  • S&P 500: 0,88% - 4.509 pontos 🏆
  • Dow Jones: 0,69% - 35.455 pontos.

Os juros de longo prazo dos Treasuries engataram a trajetória de queda na manhã de hoje e assim seguiram até o fim do pregão. Com isso, o dólar à vista recuou 1,17%, aos R$ 5,1955. Na semana, a queda foi de 3,52%. O mercado de juros brasileiro, muito pressionado pela questão fiscal e pela crise hídrica, também conseguiu pegar carona no bom humor visto no exterior e as taxas de longo prazo fecharam abaixo de 10%. Confira:

  • Janeiro/22: de 7,00% para 6,76%
  • Janeiro/23: de 8,51% para 8,45%
  • Janeiro/25: de 9,38% para 9,35%
  • Janeiro/27: de 9,75% para 9,77%

No noticiário corporativo, o destaque principal fica com as empresas que divulgaram pagamento de proventos - Usiminas e Banco do Brasil. Além disso, o BTG Pactual iniciou a cobertura de EspaçoLaser mostrando otimismo com as ações da novata. Para encerrar, não dá para não falar do Banco Inter. O banco digital fez o primeiro movimento de expansão em solo americano ao anunciar a aquisição de uma empresa de remessas internacionais.

Cutucando o dragão

A crise hídrica, muito debatida nos últimos meses, pode ser pior do que o esperado. Depois de um inverno seco e sem melhora nos níveis dos reservatórios, uma ameaça de apagão paira no ar, e as novas elevações na tarifa da energia elétrica cutucam o dragão da inflação com vara curta. 

Na quarta-feira (25), o IPCA-15, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e considerado a prévia da inflação oficial, mostrou um avanço de 0,89% em julho e 9,3% nos últimos 12 meses, pressionado justamente pela elevação das tarifas de energia. 

Por ora, o Ministério de Minas e Energia não trabalha com a hipótese de um racionamento de energia, mas o valor da tarifa que já estava salgada deve pesar ainda mais no bolso do brasileiro. A informação oficial deve ser confirmada nos próximos dias, mas segundo o jornal O Globo, a bandeira tarifária da conta de luz pode subir até 58%, em nova tentativa de conter os gastos com energia e cobrir a utilização das termelétricas.

Na visão de Marcel Andrade, depois de Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, Arthur Lira, presidente da Câmara e Paulo Guedes, ministro da Economia, fazerem defesas enfáticas do teto de gastos e reforçarem o compromisso com a saúde fiscal do país, o mau humor dos investidores deve se voltar para os reflexos que a crise hídrica pode causar na vida da população, mas também na pressão inflacionária que pode fazer com que o Banco Central acelere a normalização da taxa de juros. 

Mudança de foco

As atenções do mercado lentamente saem do cenário político, que andou meio escanteado nesta semana, para a crise hídrica, mas isso não significa que os problemas que tomam conta da capital federal estão perto de uma resolução. 

Para Leonardo Milane, sócio e economista da VLG Investimentos, o mercado “segue ressabiado”, já que embora Guedes e Lira tenham feito esforços. A leitura é de que o cenário eleitoral de 2022 já foi antecipado e existem entraves demais para que Executivo e Congresso entrem em consenso sobre o andamento das reformas e a preservação do teto de gastos. 

Falando em reformas, a reforma tributária, principalmente a parte que diz respeito às mudanças no imposto de renda, foi adiada mais uma vez. Agora, Lira deu sinais de que irá batalhar por uma reforma ampla e flertou com a derrubada de temas sensíveis ao mercado. 

Sobe e desce do Ibovespa

Em uma semana marcada pela ‘caça às barganhas’, a Embraer despontou na frente e liderou os ganhos, ainda surfando o sucesso da sua subsidiária de mobilidade urbana, a Eve. Construtoras e outras aéreas também aparecem na lista, mas vale destacar também a performance da Suzano, beneficiada pelas boas perspectivas para o preço da celulose. Confira as maiores altas da semana: 

CÓDIGONOMEVALORVARSEM
EMBR3Embraer ONR$ 23,6819,17%
CYRE3Cyrela ONR$ 21,3114,94%
GOLL4Gol PNR$ 20,7814,18%
CVCB3CVC ONR$ 21,9010,44%
SUZB3Suzano ONR$ 61,908,88%

Confira também as maiores quedas: 

CÓDIGONOMEVALORVARSEM
TAEE11Taesa unitsR$ 38,04-6,05%
GNDI3Intermédica ONR$ 80,74-5,46%
UGPA3Ultrapar ONR$ 14,66-4,62%
HAPV3Hapvida ONR$ 14,85-4,38%
VIIA3Via ONR$ 10,87-3,55%

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

seu dinheiro na sua noite

Costurando uma saída

Não faz muito tempo que usei este mesmo espaço para lembrá-lo de como o mercado não gosta de incertezas e a falta de uma leitura clara sobre o futuro acaba prejudicando os negócios na B3. O dia de hoje veio para provar que, mesmo em meio às incertezas, ter uma noção mais clara do caminho que […]

carreira e diversidade

Magazine Luiza abre inscrições para 2º programa de trainees exclusivo para pessoas negras

Programa aceita candidatos formados entre dezembro de 2018 e dezembro de 2021, em qualquer curso superior; fluência em língua inglesa e experiência profissional não fazem parte dos pré-requisitos

pós-brumadinho

Vale (VALE3) muda alto escalão e tenta reforçar discurso ESG

Luciano Siani Pires, que desde 2012 ocupa posição de vice-presidente finanças e RI, assumirá a vice-presidência de estratégia e transformação de negócios, cargo criado em março pela mineradora

Troca de comando

Gustavo Raposo renuncia ao cargo de presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras (PETR4); sucessor já foi escolhido

Com a saída de Raposo, o conselho da empresa deverá deliberar sobre a nomeação do atual diretor de Serviços para o comando

atenção, acionista

Dividendos: WEG (WEGE3) paga R$ 86,8 milhões em juros sobre capital próprio

Valor líquido é de R$ 0,017 por ação; terão direito aos proventos acionistas na base em 24 de setembro, segundo a companhia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies