Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-07-12T18:04:07-03:00
Estadão Conteúdo
Novo normal?

Estamos no momento crítico para avaliar como economia funcionará no pós-covid, diz diretor do Banco Central

Bruno Serra indica que o momento é “perigoso” para inflação, com setor de serviços voltando a funcionar em meio a uma pressão no de bens

12 de julho de 2021
18:04
Mercados juros bolsa coronavírus
Imagem: Shutterstock

O diretor de Política Monetária do Banco Central, Bruno Serra, avaliou nesta segunda-feira, 12, que este é momento talvez mais crítico para saber de fato como a economia vai funcionar no pós-pandemia.

Para ele, esse um momento "perigoso" para a inflação, com o setor de serviços voltando a funcionar em meio ainda a uma pressão de preços no setor de bens.

"Certamente ainda não estamos no pós-pandemia, mas estamos caminhando para isso. Vamos ver como as economias irão se equilibrar daqui para frente", afirmou, em videoconferência organizada pelo Santander.

Serra lembrou que a pandemia de covid-19 derrubou a demanda por serviços em 2020, enquanto os governos tomaram medidas para recompor a renda das populações em grande medida.

"Um porcentual maior da renda das famílias passou a ser direcionado para consumo de bens, em termos globais. Quando você está impedido de consumir serviços, mesmo que se poupe uma parte desses recursos, o choque na demanda por bens é enorme. O consumo de bens subiu muito rápido", explicou.

Segundo o diretor, a grande questão será como será a dinâmica de preços na abertura da economia pós-pandemia. "Talvez os próximos meses sejam o momento mais difícil de condução da política monetária. Com retomada da economia, a renda disponível está dada. Com a retomada do consumo de serviços, é importante saber se demanda por bens vai desabar", completou.

Serra avaliou que inflação de bens pode demorar um pouco mais a cair em função da pressão de custos. "Ainda assim, a renda disponível não vai dar saltos adicionais daqui para frente. Se houver direcionamento de renda ao setor de serviços, a não ser que se consuma essa poupança acumulada muito rápido, provavelmente haverá redução de demanda em bens", completou.

Mercado de trabalho

Bruno Serra disse ainda que a instituição não vê uma medida que seja indiscutível sobre o hiato do mercado de trabalho e considerou isso um "problema grande". Para o diretor, existe ainda uma dúvida enorme sobre a velocidade em que hiato do trabalho se fechará ao longo do tempo.

"Temos incerteza de ambas as pesquisas (Caged e Pnad) sobre mercado de trabalho", afirmou, em videoconferência organizada pelo Santander. "A sensação é de que o Caged é mais próximo da realidade econômica que a PNAD", completou.

Serra considerou ainda que a alimentação fora do domicílio é muito importante para a inflação subjacente e destacou que parece estar havendo alguma recomposição de preços nesse componente.

"Isso estaria mais ligado ao fator alimentos do que ao setor de serviços em outros segmentos, que seguem muito baixos", acrescentou.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Exile on Wall Street

Para ser faixa-preta nos investimentos é preciso ter a paciência japonesa

Na literatura de alocação de ativos, “momentum” é a tendência que um ativo tem de continuar subindo apenas porque… já vem subindo. Nos últimos 30 anos, dezenas de estudos acadêmicos e gestores sistemáticos praticantes têm validado a existência de um prêmio por momentum no mercado de ações. Contrariando o senso comum, seria possível ganhar dinheiro […]

MERCADOS HOJE

Com clima doméstico tenso e inflação, Ibovespa não acompanha otimismo de NY; dólar recua

A crise política segue pesando no cenário interno, com a reforma ministerial e os ruídos em Brasília

O melhor do seu dinheiro

O mercado de ações à brasileira, a expectativa contra a realidade dos investimentos e outros destaques

A expressão Made in Brazil já foi muito mais utilizada do que é hoje em dia. Trazia inclusive uma conotação de nacionalismo, de orgulho do que era produzido por aqui e fazia sucesso no exterior. E pesquisando sobre o termo, encontrei uma banda de rock brasileira, bastante importante na cena musical dos anos 1970, exatamente […]

Bitcoin para os ricaços

Milionários passam a ver bitcoin como uma proteção contra a inflação, segundo Goldman Sachs

Confira o que uma pesquisa da instituição financeira descobriu sobre o interesse de escritórios de milionários em criptomoedas

De olho no dragão

IPCA-15 fica em 0,72% em julho e acumula 8,59% em 12 meses; confira o que pesa na inflação

O resultado do mês vem dentro das expectativas do mercado que projetava um crescimento de 0,46% até um teto de 0,78%, com a mediana de 0,65% ao índice

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies