Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-08T07:52:41-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
de olho na bolsa

Esquenta dos mercados: bolsa deve sentir reações após 7 de setembro e dia conta com Livro Bege, medo da retomada e emprego nos EUA

As reformas ficaram em segundo plano antes do pleito de 2022, enquanto o exterior segue preocupado com a retomada econômica

8 de setembro de 2021
7:51 - atualizado às 7:52
moedas de real na frente de um gráfico
Após o 7 de setembro, o que será da bolsa brasileira? - Imagem: Shutterstock

O “divisor de águas” para a bolsa brasileira passou, e agora o investidor deve colher os frutos desse dia. O feriado de 7 de setembro foi marcado por manifestações de todos os tipos, inclusive antidemocráticas. O aprofundamento da crise entre os poderes deve refletir no Ibovespa hoje

Os Poderes devem aumentar o clima de animosidade entre si, o que pode colocar o governo federal em uma situação ainda pior. O Senado e a Câmara têm nas mãos a reforma do Imposto de Renda e o Judiciário deve julgar a PEC dos Precatórios, ambas pautas essenciais para o governo no ano que vem. 

Ou seja, isso significa que o Palácio do Planalto está em maus lençóis para a aprovação de suas pautas. No radar do investidor, ainda estão a divulgação do Livro Bege, com as perspectivas para a economia dos EUA, e a preocupação com a retomada econômica.

Depois do 7 de setembro

Um dos maiores medos do investidor essa semana parece ter passado. As manifestações do último feriado da independência não trouxeram maiores novidades, mesmo com o aprofundamento da crise entre os Poderes. 

Para além da crise política, os investidores devem ficar de olho na aprovação do pacote de reformas, especialmente do texto que trata do Imposto de Renda. A Câmara dos Deputados ainda deve seguir fiel ao presidente da República, mas o Senado, presidido por Rodrigo Pacheco (DEM-MG), já se mostrou contra o discurso antidemocrático do governo.

O discurso de ruptura democrática tem afastado os investidores internacionais, mas seu efeito parece limitado no cenário doméstico. Sem pregão ontem em virtude do feriado, o EWZ — o principal ETF de Brasil negociado em Nova York — terminou a terça-feira em alta de 0,61%, o que pode ser um bom sinal para o Ibovespa hoje.

Fique de olho hoje

A FGV divulga agora cedo o IGP-DI de agosto, bem como o IPC-S para setembro. Sem maiores indicadores pela frente, os investidores devem se voltar para o cenário internacional.

A bolsa brasileira deve digerir os acontecimentos do último 7 de setembro nos próximos pregões. 

O Livro Bege, BCE e retomada econômica

No exterior, o dia começa um pouco instável. O avanço da variante delta nos países e os últimos dados econômicos globais não trouxeram ânimo. Pelo contrário, colocaram dúvidas sobre a retomada das atividades com o vigor que se esperava. 

Os números do emprego nos Estados Unidos decepcionaram os investidores semana passada. Isso colocou em cheque os próximos passos do Federal Reserve, que tem, entre suas metas, a diminuição do desemprego no país. 

Essa preocupação com os próximos passos do Banco Central americano deve melhorar com a divulgação do Livro Bege hoje. A publicação traz as perspectivas para a economia dos Estados Unidos e deve dar uma prévia da próxima reunião do Fomc, o Copom dos EUA, em setembro. 

Fique de olho hoje

Além da divulgação do Livro Bege, o investidor deve ficar atento para o relatório Jolts de emprego dos EUA, divulgado ainda hoje. Mais tarde, dados de estoques de petróleo norte-americanos também devem ser divulgados. 

O avanço da variante delta segue no radar e maiores dados sobre a economia dos países podem piorar o sentimento de retomada mais fraca. 

Bolsas pelo mundo

Os principais índices asiáticos encerraram o pregão de hoje seguindo o fechamento de ontem de Nova York, sem direção definida. Os investidores avaliam que a pandemia de covid-19 deixou efeitos mais profundos na economia, e a retomada está em ritmo menor do que o esperado. 

De maneira semelhante, as bolsas da Europa sentem os temores envolvendo o crescimento global e caem majoritariamente. Ainda esta semana, o Banco Central Europeu (BCE) deve divulgar sua política monetária, com expectativa para o início da retirada do programa de estímulos. 

Por fim, os futuros de Nova York operam em queda durante a manhã, de olho na divulgação do Livro Bege e atentos aos próximos passos do Federal Reserve e a política monetária da instituição financeira.

Agenda do dia

  • FGV: IGP-DI de agosto e IPC-S de setembro (8h)
  • Anfavea: Produção de veículos e vendas em agosto (8h)
  • Estados Unidos: Relatório Jolts de emprego em julho (11h)
  • Estados Unidos: Divulgação do Livro Bege (15h)
  • Estados Unidos: Estoques de petróleo (17h30)
  • China: Inflação ao consumidor (CPI, em inglês) e ao produtor (PPI, em inglês) em agosto (22h30)
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Exile on Wall Street

O que faz as empresas falharem? Conheça as cinco “assassinas silenciosas” que podem impactar nos seus investimentos

O verdadeiro início da derrocada de uma empresa não pode ser devidamente noticiado pelas finanças ou pelas operações, mas somente dentro do núcleo de cultura corporativa

CAPTAÇÕES BILIONÁRIAS

Localiza, Unidas e Movida vão a mercado em busca de R$ 5 bilhões com emissões de debêntures

Locadoras de veículos se recuperaram rapidamente da crise da covid-19 e buscam recompor o caixa em meio à escassez de componentes no setor automotivo

De olho no dragão

Ministério da Economia eleva expectativa para inflação em 2021; veja qual a nova projeção

A pasta também atualizou as estimativas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, utilizado para a correção do salário mínimo

MERCADOS HOJE

Com precatórios e queda do minério de ferro no radar, Ibovespa opera em queda de 1%; dólar avança

Em Brasília, os investidores acompanham de perto as discussões em torno do pagamento dos precatórios e repercutem mais uma queda expressiva do minério de ferro

Logística

MSC quer comprar controle da Log-In (LOGN3), que tem a gestora Alaska como maior acionista; papéis disparam

A proposta da MSC Mediterranean equivale a R$ 25 por ação LOGN3 e pode chegar a R$ 1,8 bilhão; Alaska e Tarpon estão entre os principais acionistas da empresa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies