Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-02-03T08:31:01-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
esquenta dos mercados

Balanços corporativos e expectativa de “paz” no Congresso sustentam otimismo nos mercados

Enquanto os investidores locais seguem precificando uma melhora do clima político em Brasília, lá fora o destaque é a temporada de balanços

3 de fevereiro de 2021
8:18 - atualizado às 8:31
MERCADOTESTAOTIMISMO

Na expectativa de menos atritos políticos e de um avanço da agenda liberal do governo, os mercados seguem repercutindo de forma positiva a vitória de Arthur Lira e de Rodrigo Pacheco no Congresso. Os novos chefes das casas legislativas devem entregar ao presidente Bolsonaro um conjunto de intenções do Congresso, com uma agenda de prioridades.

No exterior, temos um dia carregado com a repercussão dos balanços de big techs (Amazon e Alphabet) e o andamento das negociações do pacote fiscal trilionário no Congresso americano.

O dia depois da vitória

Encerradas as eleições para o comando da Câmara e do Senado, o Ibovespa, que já vinha precificando uma vitória governista, reagiu positivamente. 

Para os investidores, com Rodrigo Pacheco no Senado e Arthur Lira na Câmara, o Executivo deve ter um alinhamento maior com o Congresso e a equipe econômica finalmente não encontrará grandes empecilhos para tocar a sua pauta de reformas e privatizações. Outra leitura que predomina no mercado, é a de que o compromisso com o teto de gastos deve ser respeitado. 

Ainda que o Ibovespa tenha fechado longe das máximas do dia, o principal índice da bolsa brasileira fechou em alta de 0,61%, a 118.233,81 pontos. 

O dólar, assim como o mercado de juros futuros, também refletiram esse alívio com a questão fiscal e a perspectiva de menos atritos políticos nos próximos anos. A moeda americana encerrou o dia em queda de 1,74%, a R$ 5,3548. 

Pontapé inicial

Antes da abertura oficial do ano legislativo, que acontece na tarde de hoje, Arthur Lira e Rodrigo Pacheco devem entregar ao presidente Bolsonaro um conjunto de intenções do Congresso, com uma agenda de prioridades para o ano de 2021. Além de questões envolvendo o orçamento e reformas, a lista deve contar também com medidas que facilitem a vacinação e controle da pandemia do coronavírus no país.

With a little help from my friends

O cenário local não foi a única razão para o ânimo dos investidores na sessão de ontem. O exterior fortemente positivo impulsionou os negócios em escala global. 

Uma das principais razões para a recuperação foi uma "volta à normalidade", com a queda de volume de movimentações vindas dos pequenos investidores pessoa física. Na semana passada, esse movimento especulativo que tomou conta das bolsas americanas havia derrubado os principais índices e levado grande volatilidade aos negócios. 

Além disso, temos também um otimismo com as negociações entre republicanos e democratas em torno do pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão proposto pelo presidente americano Joe Biden. 

O clime de otimismo influenciou as negociações na Ásia durante a madrugada. As bolsas do continente fecharam em alta, com exceção da China. No país, dados mais fracos da economia chinesa pesaram. O Índice de Gerente de Compras (PMI) composto desacelerou a 52,2 em janeiro. 

Os dados da atividade na zona do euro também desegradaram os investidores. Em compensação, a inflação acima do esperado balanceou os efeitos negativos da notícia, que tem efeito limitado sobre as bolsas europeias agora pela manhã. No Velho Continente os investidores deixam o foco nas notícias sobre vacinas e na temporada de balanços. 

No front das vacinas, a novidade é que a CureVac e a GlaxoSmithKline irão desenvolver um imunizante contra as novas variantes do vírus. Já no noticiário corporativo, o foco está no balanço da matriz do Banco Santander. O lucro trimestral veio abaixo do esperado, mas novas metas de rentabilidade animaram os investidores. 

Nos Estados Unidos, os índices futuros indicam uma abertura no positivo. As bolsas americanas devem ser influenciadas pelos números positivos de Amazon e Alphabet, que entregaram resultados positivos na noite de ontem.

Agenda

Além dos dados já divulgados na Europa, teremos também o anúncio das leituras do PMI de serviços e composto no Brasil (10h) e nos Estados Unidos (11h45). No Brasil, destaque para a divulgação do balanço de dois bancões: santander (antes da abertura do mercado) e Bradesco (após o fechamento).

Também fica no radar dos investidores o relatório de empregos do setor privado dos EUA (10h15) e o relatório de produção de 2020 da Vale, após o fechamento.

Fique de olho

  • Por aqui, os investidores também devem repercutir o balanço da filial local do Santander Brasil. Os números vieram acima do esperado pelo mercado.
  • A Petrobras divulgou o seu relatório de produção total em 2020. Petróleo e gás tiveram uma alta de 4,3% na comparação anual.
  • O Santander fará pagamento de dividendos no valor de R$ 0,1373 por unit. Além disso, a companhia também aprovou um programa de recompra de units e a conclusão do estudo para segregar a Getnet. 
  • A Comgás fará pagamento de dividendos intermediários no valor de R$ 111,709 milhões e dividendos intercalares de R$ 38,290 milhões. 
  • A Intelbras precificou o seu IPO em R$ 15,75 por ação e captou R$ 1,3 bilhão. 
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Ele está de volta?

Setores fazem pressão por volta do horário de verão

Criado com a finalidade de aproveitar o maior período de luz solar durante a época mais quente do ano, o horário de verão foi instituído no Brasil em 1931 pelo então presidente Getúlio Vargas e adotado em caráter permanente a partir de 2008.

MANOBRAS

Juiz põe no banco dos réus ex-gestores do banco Máxima por gestão fraudulenta

O Banco Máxima S.A. informa que seus atuais acionistas assumiram a administração do banco em 2018, após aprovação pelo Banco Central, e que os integrantes da antiga gestão não têm mais qualquer relação com a instituição financeira

Foguete? Tô fora!

Warren Buffet: o bilionário que não quer conhecer as estrelas

Enquanto Bezos, Musk e Branson protagonizam a nova corrida especial, o Oráculo de Omaha prefere apenas observar

O melhor do Seu Dinheiro

O seu momento Sherlock Holmes

Na adolescência, ouvia que quem buscasse por romance policial brasileiro deveria ler algo do Rubem Fonseca. Era uma vontade minha achar uma história desse gênero que fosse mais próxima da minha realidade — e o filtro nacionalidade me pareceu o mais adequado.  A ideia surgiu depois de ter conhecido parte das histórias criadas por Agatha […]

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies