Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-30T20:00:30-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

Viés de baixa se mantém, e Ibovespa começa a semana no vermelho, ignorando recordes em NY; dólar recua

O Ibovespa segue pressionado pelas indefinições sobre o futuro fiscal do país e as ameaças de piora no clima entre os poderes em Brasília

30 de agosto de 2021
18:42 - atualizado às 20:00
manada contra a maré mercadoss
Imagem: Shutterstock

Os próximos dias prometem ser movimentados para o mercado financeiro. A agenda está cheia, e os investidores devem se manter atentos às divulgações de índices de atividade, PIB e o principal relatório do mercado de trabalho nos Estados Unidos (payroll), mas a semana começou morna para o Ibovespa.

As bolsas americanas voltaram a renovar recordes, e o dólar à vista recuou 0,12%, a R$ 5,1893, ainda ecoando o discurso de Jerome Powell, presidente do Federal Reserve, na última sexta-feira (27). Já a bolsa brasileira voltou a apresentar comportamento contrário ao de Wall Street, com uma queda de 0,78%, aos 119.739 pontos, devolvendo parte dos ganhos da última semana. 

Para os analistas, sem nenhum fator relevante que possa impulsionar os ativos, a tendência que permanece é a de queda, já que o cenário doméstico segue complicado. Braulio Langer, analista da Toro Investimentos, diz que enquanto o Ibovespa não romper a resistência técnica dos 121 mil pontos, o viés de queda deve se manter no curto e no médio prazos. 

A indefinição em torno do orçamento do próximo ano e a movimentação política do presidente Jair Bolsonaro antes do feriado de 7 de setembro causam desconforto, mas hoje a crise política teve uma outra cara no noticiário. 

A informação de que a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil poderiam deixar a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), após a entidade assinar um manifesto que traria críticas ao governo e cobraria harmonia entre os Poderes, gerou ainda mais tensão no mercado. 

Em nota, a Febraban esclareceu que o texto em questão não continha ataques ao governo ou oposição à atual política econômica. "O manifesto pedia serenidade, harmonia e colaboração entre os Poderes da República e alertava para os efeitos do clima institucional nas expectativas dos agentes econômicos e no ritmo da atividade", diz a nota da entidade.

O racha no setor financeiro deve levar a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), idealizadora do documento, a rever o texto, mas a declaração da Febraban foi suficiente para garantir algum alívio nos juros, que embutem o risco da crise político-fiscal.

A divulgação do déficit de R$ 19,829 bilhões do governo central em julho, bem abaixo da mediana das expectativas, também ajudou os principais contratos de DI a terem um dia de alívio, ainda que a crise hídrica traga uma piora de perspectivas para a inflação. Confira o fechamento das taxas:

  • Janeiro/22: de 6,76% para 6,73%
  • Janeiro/23: de 8,45% para 8,40%
  • Janeiro/25: de 9,35% para 9,37%
  • Janeiro/27: de 9,77% para 9,72%

No noticiário corporativo, os destaques principais ficaram com o otimismo dos analistas com as ações da novata Multilaser (MLAS3) e as novas aprovações de processos pendentes feitas pelo Cade.

Salgando o bolso

A crise hídrica que atinge o país segue sendo um dos maiores motivos de preocupação dos investidores locais. Os últimos dados de inflação mostram que a elevação das tarifas de energia elétrica pressionam os índices de preços, e as coisas não devem melhorar em breve. 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou a manutenção da bandeira vermelha 2 por mais alguns meses, e espera-se que o valor da tarifa de energia volte a crescer. É possível notar a apreensão do mercado no boletim Focus. Os analistas voltaram a revisar para cima as projeções de inflação para 2021 e 2022.

O próximo passo

Na semana passada, o presidente do Fed, Jerome Powell, deu sinais concretos de que a instituição não deve se precipitar para alterar a política monetária vigente. Apesar de uma redução no ritmo de compras de ativos ser esperada ainda em 2021, o dirigente do banco central americano deixou claro que a medida não será acompanhada de uma elevação dos juros. 

Nos próximos dias, novos dados devem ajudar o mercado a traçar melhor as suas estimativas para os próximos passos do Federal Reserve. A principal divulgação esperada é o relatório de emprego, o payroll, que será apresentado na próxima sexta-feira (03). 

Mas, por hoje, as sinalizações de Powell seguiram dando o tom dos mercados, o que levou o S&P 500 e o Nasdaq a renovarem suas máximas. Confira os fechamentos do dia:

  • Nasdaq: 0,90% - 15.265 pontos
  • S&P 500: 0,43% - 4.528 pontos
  • Dow Jones: -0,16% - 35.399 pontos

Sobe e desce do Ibovespa

Com poucos gatilhos específicos, hoje foi um dia de correção para alguns ativos. Depois de recuar fortemente nas últimas semanas, as ações da Americanas S.A. (AMER3) e das Lojas Americanas (LAME4) se destacaram como as maiores altas do Ibovespa. Já a Totvs (TOTS3), que vem tendo um bom desempenho nos últimos tempos, acompanhou a forte alta do Nasdaq para fechar com ganho de mais de 1%. Confira as maiores valorizações do dia:

CÓDIGONOMEVALORVAR
AMER3Americanas S.AR$ 43,242,81%
LAME4Lojas Americanas PNR$ 6,102,52%
CVCB3CVC ONR$ 22,161,19%
TOTS3Totvs ONR$ 39,901,06%
USIM5Usiminas PNAR$ 18,640,76%

Na ponta contrária, o destaque negativo ficou com as ações da Cyrela (CYRE3). Para Braulio Langer, analista da Toro Investimentos, o movimento é uma realização normal após a forte alta recente. 

As empresas de companhias aéreas também se destacaram entre as quedas, seguindo um comportamento global do setor. A União Europeia decidiu retirar os Estados Unidos da lista de países seguros para se viajar, refletindo uma preocupação crescente com o avanço da variante delta. Confira também as maiores quedas do Ibovespa:

CÓDIGONOMEVALORVAR
CYRE3Cyrela ONR$ 20,47-3,94%
COGN3Cogna ONR$ 3,27-3,54%
YDUQ3Yduqs ONR$ 26,45-3,43%
GOLL4Gol PNR$ 20,08-3,37%
AZUL4Azul PNR$ 37,94-3,14%
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

seu dinheiro na sua noite

Uma tarde de soluços nos mercados

O preço dos combustíveis, um dos grandes vilões da elevada inflação brasileira, não dá sinais de enfraquecimento. Muito pelo contrário: a passagem do furacão Ida pelo Golfo do México deve seguir impactando a oferta de petróleo por mais alguns meses, o que traz reflexos diretos ao preço da commodity. O Brent fechou em alta pela […]

menos méliuz

Méliuz (CASH3): Truxt reduz participação na companhia

Negociações têm por objetivo investimento e não visam alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da empresa

atenção acionista

Dividendos: Multiplan (MULT3) paga R$ 270 milhões em juros sobre capital próprio

Empresa vai considerar os acionistas inscritos nos registros da companhia no dia 28 de dezembro, dado que as ações de emissão da companhia passaram a ser negociadas “ex juros” a partir de 29 de dezembro

FECHAMENTO DO DIA

Petrobras dá susto, mas commodities garantem o avanço do Ibovespa; dólar sobe a R$ 5,37

A convovação de uma coletiva de última hora assustou os investidores, mas o Ibovespa retomou o ritmo de alta após a estatal confirmar que não irá mexr nos preços.

acesso bloqueado

Vale (VALE3) faz operação para resgatar 39 funcionários presos em mina no Canadá

De acordo com a empresa, na tarde de domingo (26), uma pá escavadeira que estava sendo transportada no acesso à mina subterrânea se desprendeu, bloqueando o shaft e, com isso, impedindo o meio de transporte dos empregados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies