Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-11-22T21:53:09-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

Commodities limitam queda, mas Ibovespa cede quase 1% com novos temores em torno da PEC dos precatórios; juros futuros disparam

Depois de subir mais de 1% no começo do dia, o Ibovespa voltou a apresentar fraqueza diante de ruídos em torno da PEC dos precatórios. O mercado de juros pesou no resultado final

22 de novembro de 2021
20:02 - atualizado às 21:53
Congresso Mercados Baixa
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Inflação acima da meta, projeções pessimistas de crescimento e uma nuvem de incerteza sobre o futuro fiscal do país não costumam ser elementos que sustentam um clima positivo nos negócios, ainda que pelas primeiras horas do pregão desta segunda-feira (22) o Ibovespa tenha tentado pegar carona no bom momento das empresas de commodities metálicas.

Nem mesmo a alta de quase 6% das ações da Vale, empresa de maior peso na carteira teórica do Ibovespa, conseguiu impedir que o índice voltasse a ceder com o peso das nossas incertezas fiscais e mais uma escalada dos juros futuros, já que os analistas continuam revisando para cima a projeção para a inflação em 2021 e 2022. Confira as taxas de fechamento do dia:

  • Janeiro de 2022: de 8,57% para 8,64%
  • Janeiro de 2023: de 12,17% para 12,34%
  • Janeiro de 2025: de 11,93% para 12,11%
  • Janeiro de 2027: de 11,83% para 11,96%

O dia reservou de tudo um pouco. Com a empolgação da confirmação de que Jerome Powell deve seguir como presidente do Federal Reserve, o banco central americano, o Ibovespa chegou a subir mais de 1,50%.

O pessimismo com a situação fiscal do país, no entanto, levou o principal índice da bolsa brasileira a fechar nas mínimas, em queda de 0,89%, aos 102.122 pontos. Após a alta recente, o dólar à vista caiu 0,27%, aos R$ 5,5936, mas chegou a avançar pontualmente.

Se na semana passada o mercado financeiro ficou mais “conformado” e recebeu de bom grado a notícia de que o Senado pretende facilitar a aprovação da PEC dos precatórios, fatiando o texto, hoje os investidores voltaram a ficar preocupados após a participação do secretário especial do Tesouro, Esteves Colnago, em comissão no Senado.

O secretário apresentou novos cálculos que mostram que a folga no teto de gastos deve ser maior do que a inicialmente prevista — R$ 106,1 bilhões ao invés de R$ 91,6 bi. Mas boa parte desse valor já se encontra comprometido, o que deixa apenas R$ 1,1 bilhão livre para que o governo cumpra promessas como o subsídio do gás de cozinha para as famílias mais carentes, o auxílio para compra de diesel para os caminhoneiros e outros gastos que possam aparecer em ano eleitoral.

Isso sem falar na grande aposta do governo — o Auxílio Brasil. Ainda não há um consenso sobre o caráter temporário da medida, o que gera ainda mais incertezas sobre a origem dos recursos para financiá-la.

O Senado deve apreciar o tema na próxima quarta-feira, mas Colnago já avisou que, caso a PEC não seja aprovada, há risco de o governo declarar estado de calamidade próximo do 1º turno da eleição presidencial do ano que vem.

O começo da semana também reservou algumas novidades no noticiário corporativo:

Tirando do caminho

O feriado do Dia de Ação de Graças deixa a semana mais curta nos Estados Unidos, o que acelerou a decisão do presidente Joe Biden para o comando do Federal Reserve, uma resposta muito aguardada pelo mercado. 

Biden indicou Jerome Powell para mais um mandato à frente do Federal Reserve, com a promoção da diretora Lael Brainard ao cargo de vice-presidente. Em um primeiro momento, a notícia empolgou as bolsas globais, mas o ânimo arrefeceu conforme os discursos de Biden e Powell foram proferidos durante a tarde. 

Com o combate à inflação como tema central, os retornos dos títulos do Tesouro americano voltaram a disparar, indicando o temor de uma retirada dos estímulos monetários de forma mais rápida, levando a um aumento antecipado dos juros — o que acabou tirando o brilho das bolsas americanas e fez com que o Nasdaq e o S&P 500 fechassem em queda firme. 

Sobe e desce do Ibovespa

Quem conseguiu resistir à virada de tempo na bolsa foram as ações do setor de commodities, após o avanço de mais de 4% do minério de ferro - que voltou a ficar próximo dos US$ 100 por tonelada -, e do petróleo. 

A TIM acabou ficando de fora do top 5, mas também foi um dos principais destaques do dia. A sua controladora, a Telecom Italia, recebeu uma proposta de compra de US$ 12 bilhões da KKR. Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVAR
VALE3Vale ONR$ 67,595,56%
BRAP4Bradespar PNR$ 48,034,46%
USIM5Usiminas PNAR$ 12,612,94%
GGBR4Gerdau PNR$ 25,432,58%
GOAU4Metalúrgica Gerdau PNR$ 10,562,13%

A alta da inflação e dos juros mais uma vez pesou contra as empresas de tecnologia, bancos e varejo, ainda que a primeira metade do pregão tenha sido positiva para esses setores. Confira também as maiores quedas:

CÓDIGONOMEVALORVAR
BIDI11Banco Inter unitR$ 35,05-14,11%
BIDI4Banco Inter PNR$ 11,88-12,65%
LWSA3Locaweb ONR$ 13,66-9,24%
CASH3Méliuz ONR$ 3,68-7,30%
LAME4Lojas Americanas PNR$ 5,49-6,79%

*Colaboração de Marcio Lórega, gerente de research do Pagbank

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

NOVATA NA FINAL

Não estranhe: patrocinadora da final entre Palmeiras e Flamengo é a nova corretora de criptomoedas do Brasil; conheça Crypto.bom

A exchange resolveu investir no segmento de esportes e patrocina Fórmula 1, NBA e até o campeonato europeu

Raio-X

Análise: Por que a alta da inflação pode ameaçar o pacote de infraestrutura de Joe Biden?

O presidente americano tem ambiciosos planos pela frente, mas a alta da inflação e gargalos estruturais da economia podem alterar o rumo

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

O MELHOR DA SEMANA

Piora da covid no mundo e criptomoedas além do bitcoin (BTC): 5 assuntos mais lidos no Seu Dinheiro esta semana

O mercado já trabalhava amplamente com a visão do verdadeiro normal. Mas os mercados globais voltaram a entrar em pânico com a covid-19

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies