🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

Ações da Petrobras decolam, mas Brasília trava o caminho e Ibovespa fecha em queda; dólar sobe a R$ 5,2106

Nem mesmo a forte alta da Petrobras livrou o Ibovespa de um dia de perdas. Mais uma vez, o fator Brasília falou mais alto

Jasmine Olga
Jasmine Olga
5 de agosto de 2021
19:02 - atualizado às 19:43
Ibovespa
Imagem: Shutterstock/Andrei Morais

Sozinhas, as ações preferenciais (PETR4) e ordinárias (PETR3) da Petrobras representam quase 10% da carteira teórica do Ibovespa, mas nem mesmo um avanço de cerca de 10% dos papéis salvou a bolsa brasileira de fechar o dia no vermelho. 

Os papéis da estatal se destacaram após a companhia divulgar os seus números do segundo trimestre. O balanço mostrou uma empresa com forte geração de caixa, melhora em seus índices de alavancagem e uma capacidade bilionária de distribuir dividendos, tudo muito acima daquilo que o mercado estava esperando — e já era muito. 

A decisão do Copom de elevar a taxa Selic para 5,25% também já era esperada, e o tom mais duro do Banco Central mostrou uma preocupação com a ancoragem de expectativas de inflação para os próximos anos — o que foi muito bem recebido pelo mercado e trouxe um sentimento de alívio. 

No exterior, o mercado está otimista para o relatório de emprego dos Estados Unidos que será divulgado amanhã. Com isso, o S&P 500 e o Nasdaq renovaram os seus recordes históricos. 

Com tantos fatores jogando a favor, o Ibovespa chegou a subir quase 1,5% no melhor momento do dia. Mas isso foi antes de os problemas político-fiscais voltarem para assombrar os investidores. 

E esse é um time reforçado: temos preocupação com o pagamento de precatórios no valor de quase R$ 90 bilhões, uma pressão do Executivo para elevar o Bolsa Família, uma reformulação do programa que permite o parcelamento tributário (Refis) e que ameaça a arrecadação e a intensa briga do presidente Jair Bolsonaro com os demais poderes. 

Não teve Petrobras que sustentasse tanta pressão. Os DIs dispararam e contaminaram todo o ambiente de negócios. A bolsa zerou os ganhos, e o dólar abandonou a trajetória de queda, que chegou a ser bem intensa no começo do dia. 

Com um gosto amargo na boca, o pregão foi encerrado com o Ibovespa em queda de 0,14%, aos 121.632 pontos e o dólar à vista em alta de 0,57%, a R$ 5,2106.

Na visão de Rafael Passos, sócio e analista da Ajax Capital, a pressão no mercado de juros que infectou todo o mercado brasileiro hoje tem duas origens: os problemas fiscais e a inflação mais persistente endereçada pelo próprio Banco Central em seu comunicado. O resultado foi um avanço em todos os principais vencimentos. Confira:

  • Janeiro/22: de 6,37% para 6,49%
  • Janeiro/23: de 7,93% para 8,21%
  • Janeiro/25: de 8,82% para 9,14%
  • Janeiro/27: de 9,11% para 9,45%

A gigantesca pedra no sapato 

O brilho dos bons números da Petrobras foi eclipsado pelas preocupações em Brasília. A Câmara aprovou ontem, em caráter de urgência, a proposta de reforma tributária do Imposto de Renda, o que abre espaço para a PEC dos precatórios e o parcelamento das dívidas do governo com a Justiça. No curto prazo, o alongamento desses pagamentos pressiona os gastos em 2022.

Essa manobra é vista como um movimento do presidente Jair Bolsonaro para aprovar o aumento do Auxílio Brasil, o Bolsa Família do governo atual, e aumentar seu apoio para a eleição de 2022. Mais cedo, além de atacar novamente os ministros do Supremo Tribunal Federal, Luis Barroso e Alexandre de Moraes, e ao sistema de urnas eletrônicas, Bolsonaro voltou a falar sobre o reajuste do programa social, mas não detalhou como o montante seria financiado.

Além disso, o parecer do novo Refis não agradou. O programa permite o parcelamento de débitos tributários, e o relator do projeto determinou que os descontos de encargos podem ir de 75% a 100%, e os descontos de juros e multas, de 65% a 90%.

Nas últimas semanas, a preocupação com os riscos fiscais voltou a se intensificar após alguns meses de tranquilidade. Para o Banco Central, essas incertezas podem acabar pressionando ainda mais a inflação, obrigando a instituição a elevar os juros em uma medida maior do que a programada no momento.

Rafael Passos, da Ajax Capital, aponta que o que mais preocupa na deterioração da percepção fiscal é que o governo preenche os “espaços” que surgem com mais endividamento.

“Nosso espaço de manobra é limitado, e a gente poderia ter um fôlego no orçamento deste ano e do ano que vem, mas o governo sempre vem com mais gastos. Qualquer ganho que a gente tem de arrecadação ou queda de endividamento não pode justificar um aumento de gastos”. 

Sobe e desce do Ibovespa

Os números robustos apresentados pela Petrobras garantiram a ponta da tabela para a estatal, que viu suas ações ordinárias e preferenciais beirarem 10% de alta. Já as ações da Embraer subiram em antecipação ao resultado do segundo trimestre que deve ser divulgado hoje. 

CÓDIGONOMEVALORVAR
PETR3Petrobras ONR$ 29,269,59%
PETR4Petrobras PNR$ 28,327,76%
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 20,432,35%
EMBR3Embraer ONR$ 18,651,80%
LWSA3Locaweb ONR$ 25,702,02%

Na ponta contrária, o recuo do minério de ferro pressionou as ações da Vale, das siderúrgicas e da Bradespar, uma grande sócia da Vale. Confira as maiores quedas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVAR
BRAP4Bradespar PNR$ 72,50-5,04%
BRKM5Braskem PNAR$ 55,25-4,44%
CSNA3CSN ONR$ 43,51-4,23%
ECOR3Ecorodovias ONR$ 10,22-3,22%
VALE3Vale ONR$ 108,95-3,17%

Resumo do dia:

Veja como fecharam Ibovespa, dólar, bitcoin e as bolsas americanas hoje:

Ibovespa-0,14%121.632 pontos
Dólar à vista0,57%R$ 5,2156
Bitcoin3,70%R$ 207.158
S&P 5000,60%4.429 pontos
Nasdaq0,78%14.895 pontos
Dow Jones0,78%35.096 pontos

Compartilhe

BRIGA PELO TRONO GRELHADO

Acionistas da Zamp (BKBR3) recusam-se a ceder a coroa do Burger King ao Mubadala; veja quem rejeitou a nova oferta

21 de setembro de 2022 - 8:01

Detentores de 22,5% do capital da Zamp (BKBR3) já rechaçaram a nova investida do Mubadala, fundo soberano dos Emirados Árabes Unidos

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana segue sendo o elefante na sala e Ibovespa cai abaixo dos 110 mil pontos; dólar vai a R$ 5,23

15 de setembro de 2022 - 19:12

O Ibovespa acompanhou o mau humor das bolsas internacionais e segue no aguardo dos próximos passos do Fed

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Cautela prevalece e bolsas internacionais acompanham bateria de dados dos EUA hoje; Ibovespa aguarda prévia do PIB

15 de setembro de 2022 - 7:42

As bolsas no exterior tentam emplacar alta, mas os ganhos são limitados pela cautela internacional

FECHAMENTO DO DIA

Wall Street se recupera, mas Ibovespa cai com varejo fraco; dólar vai a R$ 5,17

14 de setembro de 2022 - 18:34

O Ibovespa não conseguiu acompanhar a recuperação das bolsas americanas. Isso porque dados do varejo e um desempenho negativo do setor de mineração e siderurgia pesaram sobre o índice.

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Depois de dia ‘sangrento’, bolsas internacionais ampliam quedas e NY busca reverter prejuízo; Ibovespa acompanha dados do varejo

14 de setembro de 2022 - 7:44

Os futuros de Nova York são os únicos que tentam emplacar o tom positivo após registrarem quedas de até 5% no pregão de ontem

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana derruba Wall Street e Ibovespa cai mais de 2%; dólar vai a R$ 5,18 com pressão sobre o Fed

13 de setembro de 2022 - 19:01

Com o Nasdaq em queda de 5% e demais índices em Wall Street repercutindo negativamente dados de inflação, o Ibovespa não conseguiu sustentar o apetite por risco

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais sobem em dia de inflação dos EUA; Ibovespa deve acompanhar cenário internacional e eleições

13 de setembro de 2022 - 7:37

Com o CPI dos EUA como o grande driver do dia, a direção das bolsas após a divulgação dos dados deve se manter até o encerramento do pregão

DANÇA DAS CADEIRAS

CCR (CCRO3) já tem novos conselheiros e Roberto Setubal está entre eles — conheça a nova configuração da empresa

12 de setembro de 2022 - 19:45

Além do novo conselho de administração, a Andrade Gutierrez informou a conclusão da venda da fatia de 14,86% do capital da CCR para a Itaúsa e a Votorantim

FECHAMENTO DO DIA

Expectativa por inflação mais branda nos Estados Unidos leva Ibovespa aos 113.406 pontos; dólar cai a R$ 5,09

12 de setembro de 2022 - 18:04

O Ibovespa acompanhou a tendência internacional, mas depois de sustentar alta de mais de 1% ao longo de toda a sessão, o índice encerrou a sessão em alta

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar