Menu
2021-04-06T16:57:50-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Seleção da bolsa

As ações favoritas para o mês de abril, segundo 15 corretoras

Com a demanda por minério de ferro em alta e o preço nas alturas, a Vale permanece como a “preferida entre as preferidas” dos analistas. Confira a lista completa

7 de abril de 2021
5:54 - atualizado às 16:57
Ação do Mês Selo 2
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Como você imagina o mundo pós-coronavírus? Eu já vou ficar feliz em poder reunir os meus amigos em torno da minha mesa de jantar para tomar aquele vinho e comer uma pizza depois de tanto tempo de separação.

Mas nos países desenvolvidos, os dias pós-pandemia devem reservar mais do que só o retorno de uma vida social mais ativa e a volta aos escritórios hoje vazios. Em diversas partes do mundo, a retomada deve vir acompanhada de uma revitalização de toda a parte de infraestrutura — uma das formas de se gerar empregos e garantir o aquecimento da economia. 

Nos Estados Unidos mesmo, o novo presidente tem um plano audacioso — e caro — de investir cerca de US$ 2 trilhões em obras que devem envolver 32 mil quilômetros de estradas e rodovias, revitalização de 10 mil pontes e criação de milhões de empregos. Na China, primeiro país a entrar e sair da crise do coronavírus, obras de infraestrutura também estão cotadas a rodo. 

Não é só isso que faz a Vale (VALE3) ser uma das favoritas dos analistas — afinal, ela pinta por aqui todos os meses há mais de um ano, o que representa pelo menos 160% de alta.

Mas as perspectivas de crescimento da demanda por minério de ferro, após uma queda da produção ocasionada pelo coronavírus, certamente dão um empurrãozinho extra para a empresa “coringa” em quase todas as carteiras recomendadas do mercado.

Além das projeções otimistas, os papéis ainda são considerados baratos dado o seu potencial de crescimento e pagamento de dividendos. Neste mês, a mineradora foi mais uma vez a campeã disparada de indicações dos analistas, com oito menções.

Em seguida, temos duas empresas que também estão prontas para ganhar com a retomada em outro setor considerado “descontado” pelos analistas, o financeiro. 

No segundo lugar, tivemos a B3 (B3SA3), que tem aparecido com mais frequência entre as preferências dos bancos e corretoras, com cinco indicações. Fechando o pódio, temos o Itaú Unibanco (ITUB4), com quatro menções. 

Além do nosso pódio, é sempre bom destacar também os outros papéis que tiveram mais de uma indicação: Via Varejo (VVAR3) e Petrobras (PETR4). Confira a lista completa do Top 3 ações favoritas dos analistas para o mês de abril:

Entendendo a Ação do Mês: todos os meses o Seu Dinheiro Premium consulta as principais corretoras do país para descobrir quais são as principais apostas para o período. Dentro das carteiras recomendadas, normalmente com até 10 ações, os analistas indicam as suas três prediletas. Com o ranking nas mãos, selecionamos as que contaram com pelo menos duas indicações.

Mundo em reconstrução

A presença da Vale na lista de ações mais recomendadas não é novidade. Mês sim e mês também a companhia marca presença por aqui e ela não mostra sinais de enfraquecimento, já que o aumento da demanda e a desvalorização do dólar seguem impulsionando os papéis e deixam a mineradora no caminho de resultados ainda mais robustos

A mineradora foi a indicação de oito instituições: Ágora Investimentos, Nova Futura, CM Capital, Terra Investimentos, Órama, Necton, Guide Investimentos e Santander. 

Ainda que o minério de ferro tenha dado as suas derrapadas recentemente, as perspectivas para o crescimento da demanda são altas, o que deve sustentar o preço da commodity.

Além da retomada da economia chinesa, que foi a primeira a sair da crise do coronavírus, a possibilidade de aprovação do pacote de infraestrutura de US$ 2 bilhões nos Estados Unidos também anima o mercado futuro. 

Caso aprovado, o pacote americano deve ser diluído nos próximos dez anos, mas no curto prazo a companhia já tem o que comemorar. A Ágora Investimentos estima que exista um déficit de cerca de 80 milhões de toneladas em 2021 e, como uma das maiores mineradoras do mundo, a Vale deve se beneficiar desse cenário. 

Nesta semana, a companhia adicionou mais uma marca importante a sua história. A mineradora bateu a sua máxima e suas ações ultrapassaram a casa dos R$ 103 reais. Com o feito, o valor de mercado da Vale ultrapassou a casa dos R$ 460 bilhões. Para os analistas da Ágora, “a ação continua a ser negociada com um desconto não merecido, considerando o EV/EBITDA”. 

Outra notícia recente que animou os investidores — e que levou a companhia a alcançar a marca histórica — foi o anúncio de um novo programa de recompra de ações que pode chegar a 5,3% do total de ações ordinárias em circulação. 

“Seu robusto pagamento de dividendos semestrais é um grande atrativo e uma forma de balancear nossa carteira de investimentos com uma empresa bastante sólida” — Órama Investimentos. 

Nadando de braçada (e sem concorrentes)

Uma piada constante aqui no grupo do WhatsApp do Seu Dinheiro é que de tédio não se morre no Brasil. A alta volatilidade que podemos observar — muitas vezes em um único dia — é alucinante, e notícias que fazem preço no mercado nunca faltam.

No meio desse sobe e desce, quem mais acaba ganhando é a própria bolsa. Sem concorrentes ou perspectivas de adversários, a B3 (B3SA3) tende a ganhar em todos os cenários. A volatilidade, por exemplo, aumenta os volumes negociados, o que impacta diretamente na receita da empresa. 

Por essas e outras razões, B3 está de volta ao nosso pódio de indicações. A dona da bolsa foi citada por cinco instituições — Ativa Investimentos, Terra Investimentos, CM Capital, Órama e Necton.

Em seu último resultado trimestral, a empresa mostrou um desempenho operacional "excelente" na visão dos analistas da CM Capital e deve continuar sendo um dos players que mais se beneficiam do chamado “financial deepening” — termo utilizado para caracterizar o crescimento o leque de serviços financeiros oferecidos no país. 

A Ativa Investimentos enxerga que alguns múltiplos da empresa podem estar esticados, mas o espaço para crescimento e a falta de concorrentes mantêm a B3 com recomendação de compra e como uma das empresas mais "antifrágeis da bolsa". 

Provisões estão lá, já a inadimplência...

Assim como a Vale, outra empresa vista como "descontada" pelos analistas e que fecha o nosso pódio são as ações preferenciais do Itaú Unibanco (ITUB4), maior banco privado do Brasil. 

O bancão foi a indicação de quatro instituições — Ativa Investimentos, Banco Daycoval, modalmais e Toro Investimentos. 

Com o coronavírus no radar, o Itaú foi o banco que mais fez provisões. Com o seu nível de inadimplência em patamares saudáveis, os analistas esperam que uma parte desses valores sejam revertidos já em 2021. Para o Banco Daycoval, o cenário desafiador já foi precificado, o que deve levar a uma retomada dos papéis já no curto prazo. 

Um fator que vem sendo destacado pelas casas de análise é que o Itaú tem corrido atrás de combater a concorrência das fintechs, mostrando adaptabilidade à digitalização.

Além disso, uma questão que deve afetar todo o setor é a tendência de alta da Selic, que está saindo de suas mínimas históricas. Na visão da Toro Investimentos, esse é um fator que deve levar a uma valorização das ações de todo o segmento bancário no médio prazo. 

Retrospectiva

O Ibovespa ainda acumula saldo negativo em 2021, mas março foi um mês e tanto de recuperação. O principal índice da bolsa teve uma alta de 6%.

Mas nem por isso o mês foi de flores. Os ativos domésticos sofreram um bocado com a volatilidade, já que no radar local tivemos a aprovação da tão esperada PEC Emergencial, reforma ministerial, a aprovação de um Orçamento que ainda dá o que falar e uma piora drástica na pandemia do coronavírus. Lá fora, o alívio veio da aprovação do pacote de estímulos americano. Já os juros futuros, que dispararam, pressionaram os ativos emergentes. 

A Vale, campeã de indicações no mês passado, também acabou ficando com o saldo positivo, ainda que o minério de ferro tenha recuado, e subiu 6,47%. Confira a lista completa de indicações e o retorno durante o mês de março.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

em meio à crise

Em reunião com empresários, Bolsonaro defende vacinação e diz não ter preocupação com CPI da Covid

Presidente e ministros participaram de uma videoconferência com o grupo que reúne os 50 maiores grupos privados do País

seu dinheiro na sua noite

Ação da Moura Dubeux caiu 50% desde o IPO. Ficou barata?

O ano de 2020 começou promissor para a economia brasileira e com boas perspectivas para a chegada de novas empresas à bolsa. A temporada de IPOs se iniciou nos primeiros dias de fevereiro, com a estreia da construtora Mitre, seguida da empresa de tecnologia Locaweb. Mais para meados do mês, vimos a abertura de capital […]

ampliação de sortimentos

Lojas Americanas compra Imaginarium e prevê aumentar marcas próprias

Companhia anunciou aquisição do Grupo Uni.co, mas não revelou valores; com negócio, Americanas avança sobre varejo especializado em franquias

FECHAMENTO

Mercado olha desconfiado para Orçamento e Ibovespa acompanha queda do exterior; dólar fica estável

Com a agenda de indicadores esvaziada e a véspera de feriado, os investidores acabaram optando pela cautela

Prioridade na Casa

Câmara aprova requerimento de urgência sobre projeto de privatização dos Correios

A medida permite que a proposta “fure” a fila de votação de projetos e pode agilizar o processo de desestatização

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies