2021-09-30T09:27:43-03:00
Estadão Conteúdo

Banco Central aumenta estimativa da inflação para 8,5%, valor ultrapassa a meta

A instituição informou que, em seu cenário de referência, a probabilidade do indicador em 2021 ficar acima do teto da meta, de 5,25%, está em 100%

30 de setembro de 2021
9:27
O IPCA avançou mais forte do que o esperado este ano - Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Banco Central(BC) manteve sua estimativa de inflação para 2021 no cenário de referência, que utiliza juros conforme o Relatório de Mercado Focus e câmbio atualizado de acordo com a Paridade do Poder de Compra (PPC).

Segundo o Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado na manhã desta quinta-feira, 30, este cenário indica um IPCA de 8,5% para este ano. O porcentual é o mesmo que constou na ata e no comunicado do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom).

O cenário de referência indica que o IPCA ficará em 3,7% em 2022 e em 3,2% em 2023 - também igual à ata e ao comunicado.

  • Para 2021, a meta de inflação perseguida pelo BC é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto porcentual (taxa de 2,25% a 5,25%).
  • Para 2022, a meta é de 3,50%, com margem de 1,5 ponto (taxa de 2,00% a 5,00%). Para 2022, a meta é de 3,25%, com margem de 1,5 ponto (taxa de 1,75% a 4,75%).

Projeções do mercado

No último relatório Focus, divulgado na segunda-feira passada, os economistas consultados semanalmente pelo BC projetaram alta de 8,45% no IPCA de 2021, de 4,12% em 2022 e de 3,25% em 2023.

IPCA dos próximos meses

O Banco Central também divulgou, no RTI, suas projeções de inflação de curto prazo, que abarcam os meses de setembro a novembro de 2021.

  • A previsão do BC do IPCA para setembro é de 1,11%.
  • Já a projeção para outubro é de 0,45% e,
  • Para novembro, de 0,41%.

No Focus mais recente, divulgado na última segunda-feira, as projeções do mercado financeiro para o IPCA eram de alta de 1,10% em setembro, 0,53% em outubro e 0,40% em novembro.

Teto da meta

O Banco Central informou que, em seu cenário de referência, a probabilidade de a inflação de 2021 ficar acima do teto da meta, de 5,25%, está em 100%, ou seja, não há mais como entregar o objetivo deste ano.

Com isso, o presidente do BC, Roberto Campos Neto precisará divulgar uma carta aberta ao ministro da Economia, Paulo Guedes, explicando o estouro da meta deste ano. Da mesma forma, a probabilidade de a inflação ficar abaixo do piso da meta em 2021, de 2,25%, é zero. .

Para 2022, a probabilidade de estouro do teto de 5% da meta é de 17%. Já a possibilidade de estouro do piso de 2,00% da meta é de 11%. Para 2023, a probabilidade de estouro do teto de 4,75% da meta é de 13%. Já a possibilidade de estouro do piso de 1,75% da meta é de 15%.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Resultados

João Doria vence prévias e será candidato à presidência pelo PSDB; Em discurso, manda recado à Lula e Bolsonaro e faz aceno para 3ª via

“Ninguém faz nada sozinho. Precisamos da ajuda de todos. Da união do Brasil. Da união do PSDB. Da união com outros líderes e partidos”, afirmou

Décimo Andar

O mercado imobiliário americano segue vencedor: confira uma nova opção na B3 para investir na área

Mesmo com a perspectiva de aumento dos juros no exterior, o mercado imobiliário americano segue forte na alta dos preços; veja um ativo para investir sem sair da B3

NOVATA NA FINAL

Não estranhe: patrocinadora da final entre Palmeiras e Flamengo é a nova corretora de criptomoedas do Brasil; conheça Crypto.bom

A exchange resolveu investir no segmento de esportes e patrocina Fórmula 1, NBA e até o campeonato europeu

Raio-X

Análise: Por que a alta da inflação pode ameaçar o pacote de infraestrutura de Joe Biden?

O presidente americano tem ambiciosos planos pela frente, mas a alta da inflação e gargalos estruturais da economia podem alterar o rumo

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar