Menu
2020-01-07T16:59:08-03:00
Caderneta mais gorda

Poupança tem captação líquida de R$ 13,327 bilhões em 2019

O resultado divulgado pelo Banco Central é menor que os valores registrados em 2018 (R$ 38,260 bilhões) e 2017 (R$ 17,127 bilhões)

7 de janeiro de 2020
16:33 - atualizado às 16:59
porquinho, investimento, poupança
Imagem: Shutterstock

Apesar da rentabilidade menor em relação a outras aplicações financeiras, a caderneta de poupança registrou captação líquida positiva pelo terceiro ano consecutivo.

Dados divulgados nesta terça-feira, 7, pelo Banco Central mostram que, em 2019, os brasileiros depositaram R$ 13,327 bilhões líquidos na poupança. O valor já leva em consideração os saques promovidos no período.

O montante é menor que os valores registrados em 2018 (R$ 38,260 bilhões) e 2017 (R$ 17,127 bilhões), mas consolida o período de recuperação da caderneta, após os saques líquidos registrados nos anos de crise. Somente em 2015 e 2016, com muitas famílias recorrendo à poupança para fechar as contas, R$ 94,270 bilhões líquidos haviam deixado a caderneta.

Em 2019, apesar de a poupança alternar meses de saques e depósitos, os aportes prevaleceram, na esteira da relativa recuperação da economia e da diminuição do desemprego.

Em dezembro, mês de pagamento do 13º salário, a poupança registrou captação líquida positiva de R$ 17,211 bilhões. O montante foi resultado de aportes de R$ 260,544 bilhões e retiradas de R$ 243,333 bilhões.

Considerando o rendimento de R$ 2,534 bilhões no período, a poupança fechou 2019 com saldo total de R$ 845,465 bilhões. Em valores nominais (sem considerar a inflação), este é o maior saldo da história da poupança. A série histórica do BC leva em conta valores desde janeiro de 1995.

O desempenho da poupança em 2019 ocorre a despeito de a aplicação não ser mais tão atrativa. Com a baixa da Selic (a taxa básica de juros da economia), o retorno da poupança também caiu nos últimos anos. Isso porque, pelas regras atuais, a poupança é remunerada pela taxa referencial (TR), que está em zero, mais 70% da Selic. A Selic, por sua vez, está em 4,50% ao ano, no menor patamar da história.

Na prática, o retorno atual da poupança é de 3,15% ao ano - um porcentual que, em 2020, pode perder para a inflação, já que o mercado financeiro projeta alta de 3,60% para os preços no ano.

Em 2019, conforme cálculos da consultoria Economatica, a poupança ainda gerou um retorno real (já descontada a inflação) de 2,96%. O desempenho ficou bem abaixo do registrado por outras aplicações. O Ibovespa - índice de referência da bolsa brasileira -, por exemplo, teve ganho real de 27,60% em 2019.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

pós-isolamento

Adidas informa que dois terços de suas lojas em todo mundo já reabriram

Empresa já reabriu quase todas as suas lojas na Ásia-Pacífico e nos mercados emergentes, enquanto três quartos de suas próprias lojas operam na Europa

diz boa vista

Pedidos de falência no Brasil sobem 30% em maio

No acumulado em 12 meses finalizados em maio, os pedidos de recuperação judicial cresceram 3,7%

entrevista

‘Não precisa passar as coisas de baciada’, diz presidente da Abag

Anúncio de uma página inteira nos principais jornais do País, na semana passada, de entidades do agronegócio, da indústria, da construção civil e do comércio em apoio ao ministro do Meio Ambiente não caiu bem, diz Marcello Brito

em meio à crise

BRMalls fecha parceria para venda nas plataformas da B2W

Acordo permite a venda dos produtos das mais de 6 mil lojas no Americanas.com, Submarino e Shoptime

esquenta dos mercados

Mercado faz pausa no rali enquanto aguarda decisão do BCE

Após alguns dias de rali, os mercados interncionais realizam lucros enquanto aguardam decisão monetária do BCE. Com a agenda esvaziada no Brasil, destaque para a divulgação dos pedidos de auxílio-desemprego e da balança comercial nos Estados Unidos.

após denúncia

Banco do Nordeste demite presidente 24 horas após posse

Decisão do governo foi tomada após o Estadão revelar que Alexandre Borges Cabral é alvo de uma apuração conduzida pelo TCU

diante da crise

Estímulos devem ser mantidos, diz FMI

Para Kristalina Georgieva, a comunidade internacional deve trabalhar para expandir as transformações digitais e reduzir desigualdades.

hoje não

Holanda rejeita acordo Mercosul-UE

Questão ambiental, relacionada à agricultura no Mercosul, foi o argumento central para o voto dos holandeses

de olho na varejista

Via Varejo anuncia oferta que pode movimentar R$ 4 bilhões

Recursos da oferta serão usados em investimentos em tecnologia e logística, inovação e desenvolvimento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements