Esse conteúdo é exclusivo para o
Seu Dinheiro Premium.
Seja Premium
Quero ser Premium Já sou Premium
O que você vai receber
Conteúdos exclusivos
Indicações de investimento
Convites para eventos
Segredos da bolsa: Investidores buscam resposta para uma pergunta que vale milhões – ou mesmo bilhões - Seu Dinheiro
Menu
2020-09-05T13:34:27-03:00
Ricardo Gozzi
Pergunta do milhão

Segredos da bolsa: Investidores buscam resposta para uma pergunta que vale milhões – ou mesmo bilhões

Terão os mercados de ações ficado caros demais ou trata-se apenas de uma realização de lucros pontual antes de tudo voltar em breve ao novo normal?

7 de setembro de 2020
20:02 - atualizado às 13:34
perguntas

Setembro começou sem deixar nada a dever a agosto em termos de fortes emoções nos mercados financeiros globais. Os ativos de risco viveram uma semana de intensa volatilidade antes desta pausa para o feriado em São Paulo e Nova York.

Depois de muitos altos e baixos em agosto, o Ibovespa até chegou ao fim da sexta-feira apontando para cima, mas deixou 0,88% pelo caminho ao término da primeira semana de setembro. Já o dólar registrou uma queda de 2% em relação ao real na semana passada.

Tudo parecia ir bem até a quinta-feira, quando o intenso rali das ações de tecnologia acabou abruptamente colocado em xeque a partir de seu epicentro, o índice Nasdaq.

Depois de bater recorde atrás de recorde de fechamento, o Nasdaq passou por uma queda vertiginosa na quinta-feira e seguiu caindo no pregão seguinte.

No Brasil, a maior parte do impacto deste questionamento acabou absorvida pelas empresas do setor de comércio eletrônico.

Vamos à pergunta

Afinal, terão os mercados de ações ficado caros demais ou trata-se apenas de uma realização de lucros pontual antes de tudo voltar em breve ao novo normal?

Eis a pergunta de muitos milhões – ou bilhões – da moeda que melhor estiver representada na sua carteira.

E é desta resposta – ou de caminhos que levem a ela – que os investidores estarão atrás nesta semana encurtada pelos feriados de 7 de Setembro no Brasil e do Dia do Trabalho nos Estados Unidos.

A maioria dos analistas acredita, pelo menos neste primeiro momento, em uma realização de lucros derivada de um rali nas ações de tecnologia que vinha chamando a atenção desde o início da pandemia, mas que intensificou-se nas últimas semanas.

O movimento brusco ocorrido em Nova York veio acompanhado de temores relacionados com o ritmo da retomada da economia passado o impacto mais acentuado da pandemia.

O fato é que os mercados globais de ações recuperaram terreno rapidamente nos últimos meses diante da expectativa de uma vacina para o novo coronavírus, mas os investidores agora questionam a justificativa para preços tão elevados em muitos papéis enquanto a pandemia segue avançando pelo mundo.

Ninguém descarta um possível ajuste nos preços desses ativos, ainda que nenhuma questão estrutural tenha sido identificada até o momento.

IPCA e varejo garantem novos dados sobre atividade econômica

Neste sentido, enquanto novos indicadores devem trazer luz no decorrer da semana sobre o ritmo da retomada no Brasil, na China, nos Estados Unidos e na zona do euro, os estímulos econômicos e financeiros tendem a manter os mercados com liquidez abundante ainda por um bom tempo.

Os levantamentos produzidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) dominam a semana de indicadores locais, mas não brilham sozinhos.

Os investidores estarão em busca de sinais, mesmo que modestos, de recuperação da atividade econômica. Os destaques ficam por conta do Índice de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA, e dos números sobre as vendas no varejo.

Veja quais são os indicadores que devem agitar a semana no Brasil


Terça-feira: Como de costume, mesmo quando encurtada, a semana começa com o boletim Focus e a atualização semanal dos dados da balança comercial. Antes tudo isso, porém, a FGV divulga o IGP-DI de agosto, seus dados semanais de inflação e os indicadores mensais sobre o mercado de trabalho no Brasil.

Quarta-feira: O dia começa com o IBGE divulgando os números do IPCA em agosto. Pela tarde, o Banco Central divulga os números semanais de fluxo cambial.

Quinta-feira: O IBGE divulga às 9h os números sobre as vendas no varejo em julho e a produção agrícola em agosto. Às 11h30, o Tesouro realiza leilão tradicional de LTN, LTF e NTN-F.

Sexta-feira: A semana se encerra com os dados da sondagem mensal do IBGE sobre o setor de serviços.

Investidores atentos ao BCE

A agenda de eventos e indicadores econômicos desta semana no exterior traz os índices de preços ao produtor e ao consumidor na China e nos Estados Unidos.

O grande, destaque, porém, é a reunião de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), cuja decisão é esperada para a manhã de quinta-feira.

Os analistas estão atentos a como o BCE agirá depois de o Federal Reserve Bank (Fed, o banco central norte-americano) ter mudado importantes parâmetros para a condução de sua política monetária, abrindo a porta para que as medidas de estímulo vigentes permaneçam em cena por ainda mais tempo do que já se projetava.

Veja a seguir os principais indicadores previstos para esta semana no exterior.

Terça-feira: O dia começa com as informações sobre o desemprego zona do euro. Durante a tarde, o Fed divulga os dados sobre o crédito aos consumidores norte-americanos em julho. À noite, o governo chinês informa os números de inflação ao consumidor e ao produtor em agosto.

Quarta-feira: Em dia de poucos destaques, os Estados Unidos divulgam dados sobre pedidos de hipotecas e geração de empregos.

Quinta-feira: Logo cedo, o BCE anuncia sua decisão de política monetária em meio à expectativa de manutenção das medidas de estímulo. Nos Estados Unidos, as atenções estarão voltadas para o índice de preços ao produtor em agosto.

Sexta-feira: Logo cedo, o governo alemão divulga os números harmonizados da inflação em agosto. Ainda pela manhã, será a vez de os EUA informaram o índice de preços ao consumidor no mês passado. Na parte da tarde, o Departamento do Tesouro norte-americano dá publicidade ao resultado fiscal do governo em agosto.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Covas ou Boulos?

Como a eleição para prefeito mexe com o investimento em imóveis em São Paulo

Com revisão do Plano Diretor em 2021, investidor de ações de construtoras, fundos imobiliários e imóveis deve ficar de olho no resultado eleitoral. Há risco se Guilherme Boulos ganhar? E se Covas levar, setor pode ser beneficiado?

Dinheiro no bolso

Banco do Brasil anuncia pagamento de R$ 333 milhões em JCP do 4T20

Dessa forma serão pagos no dia 30 de dezembro e terão como base a posição acionária do dia 11 de dezembro de 2020

seu dinheiro na sua noite

Maradona e o rali da bolsa

O baixinho Maradona passa por dois marcadores, toca para o companheiro e depois corre para disputar a bola na área. Ele dá um salto e, de alguma forma, consegue subir mais que o goleiro inglês Peter Shilton para empurrar (literalmente) a bola para as redes. O lance do antológico gol de mão do craque argentino […]

fechamento dos mercados

Ibovespa desacelera com queda de Petrobras, mas fecha acima de 110 mil com Itaú e Vale e sobe 4% na semana

Bolsas americanas fecham para cima, renovando máximas históricas, em sessão mais curta; por aqui, ações de Petrobras reduziram alta perto do fim da sessão, eventualmente virando e fechando em queda, tirando índice acionário local da proximidade do pico intradiário

Urgente

Guilherme Boulos é diagnosticado com Covid-19

As agendas de campanha foram todas suspensas, e a coordenação da campanha vai propor à TV Globo que o último debate, previsto para hoje, seja feito de forma virtual.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies