Menu
2020-01-05T15:02:26-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Crise no Oriente Médio

Trump ameaça o Irã no Twitter e diz que os EUA têm 52 localidades persas sob a mira: ‘que isto sirva de aviso’

Presidente dos EUA foi ao Twitter para dizer que, se o Irã atacar americanos novamente, alvos importantes para o Irã e sua cultura serão atingidos.

5 de janeiro de 2020
12:01 - atualizado às 15:02
Donald Trump
Presidente americano, Donald Trump: "Se eles atacarem de novo (...), nós vamos atingi-los com uma força que eles nunca viram antes!" Imagem: Shutterstock

O presidente americano Donald Trump fez uma forte ameaça ao Irã ontem à noite (4), dizendo que os Estados Unidos têm 52 localidades iranianas sob a mira, representando os 52 americanos que o Irã tomou como reféns "muitos anos atrás".

"Algumas [destas localidades] são de alto nível e importantes para o Irã e a cultura iraniana, e estes alvos, e o próprio Irã, SERÃO ATACADOS COM MUITA RAPIDEZ E MUITA FORÇA. Os EUA não querem mais ameaças!", tuitou Trump, em resposta às promessas de retaliação do país persa após o ataque americano que matou uma das mais altas autoridades iranianas.

Após uma breve introdução justificando o ataque americano, Trump escreveu: "Que isto sirva de AVISO se o Irã atingir quaisquer americanos ou possessões americanas".

"O Irã tem falado com muita audácia sobre atingir certas possessões americanas como forma de vingança por termos livrado o mundo do seu líder terrorista que tinha acabado de matar um americano e ferir cruamente muitos outros, sem mencionar todas as pessoas que ele matou durante a sua vida, incluindo, recentemente, centenas de manifestantes iranianos.

Ele já estava atacando a nossa Embaixada e se preparando para ataques adicionais em outras localidades. O Irã tem sido um problema há muitos anos.

Que isto sirva de AVISO de que se o Irã atingir quaisquer americanos ou possessões americanas, nós temos sob a mira 52 localidades iranianas (representando os 52 americanos que o Irã tomou como reféns muitos anos atrás), alguns de alto nível e importantes para o Irã e a cultura iraniana, e esses alvos, e o próprio Irã, SERÃO ATACADOS COM MUITA RAPIDEZ E MUITA FORÇA. Os EUA não querem mais ameaças!

'Nós vamos atingi-los com uma força que eles nunca viram'

Durante a madrugada do dia 4 para o dia 5, Trump voltou a fazer ameaças, e ostentou o aparato militar dos Estados Unidos.

"Os Estados Unidos acabaram de gastar dois trilhões de dólares em equipamento militar. Nós somos os maiores e, de longe, os MELHORES do mundo! Se o Irã atacar uma base americana ou qualquer americano, nós vamos mandar um pouco desse novo e belo equipamento na direção deles... e sem qualquer hesitação!"

"Eles nos atacaram e nós revidamos. Se eles atacarem de novo, o que eu fortemente aconselho que eles não façam, nós vamos atingi-los com uma força que eles nunca viram antes!"

Irã prometeu vingança

As tensões entre Estados Unidos e Irã vêm numa escalada desde que Trump ordenou, na última quinta-feira (2), um ataque a um aeroporto em Bagdá, capital do Iraque, que matou o general persa Qassem Soleimani. O Irã prometeu retaliar e também fez ameaças.

Soleimani era o mais graduado militar iraniano, muito popular e inclusive cotado para a presidência do país. Era comandante das Forças Quds - unidade especial da Guarda Revolucionária do Irã. Após sua morte, milhares de pessoas se juntaram em procissão para homenageá-lo nas ruas de Bagdá e protestar contra os Estados Unidos. Também houve apoio da população ao general morto em Teerã, capital iraniana.

O mesmo ataque que matou o general iraniano também matou Abu Mahdi al-Muhandis, principal comandante da milícia iraquiana. O Irã vinha apoiando e financiando milícias xiitas no Iraque (inclusive no combate ao Estado Islâmico no país), na Síria, no Iêmen e no Líbano (caso do Hezbollah), além de ter apoiado o presidente Bashar al-Assad ao lado da Rússia na guerra civil síria.

Poucas horas depois de ordenar o ataque, os EUA enviaram 3.500 homens à região do Golfo Pérsico para reforçar a segurança em instalações americanas.

Na sexta-feira (3), autoridades iraquianas alegaram que um ataque aéreo atingiu dois carros que levavam milícias apoiadas pelo Irã, ao norte de Bagdá, no qual cinco membros da milícia foram mortos. O exército do Iraque e a coalizão, porém, negaram que teriam ordenado o ataque.

Já no sábado (4), dois ataques visaram quase simultaneamente a Zona Verde de Bagdá - onde está localizada a embaixada dos Estados Unidos - e uma base aérea iraquiana que abriga soldados e aviões americanos ao norte da capital. Não houve vítimas. A embaixada dos EUA já havia sido atacada na última terça-feira (31) por combatentes pró-Irã.

A proximidade de um conflito armado entre Estados Unidos e Irã já fez o preço do petróleo subir mais de 3% na última sexta-feira e pesou sobre os mercados internacionais. Houve quedas nas bolsas do mundo todo no último pregão, inclusive no Brasil, além de alta do dólar.

Ainda é difícil precisar, no entanto, os efeitos que as tensões no Oriente Médio podem ocasionar nos mercados e nas previsões econômicas para 2020. Tudo vai depender se haverá uma alta prolongada sobre os preços do petróleo.

*Com Estadão Conteúdo e agências internacionais.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Balanço da covid no país

Brasil supera Itália em número de mortes por coronavírus e chega a 33.884

O Brasil registrou 33.884 mortes provocadas pelo coronavírus até agora. Há 612.862 casos confirmados da doença em todo o país

coronavírus na energia

Copasa prorroga pagamento de contas devido à pandemia

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) informou que prorrogou os prazos das medidas de auxílio aos clientes, a fim de minimizar os impactos à população devido à pandemia do novo coronavírus

seu dinheiro na sua noite

Licença para gastar

Na crise financeira de 2008, as autoridades dos países desenvolvidos se encontraram diante de um dilema: era certo usar dinheiro público para salvar os bancos que estavam à beira da falência? Se por um lado eles foram os grandes culpados pelo próprio destino, por outro os efeitos colaterais de uma quebradeira no sistema financeiro afetariam […]

Recorde histórico

Em meio à pandemia, poupança tem captação líquida recorde de R$ 37,201 bilhões em maio

Este é o maior volume de depósitos líquidos em um único mês em toda a série histórica do BC, iniciada em janeiro de 1995

Bolsa imparável

Ibovespa sobe pelo quinto dia, desafiando até mesmo o tom mais cauteloso no exterior

O Ibovespa contrariou a tendência global e fechou em alta, aproximando-se do patamar dos 94 mil pontos. O tom mais cauteloso visto lá fora só foi sentido no mercado de câmbio, com o dólar à vista subindo e voltando a R$ 5,13

MP 936

Maia avalia que desoneração de folha evita mais desemprego na crise

Para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a prorrogação da desoneração da folha de pagamento até o fim de 2021, como proposto no texto da medida provisória 936 aprovada pela Câmara, vai evitar um impacto de R$ 10 bilhões nos custos de mão de obra de 17 setores

Efeito covid

Busca por passagem aérea no Brasil atinge mínima histórica no Google

Diante de pandemia que deixou aéreas sem operação e impôs isolamento, as buscas por passagem aérea no Brasil atingiram o menor nível histórico no Google

Marink Martins: In GOLD we trust

Marink Martins vai apresentar o que se passa na mente dos principais investidores internacionais, condensando a avaliação de quem já esteve a frente da tesouraria de grandes bancos nos EUA e no Brasil.     Sem opções rentáveis na renda fixa, todos querem alternativas seguras. Agora, Marink Martins compartilha exclusivamente com você qual poderá ser a […]

Bruno Bianco

Meta é incluir informais no mercado formal no pós-pandemia, diz secretário

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, afirmou que o governo federal estuda como incluir no mercado formal a população de trabalhadores informais que precisou recorrer ao governo federal para receber o auxílio emergencial de R$ 600

Pré-sal

Com vinda de navios-tanque, Petrobras eleva capacidade de escoamento do pré-sal

A Petrobras recebe na próxima semana a primeira de quatro embarcações previstas para este ano para escoar a produção das plataformas do pré-sal

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements