Menu
2020-01-05T15:05:17-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
escalada de tensões

Bombardeio ordenado por Trump mata principal general iraniano; preço do petróleo sobe

Um dos homens mais poderosos do Irã, o general Qassem Soleimani morreu em um ataque aéreo dos Estados Unidos

3 de janeiro de 2020
7:00 - atualizado às 15:05
Qassem Soleimani
Qassem Soleimani, general iraniano morto em ataque dos Estados Unidos. - Imagem: ABC News (Australia)/ Reproducao / youtube

Um dos homens mais poderosos do Irã, o general Qassem Soleimani morreu em um ataque aéreo dos Estados Unidos nesta quinta-feira (2), em Bagdá. O Pentágono confirmou que a ordem partiu do presidente Donald Trump.

Em reação, os preços do petróleo tipo Brent subiam cerca de 4%, por volta das 6h (horário de Brasília). As bolsas na Europa operavam em queda, enquanto os futuros de Nova York recuavam mais de 1%.

O assassinato de Soleimani marca uma escalada dramática nas tensões entre Irã, os Estados Unidos e seus aliados - em especial Israel e Arábia Saudita.

O principal comandante da milícia iraquiana Abu Mahdi al-Muhandis, conselheiro de Soleimani, também foi morto no ataque. O Irã prometeu retaliação.

O país tem travado um longo conflito com os Estados Unidos. Na semana passada, milicianos do País atacaram uma embaixada dos EUA no Iraque em reação a um outro ataque aéreo dos EUA à milícia Kataib Hezbollah, fundada por Muhandis.

"Este ataque teve como objetivo impedir futuros planos de ataque iranianos", disse o Pentágono.

Grupos paramilitares iraquianos disseram que três foguetes pousaram perto do terminal de carga do aeroporto de Bagdá, atingindo dois veículos e matando cinco paramilitares iraquianos e outras duas pessoas. As imagens mostravam destroços em chamas em uma estrada do aeroporto.

Em comunicado divulgado pela televisão estatal, o líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, pediu três dias de luto nacional.

Soleimani, que liderou a Força Quds, o braço estrangeiro da Guarda Revolucionária e teve um papel fundamental nos combates na Síria e no Iraque, adquiriu status de celebridade no País e no exterior.

A presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi disse que o ataque foi realizado sem consulta ao Congresso e sem autorização para o uso de força militar contra o Irã. Trump apenas postou uma foto da bandeira dos EUA no Twitter.

Saudi Aramco

Em setembro, as autoridades americanas culparam o Irã por um ataque de mísseis e drones às instalações de petróleo da Saudi Aramco, a maior exportadora de petróleo do mundo.

*Com informações da Reuters

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

na agenda

Questões sobre MP da privatização da Eletrobras serão decididas nesta quarta, diz Pacheco

Senado deve discutir inclusive os requerimentos de impugnação de jabutis – como são chamados as emendas com temas estranhos à proposta original

seu dinheiro na sua noite

De carona no trem das commodities

Quando falamos em ações que se beneficiam da reabertura da economia pós-covid, logo se destacam os papéis de empresas ligadas à produção de commodities. Quem vem apostando nesses ativos neste ano está se dando bem. Mas é bem verdade que a “tese da reabertura” já está em andamento. Para quem perdeu esse trem, ainda dá […]

aquisição via controlada

Ambipar compra 100% da Ecológica Nordeste

Negócio está em linha com seu plano estratégico de crescimento, com captura de sinergias e potencial maximização das margens e retorno, diz a empresa

denúncia da fup

Médicos da Petrobras receitam remédio sem eficácia a funcionários com covid-19

A estatal segue o comportamento do governo federal, que liderado pelo presidente Jair Bolsonaro, defende o tratamento precoce do covid-19 via medicamentos não aceitos pela OMS

fique de olho

Tesouro divulga cronograma dos leilões de títulos do 3º trimestre

No caso das Notas do Tesouro Nacional – Série F (NTN-F), a instituição deixará de ofertar o papel com prazo de referência de oito anos (1/1/2029)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies